BOLÃO!

Em jo­go emo­ci­o­nan­te, a du­pla André Sá e Tho­maz Bel­luc­ci eli­mi­na os fa­vo­ri­tos ir­mãos Andy e Ja­mie Mur­ray; já a Se­le­ção mas­cu­li­na vol­ta a mos­trar um fu­te­bol mi­nús­cu­lo e não sai do ze­ro di­an­te do Ira­que

Metro Brazil (ABC) - - Front Page -

No mes­mo es­tá­dio Ma­né Gar­rin­cha, em Bra­sí­lia, e com a mes­ma es­ca­la­ção da so­no­len­ta es­treia de 0 a 0 con­tra a Áfri­ca do Sul, o Bra­sil en­trou em cam­po em bus­ca da sua pri­mei­ra vi­tó­ria no Gru­po A. Mas apre­sen­tou o mes­mo fu­te­bol no mes­mo 0 a 0, des­ta vez con­tra o Ira­que. Com o re­sul­ta­do, a Se­le­ção che­ga aos mes­mos dos pon­tos dos ira­qui­a­nos, en­quan­to a Di­na­mar­ca li­de­ra, com 4. Ago­ra, o ti­me de Ney­mar e com­pa­nhia pre­ci­sa da vi­tó­ria na quin­ta-fei­ra, con­tra os di­na­mar­que­ses, pa­ra evi­tar uma eli­mi­na­ção pre­co­ce.

Mais li­ga­da e apa­ren­te­men­te mais dis­pos­ta do que no pri­mei­ro jo­go, a Se­le­ção de Ro­gé­rio Mi­ca­le par­tiu pa­ra ci­ma dos ira­qui­a­nos, que de­cla­ra­ram an­tes do jo­go que se con­ten­ta­ri­am com um em­pa­te. O que ex­pli­ca a pos­tu­ra de­fen­si­va da equi­pe.

Mas, ape­sar do ím­pe­to, os bra­si­lei­ros não con­se­gui­am cri­ar bo­as chan­ces, ape­sar do ta­len­to­so ata­que for­ma­do por Ga­bri­el, Ney­mar e Ga­bri­el Jesus. Já o Ira­que, em uma ca­be­ça­da na tra­ve após co­bran­ça de es­can­teio, foi quem te­ve a me­lhor chan­ce do pri­mei­ro tem­po.

Com o tem­po, o ner­vo­sis­mo foi to­man­do con­ta do Bra­sil. Qu­an­do se acal­mou um pou­co, al­gu­mas chan­ces apa­re­ce­ram. Mas os ata­can­tes abu­sa­vam da in­di­vi­du­a­li­da­de, que aca­ba­va na mar­ca­ção ad­ver­sá­ria. No fim, os an­fi­triões ain­da de­vol­ve­ram a bo­la na tra­ve com Re­na­to Au­gus­to. E só.

No se­gun­do tem­po, Lu­an en­trou no lu­gar de Felipe An­der­son. Mas o panorama se­guiu exa­ta­men­te o mes­mo.

Mi­ca­le en­tão re­sol­veu ti­rar Jesus pa­ra co­lo­car o meia Ra­fi­nha. Na prá­ti­ca, tam­bém não fun­ci­o­nou. A tor­ci­da per­deu a pa­ci­ên­cia e, além das vai­as, co­me­çou a gri­tar o no­me de Marta, que co­man­da a bela cam­pa­nha da Se­le­ção fe­mi­ni­na.

A mes­ma pa­ci­ên­cia que fal­ta­va à equi­pe, que não con­se­guia fa­zer as jo­ga­das fluí­rem. Até mes­mo pas­ses sim­ples pa­re­ci­am di­fí­ceis de se­rem acer­ta­dos ta­ma­nho o ner­vo­sis­mo. Con­clu­são: mais um jo­go ruim, re­sul­ta­do de ou­tra atu­a­ção de­cep­ci­o­nan­te. Um a me­nos! O ata­can­te me­xi­ca­no Ori­be Pe­ral­ta, car­ras­co do Bra­sil na de­ci­são do ou­ro em 2012, com dois gols, es­tá fo­ra dos Jo­gos. Ele que­brou o na­riz na vi­tó­ria por 5 a 1 so­bre Fi­ji.

UESLEI MARCELINO/REUTERS CLIVE BRUNSKILL/GETTY IMAGES

Tor­ci­da vai­ou Re­na­to Au­gus­to e pe­diu Marta em Bra­sí­lia BOLINHA...

EDUARDO ANIZELLI/FOLHAPRESS

Ga­bri­el Jesus, mais uma vez, não atu­ou bem

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.