Após 5 ho­ras ca­la­do, WhatsApp vol­ta a fa­lar por de­ci­são do STF

Apli­ca­ti­vo tem ser­vi­ço sus­pen­so em to­do o país por Jus­ti­ça do Rio. Mi­nis­tro fa­la em cri­ar le­gis­la­ção es­pe­cí­fi­ca pa­ra o app

Metro Brazil (ABC) - - Front Page -

Du­rou pou­co, ape­nas cin­co ho­ras, mas o blo­queio do WhatsApp pre­ju­di­cou os mais de 100 mi­lhões de usuá­ri­os do apli­ca­ti­vo em to­do o país. On­tem, pe­la ter­cei­ra vez, nes­se ca­so por de­ter­mi­na­ção da Jus­ti­ça do Rio, o app co­me­çou a ser blo­que­a­do por vol­ta das 14h. A de­ci­são foi de­ter­mi­na­da pe­la juí­za Da­ni­el­la Bar­bo­sa As­sump­ção de Sou­za, da Va­ra de Exe­cu­ções Pe­nais de Du­que de Ca­xi­as, na Bai­xa­da Flu­mi­nen­se, que ale­gou que a em­pre­sa des­cum­priu de­ci­são ju­di­ci­al de in­ter­cep­tar men­sa­gens tro­ca­das pe­lo apli­ca­ti­vo em uma in­ves­ti­ga­ção cri­mi­nal.

No fim da tar­de, o pre­si­den­te do STF (Su­pre­mo Tri­bu­nal Fe­de­ral), mi­nis­tro Ri­car­do Lewan­dows­ki, sus­pen­deu a de­ci­são ao ana­li­sar pe­ti­ção im­pe­tra­da pe­lo par­ti­do PPS. Se­gun­do Lewan­dows­ki, a me­di­da foi des­pro­por­ci­o­nal e vi­o­lou a ga­ran­tia da li­ber­da­de de ex­pres­são e co­mu­ni­ca­ção.

Pe­la de­ci­são do STF, por vol­ta de 17h30, o ser­vi­ço de­ve­ria ser res­ta­be­le­ci­do ime­di­a­ta­men­te após a Jus­ti­ça do Rio ser no­ti­fi­ca­da. Não ha­via pra­zo, mas, por vol­ta das 19h, mui­tos usuá­ri­os já re­la­ta­vam que o apli­ca­ti­vo ti­nha vol­ta­do a fun­ci­o­nar. “Re­pu­bli­que­ta” A juí­za Da­ni­el­la Bar­bo­sa co­bra­va do Fa­ce­bo­ok, pro­pri­e­tá­rio do WhatsApp, que as men­sa­gens de uma or­ga­ni­za­ção cri­mi­no­sa de Ca­xi­as, cu­ja in­ves­ti­ga­ção es­tá sob si­gi­lo, fos­sem des­vi­a­das em tem­po re­al an­tes de se­rem crip­to­gra­fa­das. Ela ale­gou que a em­pre­sa foi no­ti­fi­ca­da três ve­zes e li­mi­tou-se a res­pon­der, em in­glês, que não ar­qui­va e não co­pia men­sa­gens com­par­ti­lha­das en­tre os usuá­ri­os.

A ma­gis­tra­da ain­da afir­mou que o tra­ta­men­to da em­pre­sa mos­tra co­mo ela tra­ta o país co­mo “uma re­pu­bli­que­ta”.

Já o Fa­ce­bo­ok, que che­gou a en­trar com man­da­do de se­gu­ran­ça pa­ra der­ru­bar o blo­queio, ale­gou que não po­de­ria cum­prir a de­ci­são por não po­der “com­par­ti­lhar in­for­ma­ções às quais não tem aces­so”, já que as men­sa­gens são crip­to­gra­fa­das e, por­tan­to, não aces­sí­veis.

Es­sa foi a ter­cei­ra vez que o WhatsApp é sus­pen­so no país. Em to­dos os ca­sos, o blo­queio ocor­reu após a em­pre­sa se re­cu­sar a cum­prir a de­ter­mi­na­ção de que­brar o si­gi­lo de da­dos tro­ca­dos en­tre in­ves­ti­ga­dos cri­mi­nais.

O CEO do apli­ca­ti­vo, Jan Koum, cri­ti­cou a de­ci­são em sua con­ta no Fa­ce­bo­ok: “É cho­can­te que me­nos de dois me­ses após o pú­bli­co e os le­gis­la­do­res bra­si­lei­ros te­rem re­jei­ta­do ve­e­men­te­men­te o blo­queio do ser­vi­ço do WhatsApp, a his­tó­ria se re­pi­ta.” Le­gis­la­ção Se­gun­do o mi­nis­tro da Jus­ti­ça, Ale­xan­dre de Mo­ra­es, é pre­ci­so cri­ar le­gis­la­ção es­pe­cí­fi­ca pa­ra o apli­ca­ti­vo: “Es­ta­mos ela­bo­ran­do um pro­je­to pa­ra que a em­pre­sa te­nha se­de no Bra­sil pa­ra que per­mi­ta, tec­no­lo­gi­ca­men­te, for­ne­cer as in­for­ma­ções bra­si­lei­ras”.

Já a Po­lí­cia Ci­vil do Rio ava­lia ins­tau­rar um pro­ce­di­men­to “pa­ra apu­ra­ção do cri­me de obs­tru­ção de Jus­ti­ça, pre­vis­to na Lei de Or­ga­ni­za­ção Cri­mi­no­sa”. ME­TRO RIO

| REPRODUÇÃO/IN­TER­NET

Mais uma vez, me­mes in­va­di­ram as re­des so­ci­ais

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.