CU­NHA VAI PA­RA AS SOM­BRAS

De­pu­ta­do re­nun­cia à pre­si­dên­cia da Câ­ma­ra pa­ra, lon­ge dos ho­lo­fo­tes, cos­tu­rar acor­dos du­ran­te o re­ces­so par­la­men­tar e evi­tar a cas­sa­ção na vo­ta­ção em ple­ná­rio

Metro Brazil (ABC) - - Front Page - MAR­CE­LO FREITAS ME­TRO BRA­SÍ­LIA

Com a si­tu­a­ção po­lí­ti­ca em fran­ga­lhos, o de­pu­ta­do afastado Edu­ar­do Cu­nha (PMDB-RJ) re­nun­ci­ou on­tem à pre­si­dên­cia da Câ­ma­ra. A saí­da, con­tu­do, não de­ve ser o úl­ti­mo ato de­le. Ele tra­ba­lha pa­ra in­flu­en­ci­ar na es­co­lha do su­ces­sor e atua por um acor­do que o li­vre da cas­sa­ção.

Com a de­ci­são sa­cra­men­ta­da, a de­fe­sa de Cu­nha par­tiu ime­di­a­ta­men­te pa­ra ou­tro pla­no: entrou com no­vo re­cur­so na CCJ (Co­mis­são de Cons­ti­tui­ção e Jus­ti­ça) ale­gan­do que ele foi jul­ga­do co­mo pre­si­den­te da Ca­sa e, por is­so, a mudança de si­tu­a­ção for­ça­ria a re­vi­são de to­do pro­ces­so.

Ali­a­do de Cu­nha, o pre­si­den­te da CCJ, Os­mar Ser­ra­glio (PMDB-PR) re­mar­cou a ses­são do co­le­gi­a­do de se­gun­da pa­ra ter­ça, mes­mo dia da elei­ção do no­vo pre­si­den­te da Câ­ma­ra, o que de­ve­rá adi­ar a reu­nião. Além dis­so, Ser­ra­glio po­de­rá de­ci­dir so­zi­nho so­bre o no­vo re­cur­so. O anún­cio Pe­la ma­nhã, Cu­nha, afastado des­de 5 de maio, pe­diu au­to­ri­za­ção ao STF (Su­pre­mo Tri­bu­nal Fe­de­ral) pa­ra vol­tar ao Sa­lão Ver­de da Câ­ma­ra e anun­ci­ar a re­nún­cia. Ao ler a car­ta, Cu­nha se emo­ci­o­nou ao fa­lar da fa­mí­lia, fez crí­ti­cas a Wal­dir Ma­ra­nhão (PP-MA) e se co­lo­cou co­mo ‘ví­ti­ma de per­se­gui­ção’ por ter de­fla­gra­do o pro­ces­so de im­pe­a­ch­ment de Dil­ma Rous­seff. “Te­nho cons­ci­ên­cia tran­qui­la não só da mi­nha ino­cên­cia, bem co­mo de ter con­tri­buí­do pa­ra que o meu país se tor­nas­se me­lhor e se li­vras­se do cri­mi­no­so go­ver­no do PT”, ata­cou. “A his­tó­ria fa­rá Jus­ti­ça ao ato de co­ra­gem.”

Até en­tão re­sis­ten­te à ideia, ele to­mou a de­ci­são depois de uma reu­nião que va­rou a ma­dru­ga­da na re­si­dên­cia ofi­ci­al da pre­si­dên­cia da Câ­ma­ra. Ha­via pou­cos ali­a­dos pre­sen­tes, si­tu­a­ção ra­ra nos pri­mei­ros dos 17 me­ses em que exer­ceu a fun­ção, e ca­da vez mais co­mum ul­ti­ma­men­te.

O gru­po fez um ma­pe­a­men­to re­a­lis­ta das chan­ces do re­cur­sos na CCJ ser apro­va­do pa­ra de­vol­ver o pro­ces­so de cas­sa­ção ao Con­se­lho de Éti­ca. A pers­pec­ti­va foi ne­ga­ti­va. Fo­ra do fo­co Cu­nha acre­di­ta que po­de­rá ga­nhar tem­po. Ava­lia que te­rá uma saí­da de ce­na for­ça­da pe­lo re­ces­so a par­tir da pró­xi­ma se­ma­na, e tra­ba­lha com a hi­pó­te­se de a cas­sa­ção não so­frer reviravolta e só ir ao ple­ná­rio mes­mo em agos­to.

O par­la­men­tar tam­bém

“Re­sol­vi ce­der aos ape­los ge­ne­ra­li­za­dos dos meus apoi­a­do­res. A Ca­sa es­tá acé­fa­la, fru­to de uma in­te­ri­ni­da­de bi­zar­ra. So­men­te a mi­nha re­nún­cia po­de­rá pôr fim a es­sa ins­ta­bi­li­da­de sem pra­zo.” EDU­AR­DO CU­NHA, DE­PU­TA­DO PMDB-RJ

es­pe­ra ter alí­vio da pressão no STF. Fo­ra do car­go, ele te­rá as du­as ações das qu­ais é réu – por acu­sa­ção de re­ce­bi­men­to de US$ 5 mi­lhões em pro­pi­nas e por man­ter con­tas ile­gais no ex­te­ri­or – jul­ga­das pe­la 2ª Tur­ma, for­ma­da por cin­co mi­nis­tros, e não mais pe­lo ple­ná­rio. Pre­o­cu­pa­ção Re­nun­ci­ar nun­ca es­te­ve no ho­ri­zon­te de Cu­nha. A hi­pó­te­se co­me­çou a ser con­si­de­ra­da no iní­cio de ju­nho, quan­do a mu­lher, Cláudia Cruz, se tor­nou ré da La­va Ja­to por eva­são de di­vi­sas e la­va­gem de di­nhei­ro. Ver Cláudia e uma das fi­lhas, Da­ni­el­le Dytz, tam­bém in­ves­ti­ga­da, pre­sas tor­nou-se sua mai­or pre­o­cu­pa­ção.

| MAR­CE­LO CA­MAR­GO/ABR

Após 1 ano e 5 me­ses no car­go, Cu­nha cho­ra ao anun­ci­ar saí­da

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.