Ama­do eO­di­a­do

Ca­sa do Olhar de San­to An­dré re­ce­be ex­po­si­ção de An­drey Ros­si que enaltece o ex­cên­tri­co e ques­ti­o­na os pa­drões de be­le­za

Metro Brazil (ABC) - - Cultura -

Co­mo for­ma de ques­ti­o­nar os pa­drões de be­le­za de­fi­ni­dos pe­la so­ci­e­da­de, o ar­tis­ta An­drey Ros­si ex­põe na Ca­sa do Olhar Luiz Sa­ci­lot­to, em San­to An­dré, até dia 30 de ju­lho, a mos­tra “Ama­do e Odi­a­do”. O tra­ba­lho re­ve­la que o ex­cên­tri­co tam­bém po­de ser ad­mi­ra­do.

A ex­po­si­ção con­ta com dez te­las, seis de­se­nhos, uma es­cul­tu­ra e uma ins­ta­la­ção (in­te­gra­ção do es­pa­ço fí­si­co com a obra). To­das as te­las já fo­ram ex­pos­tas an­te­ri­or­men­te em Pa­ris, no ano pas­sa­do, mas são iné­di­tas no Bra­sil.

Ros­si já par­ti­ci­pou de 20 ex­po­si­ções, en­tre in­di­vi­du­ais e co­le­ti­vas, tan­to no Bra­sil co­mo em paí­ses co­mo Fran­ça, Es­ta­dos Uni­dos, Ar­gen­ti­na e Fin­lân­dia.

Exal­tar o exó­ti­co sem­pre es­te­ve pre­sen­te em su­as cer­ca de 150 obras ao lon­go da car­rei­ra, diz o ar­tis­ta. “A es­té­ti­ca do gro­tes­co sem­pre me in­te­res­sou mui­to. Es­se con­cei­to me atrai. Nun­ca ti­ve apre­ço pa­ra tra­ba­lhar com ima­gens li­ga­das ape­nas à be­le­za es­té­ti­ca.”

A ideia de co­me­çar a tra­ba­lhar com es­se es­ti­lo de ar­te sur­giu após uma pes­qui­sa de mes­tra­do, pe­la Uni­camp (Uni­ver­si­da­de Es­ta­du­al de Cam­pi­nas), on­de es­tu­dou o cor­po e sua di­a­lé­ti­ca exis­ten­ci­al. “Es­sa es­té­ti­ca da be­le­za sem­pre exis­tiu, mas o ‘cor­po mos­tro’, de­ce­pa­do, atro­fi­a­do, se po­ten­ci­a­li­zou no ce­ná­rio con­tem­po­râ­neo. Ve­mos mui­to no ci­ne­ma os mons­tros e lin­gua­gens dis­for­mes, ti­po Fran­kens­tein”, ex­pli­ca.

Ar­tis­ta pro­fis­si­o­nal des­de 2008 e atu­al­men­te in­te­gran­te da Oma Ga­le­ria, de São Ber­nar­do, Ros­si afir­ma ter des­per­ta­do o gos­to por de­se­nhos quan­do era cri­an­ça. Ho­je, ele tem en­tre su­as re­fe­rên­ci­as os tra­ba­lhos da ca­ri­o­ca Adri­a­na Va­re­jão e a an­gús­tia trans­mi­ti­da nas obras do ita­li­a­no Ca­ra­vag­gio.

Ros­si afir­ma que­rer im­pres­si­o­nar o pú­bli­co e cau­sar sen­sa­ções ao ve­rem su­as obras, mas não ne­ces­sa­ri­a­men­te bo­as. “Qu­e­ro que qu­em ve­ja quei­ra ex­pe­ri­men­tar no­vas sen­sa­ções vi­su­ais. Gos­ta­ria que ao ob­ser­var a pes­soa se ques­ti­o­ne so­bre sua pró­pria exis­tên­cia, o que aguar­da­ria após es­se cor­po, es­sa cas­ca que uma ho­ra vai de­fi­nhar”, diz. ME­TRO ABC

‘Con­traí­do’ as­su­me tam­bém ou­tra for­ma ‘Ob­je­to es­cul­tó­rio’, de An­drey Ros­si

‘Con­traí­do’ é uma das obras de An­drey Ros­si

DI­VUL­GA­ÇÃO

Ex­po­si­ção tam­bém tem ‘Mu­ti­la­ção poé­ti­ca’

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.