Ho­mens pla­ne­ja­vam ataque no Rio, diz PF

Con­si­de­ra­do ‘ama­dor’ pe­lo mi­nis­tro da Jus­ti­ça, gru­po que se ar­ti­cu­la­va pe­las re­des so­ci­ais ti­nha in­te­gran­tes em dez Es­ta­dos, fa­zia apo­lo­gia ao ter­ror e te­ria ju­ra­do fi­de­li­da­de ao Estado Is­lâ­mi­co; se­gun­do a PF, um dos mem­bros ten­tou com­prar um fu­zil. Ao to

Metro Brazil (ABC) - - Front Page -

A 15 di­as da aber­tu­ra da Olimpíada do Rio de Janeiro, a PF (Po­lí­cia Fe­de­ral) pren­deu on­tem dez ho­mens sus­pei­tos de li­ga­ção com o Estado Is­lâ­mi­co – um de­les é me­nor de ida­de – na ope­ra­ção ba­ti­za­da de Hash­tag. Ou­tros dois têm man­da­do de pri­são ex­pe­di­do. O gru­po es­ta­ria pla­ne­jan­do ata­ques ter­ro­ris­tas du­ran­te os Jo­gos Olím­pi­cos. A ope­ra­ção foi re­a­li­za­da em dez Es­ta­dos: Ama­zo­nas, Ceará, Pa­raí­ba, Goiás, Mato Gros­so, Mi­nas Ge­rais, Rio de Janeiro, São Paulo, Pa­ra­ná e Rio Gran­de do Sul.

Pa­ra che­gar até os sus­pei­tos foi fei­to o mo­ni­to­ra­men­to de men­sa­gens tro­ca­das em re­des so­ci­ais. A par­tir de abril, os agen­tes te­ri­am se in­fil­tra­do em gru­pos no What­sApp e Te­le­gram. Nas con­ver­sas, os sus­pei­tos fa­lam em trei­na­men­to de ar­tes mar­ci­ais e na com­pra de um fu­zil AK-47 num si­te es­pe­ci­a­li­za­do no Pa­ra­guai. Além dis­so, usa­ram a internet pa­ra fa­zer o ba­tis­mo, um ju­ra­men­to de lealdade ao Estado Is­lâ­mi­co. A ação foi clas­si­fi­ca­da como um “ato pre­pa­ra­tó­rio”.

O go­ver­no as­se­gu­rou que o gru­po não ti­nha ar­ma­men­to nem ex­plo­si­vos e não ti­ve­ram se­quer con­ta­to di­re­to com o gru­po terrorista. “Era uma cé­lu­la ama­do­ra, sem ne­nhum pre­pa­ro pla­ne­ja­do. Uma cé­lu­la or­ga­ni­za­da não ten­ta­ria com­prar uma ar­ma pe­la internet. É uma cé­lu­la de­sor­ga­ni­za­da”, ava­li­ou o mi­nis­tro da Jus­ti­ça, Ale­xan­dre de Moraes.

Os no­mes dos pre­sos fo­ram man­ti­dos sob si­gi­lo. A pri­são se­rá de 30 di­as, pror­ro­gá­veis por mais 30.

O go­ver­no con­si­de­ra que a pos­si­bi­li­da­de de ata­ques du­ran­te o even­to es­por­ti­vo é mí­ni­ma. Sem dar de­ta­lhes, o mi­nis­tro afir­mou que ou­tras pes­so­as es­tão sen­do mo­ni­to­ra­das. A pre­o­cu­pa­ção do go­ver­no é com os cha­ma­dos “lo­bos solitários”, sim­pa­ti­zan­tes do Estado Is­lâ­mi­co que pla­ne­jam so­zi­nhos ações iso­la­das.

“Não va­mos es­pe­rar um mi­lí­me­tro de qual­quer ato pre­pa­ra­tó­rio, por mais in­sig­ni­fi­can­te que pos­sa ser. Va­mos agir da ma­nei­ra mais dura pos­sí­vel”, afir­mou o mi­nis­tro.

Es­ta foi a pri­mei­ra ação com ba­se na lei an­ti­ter­ro­ris­mo. Os in­ves­ti­ga­dos po­de­rão res­pon­der por pro­mo­ção de organização terrorista e re­a­li­za­ção de atos pre­pa­ra­tó­ri­os de ter­ro­ris­mo. As pe­nas va­ri­am de 8 até 23 anos de pri­são, além do pa­ga­men­to de mul­ta.

| MÁ­RIO ÂN­GE­LO/SIGMAPRESS/FO­LHA­PRESS

Reprodução de vídeo mostra agen­tes da Po­lí­cia Fe­de­ral con­du­zin­do dois sus­pei­tos pre­sos na Ope­ra­ção Hash­tag, no ae­ro­por­to de Cum­bi­ca, em Gu­a­ru­lhos

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.