Ber­nar­do, Cu­nha e Aé­cio são ci­ta­dos em mensagens

WhatsApp de Otá­vio Azevedo, da An­dra­de Gu­ti­er­rez, su­ge­re re­pas­ses a tu­ca­no e pe­tis­ta, além de in­fluên­cia de Cu­nha em me­di­da pro­vi­só­ria al­vo da ope­ra­ção Ze­lo­tes

Metro Brazil (ABC) - - Brasil - RA­FA­EL NE­VES

Mensagens de WhatsApp apre­en­di­das com Otá­vio Azevedo, ex-pre­si­den­te da An­dra­de Gu­ti­er­rez, le­van­ta­ram suspeitas da PF (Po­lí­cia Fe­de­ral) em re­la­tó­ri­os que ci­tam, en­tre ou­tros, o de­pu­ta­do afas­ta­do Edu­ar­do Cu­nha (PMDB-RJ), o se­na­dor Aé­cio Ne­ves (PSDB-MG) e o ex-mi­nis­tro pe­tis­ta Pau­lo Ber­nar­do. Azevedo e ou­tros exe­cu­ti­vos da An­dra­de fi­ze­ram de­la­ção pre­mi­a­da, ain­da em si­gi­lo.

Em um dos tex­tos apre­en­di­dos, Cu­nha con­fir­ma a Azevedo que “acer­tou pon­tos” da MP 627 – que tra­ta­va de ta­xa­ção de lu­cros de em­pre­sas bra­si­lei­ras fo­ra do país – a pe­di­do da cons­tru­to­ra Ode­bre­cht. San­ci­o­na­da com ve­tos pe­la pre­si­den­te Dil­ma em 2014, a MP 627 é al­vo de in­ves­ti­ga­ção da ope­ra­ção Ze­lo­tes, que apu­ra pro­pi­nas a po­lí­ti­cos em tro­ca da apro­va­ção.

Em ou­tra men­sa­gem, Cu­nha pas­sa a Azevedo nú­me­ros de con­ta ban­cá­ria, in­di­can­do de­pó­si­to pa­ra a cam­pa­nha do ex-mi­nis­tro Hen­ri­que Al­ves (PMDB) ao go­ver­no do Rio Gran­de do Nor­te.

Em no­ta, Cu­nha afir­ma que “com re­la­ção à MP 627, vá­ri­as ma­té­ri­as fo­ram dis­cu­ti­das, não só com os se­to­res, co­mo com o go­ver­no, por e-mails. Quan­to a pas­sar da­dos de con­tas de Hen­ri­que Al­ves, não há na­da além de uma so­li­ci­ta­ção trans­pa­ren­te de do­a­ção le­gal”. O ex-mi­nis­tro não foi en­con­tra­do. Aé­cio No ca­so do se­na­dor tu­ca­no, as mensagens são tro­ca­das en­tre Azevedo e Oswal­do Bor­ges, ex-pre­si­den­te da Com­pa­nhia de De­sen­vol­vi­men­to de Mi­nas Ge­rais e li­ga­do a Aé­cio. Na con­ver­sa, em 27 de agos­to de 2014 – du­ran­te as elei­ções pre­si­den­ci­ais–, Bor­ges apa­ren­ta pe­dir a con­fir­ma­ção de um pa­ga­men­to. Otá­vio res­pon­de “já foi fei­to”, e Bor­ges re­pli­ca: “Obri­ga­do Ota­vio. Com vc fun­ci­o­na!!!rsrs”.

A as­ses­so­ria do tu­ca­no afir­mou que “as mensagens são au­to­ex­pli­ca­ti­vas e tra­zem um con­teú­do ab­so­lu­ta­men­te cor­re­to”, e que a do­a­ção ci­ta­da nes­ta da­ta foi le­gal e es­tá re­gis­tra­da. Pau­lo Ber­nar­do As mensagens en­tre Ber­nar­do e Azevedo fo­ram tro­ca­das em 30 de agos­to e 3 de se­tem­bro de 2014, tam­bém du­ran­te as elei­ções. Ber­nar­do pe­de a con­fir­ma­ção de “uma con­ver­sa” pa­ra o dia 2, e no dia se­guin­te Azevedo es­cre­ve: “Con­fi­ra pois caiu ago­ra !!!! ”, o que su­ge­re um de­pó­si­to. A de­fe­sa de Ber­nar­do diz que “não há nem nun­ca hou­ve na­da de er­ra­do ou ilí­ci­to no te­or des­sas con­ver­sas”.

| GE­RAL­DO MAGELA/AGÊN­CIA SE­NA­DO

Aé­cio é al­vo de dois inqué­ri­tos no STF

| FABIO POZZEBOM / ABR

Cu­nha ne­ga de­nún­ci­as da PGR na La­va Ja­to

| RE­NA­TO ARAÚ­JO / ABR

Ber­nar­do che­gou a ser pre­so na Cus­to Bra­sil

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.