Bra­si­lei­ra põe Bal­let de San­ti­a­go pa­ra exal­tar a dan­ça com ‘Zor­ba’

Metro Brazil (ABC) - - Cultura -

Qu­an­do a cri­se ba­ter à por­ta, dan­ce! Es­se é o le­ma que a co­reó­gra­fa e bai­la­ri­na Mar­cia Hay­dée anun­cia com a tur­nê bra­si­lei­ra de “Zor­ba, O Gre­go”, es­pe­tá­cu­lo cri­a­do por Lor­ca Mas­si­ne em 1988 que es­treia ho­je no Te­a­tro Al­fa.

À fren­te do Bal­let de San­ti­a­go des­de 2004, a bra­si­lei­ra que en­con­trou no ro­man­ce de Ni­kos Ka­zant­za­kis uma res­pos­ta da dan­ça ao tempo de in­cer­te­zas que vi­ve­mos.

“Es­te é o mo­men­to cer­to pa­ra um ba­lé co­mo ‘Zor­ba’ vi­a­jar o mun­do in­tei­ro, por­que es­ta­mos pas­san­do por uma fa­se mui­to di­fí­cil tan­to no Bra­sil quan­to na Eu­ro­pa. O en­si­na­men­to de­le é: se você es­tá de­pri­mi­do e não tem mais na­da na vi­da, po­nha uma mú­si­ca e dan­ce”, diz ela.

A obra re­to­ma a his­tó­ria imor­ta­li­za­da no fil­me que re­ce­beu três Os­cars em 1965 e eter­ni­zou a fi­gu­ra do ator Anthony Quinn (1915-2001) co­mo o gre­go sem ei­ra nem bei­ra que se tor­na ami­go de um es­tran­gei­ro e o en­si­na co­mo apro­vei­tar a vi­da com seu mo­do des­po­ja­do de ser.

“Es­sa é uma obra mui­to po­de­ro­sa e acho que ela le­va ale­gria ao pú­bli­co. O es­pe­tá­cu­lo ter­mi­na com o fa­mo­so sir­ta­ki [dan­ça tra­di­ci­o­nal gre­ga] e as pes­so­as vão à lou­cu­ra. Es­sa é uma re­a­ção mui­to lin­da”, afir­ma a di­re­to­ra.

A tri­lha do ba­lé é as­si­na­da por Mi­kis The­o­do­ra­kis, tam­bém res­pon­sá­vel pe­la mú­si­ca do fil­me, e tem co­mo trun­fo a per­for­man­ce do bai­la­ri­no Rodrigo Guz­man, elo­gi­a­do por Mas­si­ne co­mo o me­lhor Zor­ba que já exis­tiu. “Ele tem mui­to do Zor­ba co­mo pes­soa. A dan­ça é tu­do pa­ra ele. Em vez de pa­rar de dan­çar por es­tar de­pri­mi­do, ele vai dan­çar jus­ta­men­te pa­ra se li­ber­tar des­se sen­ti­men­to”, exal­ta Hay­dée, que des­ta­ca ain­da o vi­gor da co­re­o­gra­fia, equi­li­bra­da en­tre o ba­lé clás­si­co e as dan­ças tra­di­ci­o­nais gre­gas.

“É co­mo se fos­se ma­ra­to­na. Os bai­la­ri­nos co­me­çam e não pa­ram. Não há pan­to­mi­ma, a his­tó­ria é con­ta­da to­da com a dan­ça.” ME­TRO

| DI­VUL­GA­ÇÃO

Bai­la­ri­no Rodrigo Guz­man en­car­na pa­pel-tí­tu­lo

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.