DE NO­VO, O TER­ROR

Ca­mi­nhão avan­ça so­bre mul­ti­dão e dei­xa ras­tro com ao me­nos 77 mor­tos e 100 fe­ri­dos du­ran­te ce­le­bra­ção do Dia da Bas­ti­lha em Ni­ce, no sul da Fran­ça; mo­to­ris­ta foi aba­ti­do pe­la po­lí­cia

Metro Brazil (ABC) - - Front Page - Ve­ja mais no me­tro­jor­nal.com.br

Mi­lha­res de fran­ce­ses co­me­mo­ra­vam na noi­te de on­tem o Dia da Bas­ti­lha em Ni­ce, na Ri­vi­e­ra Fran­ce­sa, qu­an­do fo­ram ata­ca­dos por um ca­mi­nhão que in­va­diu vi­o­len­ta­men­te a mul­ti­dão, não dei­xan­do chan­ce de fu­ga a de­ze­nas de pes­so­as. Ao me­nos 77 mor­re­ram e mais de cem fi­ca­ram fe­ri­dos.

É ve­rão no He­mis­fé­rio Nor­te, a noi­te des­ce so­men­te após às 22h. As ru­as pró­xi­mas à Pro­me­na­de des An­glais, ave­ni­da bei­ra-mar de Ni­ce, es­ta­vam lo­ta­das de gen­te que ocu­pa­va me­sas em seus ba­res e res­tau­ran­tes.

De re­pen­te, por vol­ta das 22h30 (17h30 em Bra­sí­lia), pou­co an­tes da quei­ma de fo­gos que mar­ca o mais im­por­tan­te fe­ri­a­do fran­cês, um ca­mi­nhão a cer­ca de 70 km/h de ve­lo­ci­da­de in­va­diu a ave­ni­da.

Após atro­pe­lar as pes­so­as, ar­ras­tan­do mui­tas de­las por mais de dois quilô­me­tros ave­ni­da afo­ra, o mo­to­ris­ta fi­nal­men­te foi mor­to pe­la po­lí­cia. “Qu­e­ri­dos re­si­den­tes de Ni­ce, o mo­to­ris­ta de um ca­mi­nhão apa­ren­te­men­te cau­sou de­ze­nas de mor­tes” Tes­te­mu­nhas afir­mam que ele sabia o que es­ta­va fa­zen­do. Te­ria ace­le­ra­do pro­po­si­ta­da­men­te so­bre a mul­ti­dão e, em se­gui­da, co­me­ça­do a ati­rar. Ato ter­ro­ris­ta? O Mi­nis­té­rio do In­te­ri­or con­fir­mou que o mo­to­ris­ta do ca­mi­nhão foi neu­tra­li­za­do no lo­cal. Ago­ra, in­ves­ti­ga­do­res ten­tam des­co­brir se ele agiu so­zi­nho ou não e pro­cu­ram po­ten­ci­ais cúm­pli­ces.

Vá­ri­as ar­mas, fu­zis e gra­na­das fo­ram en­con­tra­das no in­te­ri­or do ca­mi­nhão. Nas re­des so­ci­ais, mais tes­te­mu­nhas re­la­ta­vam um ce­ná­rio de ca­os, com mui­tos fe­ri­dos e cor­pos es­pa­lha­dos. Cen­te­nas de pes­so­as fu­gi­ram, en­quan­to ou­tras bus­ca­vam abri­go em res­tau­ran­tes.

Até o iní­cio da ma­dru­ga­da, o Po­lo An­ti­ter­ro­ris­ta do Mi­nis­té­rio Pú­bli­co, que in­ves­ti­ga os ca­sos de aten­ta­dos de na­tu­re­za ter­ro­ris­ta, ain­da não ha­via si­do ofi­ci­al­men­te aci­o­na­do pa­ra a apu­ra­ção. As au­to­ri­da­des fa­lam por ora em “aten­ta­do cri­mi­no­so”, mas ain­da não em aten­ta­do ter­ro­ris­ta. Tam­pou­co há con­fir­ma­ção de rei­vin­di­ca­ção de ata­que por or­ga­ni­za­ções na­ci­o­nais ou in­ter­na­ci­o­nais. ME­TRO

FRAN­ÇOIS MOLLINS, PRE­FEI­TO DE NI­CE

ERIC GAILLARD/REUTERS

Cor­po de uma das ví­ti­mas do atro­pe­la­men­to na Pro­me­na­de des An­glais, em Ni­ce

| ERIC GAILLARD /REUTERS

Cor­pos de ví­ti­mas atro­pe­la­das ja­zem na ave­ni­da

| ERIC GAILLARD /REUTERS

Po­lí­cia fo­ren­se re­co­lhe ma­te­ri­al no lo­cal do aci­den­te

ERIC GAILLARD /REUTERS

Sol­da­dos fran­ce­ses che­gam ao lo­cal da tra­gé­dia|

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.