JA­MES WANN QUER SER O J.J. ABRAMS DO TER­ROR

Metro Brazil (ABC) - - Cultura -

Acos­tu­ma­do a trans­for­mar fil­mes de bai­xo or­ça­men­to co­mo “Jo­gos Mor­tais”, “So­bre­na­tu­ral” e “In­vo­ca­ção do Mal” em fran­qui­as mi­li­o­ná­ri­as de ter­ror, Ja­mes Wan viu em “Ve­lo­zes e Fu­ri­o­sos 7” a chan­ce de di­ver­si­fi­car sua fil­mo­gra­fia. “Foi li­ber­ta­dor che­gar ao set e não ter que pen­sar em uma ce­na assustadora. Eu po­dia fa­zer qual­quer coi­sa que pen­sas­se”, dis­se o di­re­tor em entrevista ao Ome­le­te.

A tro­ca, po­rém, não é uma for­ma de des­de­nhar o gê­ne­ro que ca­ta­pul­tou sua car­rei­ra. “Amo ter­ror. É uma pla­ta­for­ma tão boa pa­ra eu mos­trar as mi­nhas ha­bi­li­da­des co­mo ci­ne­as­ta”, ga­ran­tiu Wann, que se pre­pa­ra pa­ra co­man­dar o fil­me do Aqua­man.

Na adap­ta­ção do su­per-he­rói pa­ra os ci­ne­mas, ele vê a chan­ce de cri­ar o seu pró­prio mun­do: “Sou um gran­de fã de ca­ras co­mo Ja­mes Ca­me­ron, Spi­el­berg e Tim Bur­ton e que­ro usar a te­lo­na co­mo se fos­se a cri­a­ção de um mun­do di­re­to da mi­nha ca­be­ça”.

Nes­sa jor­na­da pa­ra ex­pan­dir seus ho­ri­zon­tes, mas sem aban­do­nar de vez o ter­ror, seu exem­plo vem de ou­tro no­me de Hollywo­od. No co­man­do da pro­du­to­ra Ato­mic Mons­ter, Wan diz que quer ser o pri­mo punk da Bad Ro­bot, fa­zen­do pe­lo ter­ror o que J.J. Abrams faz pe­la fic­ção ci­en­tí­fi­ca. “Ele faz es­ses fil­mes de gran­de or­ça­men­to, mas sua em­pre­sa pro­duz es­ses pe­que­nos sus­pen­ses de ação. Ad­mi­ro mui­to is­so e es­tou me mol­dan­do em tor­no de J.J, do for­ma­to do seu ne­gó­cio.”

DI­VULGAÇÃO

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.