Mer­ca­dos. Dó­lar re­cua a R$ 3,30, me­nor ní­vel em 11 me­ses; Bol­sa so­be 1,55%

Metro Brazil (ABC) - - Economia -

In­ves­ti­do­res re­a­gi­ram à re­cu­pe­ra­ção dos mer­ca­dos glo­bais após du­as ses­sões de mau hu­mor com a de­ci­são do Rei­no Uni­do de dei­xar a União Eu­ro­peia e à pers­pec­ti­va de que o Ban­co Cen­tral bra­si­lei­ro não de­ve cor­tar os ju­ros tão ce­do.

O dó­lar re­cu­ou 2,61%, a R$ 3,3060 na ven­da, me­nor ní­vel de fe­cha­men­to des­de 23 de ju­lho de 2015 (R$ 3,2958). O eu­ro caiu 2,29%, a R$ 3,657.

Em­bo­ra mui­tos ope­ra­do­res te­mam que a ins­ta­bi­li­da­de po­lí­ti­ca ge­ra­da pe­la saí­da bri­tâ­ni­ca da UE gol­peie a eco­no­mia glo­bal e o ape­ti­te por ris­co, ex­pec­ta­ti­vas de que os ban­cos cen­trais vão to­mar me­di­das pa­ra mi­ni­mi­zar os efei­tos ne­ga­ti­vos do Bre­xit le­va­ram bom hu­mor aos mer­ca­dos.

No Bra­sil, o mo­vi­men­to foi im­pul­si­o­na­do tam­bém pe­la pers­pec­ti­va de que o BC só vol­te a cor­tar os ju­ros bá­si­cos em ou­tu­bro e pe­la au­sên­cia da au­to­ri­da­de mo­ne­tá­ria do câm­bio, se­gun­do a Reuters. A ma­nu­ten­ção da Se­lic em 14,25%, uma das mai­o­res ta­xas de ju­ros do mun­do, por mais tem­po ten­de a sus­ten­tar a atra­ti­vi­da­de do mer­ca­do local pa­ra in­ves­ti­do­res es­tran­gei­ros.

O Ibo­ves­pa, prin­ci­pal ín­di­ce da Bol­sa bra­si­lei­ra, acom­pa­nhou a re­cu­pe­ra­ção dos mer­ca­dos in­ter­na­ci­o­nais e fe­chou em al­ta de 1,55%, a 50.006 pon­tos.

“Após dois di­as de bai­xa, as Bol­sas glo­bais mos­tram al­gu­ma re­a­ção. É o pri­mei­ro res­pi­ro após (a saí­da bri­tâ­ni­ca da UE)”, es­cre­ve­ram ana­lis­tas da cor­re­to­ra Gui­de In­ves­ti­men­tos em re­la­tó­rio. “A me­lho­ra, no en­tan­to, ten­de a ser pro­vi­só­ria, em nos­sa opi­nião. Ain­da há mui­to a dis­cu­tir e as in­cer­te­zas con­ti­nu­a­rão pre­sen­tes”, acres­cen­ta­ram.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.