DE­MI­TI­DO DUN­GA, TI­TE É FA­VO­RI­TO PA­RA AS­SU­MIR A SE­LE­ÇÃO

Além do téc­ni­co, res­pon­sa­bi­li­za­do pe­lo fi­as­co na Co­pa Amé­ri­ca dos EUA, CBF tam­bém tro­ca­rá o co­or­de­na­dor Gil­mar Ri­nal­di pe­lo ex-jo­ga­dor Le­o­nar­do

Metro Brazil (ABC) - - Front Page -

Che­ga ao fim mais uma “Era Dun­ga”. A se­gun­da pas­sa­gem do trei­na­dor ter­mi­nou ofi­ci­al­men­te on­tem, por meio de um co­mu­ni­ca­do da CBF.

Sem­pre ques­ti­o­na­do por sua ex­pe­ri­ên­cia pa­ra co­man­dar ca­mi­sa do ní­vel da do Bra­sil, Dun­ga te­ve vi­da du­ra nes­sa no­va eta­pa. Co­me­çou seu tra­ba­lho as­su­min­do uma Se­le­ção em fran­ga­lhos, que aca­ba­ra de ser hu­mi­lha­da pe­la Ale­ma­nha por 7 a 1 em uma se­mi­fi­nal de Co­pa do Mun­do e no Bra­sil.

Aos pou­cos foi dan­do sua ca­ra ao ti­me, uma ca­ra não mui­to cla­ra, sem pos­tu­ra tá­ti­ca de­fi­ni­da e fo­ca­da mais na ra­ça e em­pe­nho dos atle­tas. O re­sul­ta­do ini­ci­al até que foi bom, com dez vi­tó­ri­as se­gui­das. A pres­são au­men­tou em seu pri­mei­ro tor­neio ofi­ci­al, na Co­pa Amé­ri­ca do Chi­le, ano pas­sa­do, quan­do per­deu pa­ra a Colôm­bia na fa­se de gru­pos, e pi­o­rou quan­do o Bra­sil foi eli­mi­na­do pe­lo Pa­ra­guai nas quar­tas. “Tu­do bem”, di­zi­am, era só o co­me­ço de um tra­ba­lho.

Vi­e­ram as Eli­mi­na­tó­ri­as e com ela mais pro­ble­mas: fo­ram seis jo­gos à fren­te do Bra­sil, com ape­nas du­as vi­tó­ri­as (con­tra Pe­ru e Ve­ne­zu­e­la), três em­pa­tes e uma der­ro­ta, re­sul­tan­do em um es­pan­to­so sex­to lu­gar, que dei­xa­ria o país fo­ra da Co­pa do Mun­do de 2018.

A go­ta d’água foi a Co­pa Amé­ri­ca Cen­te­ná­rio. Em um gru­po com Equa­dor, Hai­ti e Pe­ru, con­se­guiu em­pa­tar em 0 a 0 com o pri­mei­ro, go­le­ar o se­gun­do por 7 a 1 e per­der de 1 a 0 pa­ra o ter­cei­ro, sen­do eli­mi­na­do da dis­pu­ta. A si­tu­a­ção fi­cou in­sus­ten­tá­vel e a CBF, pre­si­di­da pe­lo su­mi­do Mar­co Po­lo Del Ne­ro, de­ci­diu de­mi­tir não só Dun­ga, co­mo Gil­mar Ri­nal­di, co­or­de­na­dor de se­le­ções, e to­dos da co­mis­são téc­ni­ca. O sal­va­dor? O pro­vá­vel no­vo es­co­lhi­do pa­ra ten­tar re­cu­pe­rar um pou­co do que o fu­te­bol bra­si­lei­ro re­pre­sen­ta é Ti­te. Se es­co­lhi­do, ele se des­pe­de do Ti­mão amanhã, no jo­go con­tra o Flu­mi­nen­se, no Rio. Até o fe­cha­men­to des­ta edi­ção, às 23h, o téc­ni­co ain­da ne­go­ci­a­va com a cú­pu­la da CBF. Além de­le, foi anun­ci­a­do o ex-la­te­ral Le­o­nar­do co­mo co­or­de­na­dor.

Ga­ba­ri­ta­do pe­las con­quis­tas no Co­rinthi­ans nos úl­ti­mos anos, se con­fir­ma­do trei­na­dor, ele te­rá mui­to tra­ba­lho pe­la fren­te. Pri­mei­ro, o de con­quis­tar a mo­ral dos jo­ga­do­res, cons­tan­te­men­te pres­si­o­na­dos pe­lo re­sul­ta­do na Co­pa de 2014. De­pois, a de fa­zer com que es­ses atle­tas sin­tam-se hon­ra­dos por ves­tir a ca­mi­se­ta ama­re­la. Por fim, a de tra­zer a tor­ci­da pa­ra per­to no­va­men­te, se or­gu­lhan­do da Se­le­ção.

Re­sul­ta­dos e tí­tu­los apa­re­cem em con­sequên­cia de de­di­ca­ção, es­tu­do e or­ga­ni­za­ção, pa­la­vras que não com­bi­nam com CBF, mas que po­dem ser uti­li­za­das mui­to bem por Ti­te ca­so te­nha au­to­no­mia pa­ra tra­ba­lhar. ME­TRO

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.