Pa­ra­na­pi­a­ca­ba fi­ca sem pas­seio de Ma­ria Fu­ma­ça

Lo­co­mo­ti­va de 1867 es­tá que­bra­da há cer­ca de um ano. Não há pra­zo pa­ra que ela vol­te a re­a­li­zar o pas­sei­os aos fins de se­ma­na. As­so­ci­a­ção Bra­si­lei­ra de Pre­ser­va­ção Fer­ro­viá­ria diz que con­ser­to é ca­ro

Metro Brazil (ABC) - - Foco - VANESSA SELICANI

Um dos pas­sei­os mais char­mo­sos de Pa­ra­na­pi­a­ca­ba, em San­to An­dré, es­tá sem po­der ser uti­li­za­do há apro­xi­ma­da­men­te um ano e sem pre­vi­são pa­ra re­tor­no.

A Ma­ria Fu­ma­ça, que des­de 2006 re­a­li­za­va pas­sei­os aos fins de se­ma­na na vi­la fer­ro­viá­ria, es­tá que­bra­da.

Ma­ria Inês, co­mo foi ape­li­da­da, é uma lo­co­mo­ti­va de 1867 que per­ten­ceu à SPR (São Pau­lo Railway), em­pre­sa fer­ro­viá­ria bri­tâ­ni­ca que cri­ou a vi­la no sé­cu­lo 19.

Ela é de res­pon­sa­bi­li­da­de da ABPF (As­so­ci­a­ção Bra­si­lei­ra de Pre­ser­va­ção Fer­ro­viá­ria), en­ti­da­de não go­ver­na­men­tal que se man­tém com o va­lor sim­bó­li­co de in­gres­sos co­bra­dos em atra­ções co­mo mu­seus, ex­po­si­ções e pas­sei­os.

De acor­do com mo­ni­to­res que pres­tam ser­vi­ço na se­de em São Pau­lo, a Ma­ria Fu­ma­ça de Pa­ra­na­pi­a­ca­ba pa­rou de fun­ci­o­nar há cer­ca de um ano, na mes­ma época que a lo­co­mo­ti­va que faz pas­sei­os na Mo­o­ca, em São Pau­lo. “Não te­mos ver­ba pa­ra con­ser­tar as du­as ao mes­mo tem­po. Ago­ra que ter­mi­nou o ser­vi­ço na ca­pi­tal, va­mos pri­o­ri­zar a Ma­ria Fu- ma­ça de Pa­ra­na­pi­a­ca­ba”, dis­se uma das fun­ci­o­ná­ri­as da as­so­ci­a­ção.

O pro­ces­so, po­rém, ain­da de­ve ser len­to. De acor­do com a mo­ni­to­ra, as pe­ças pre­ci­sam ser fei­tas sob en­co­men­da, já que não são mais ven­di­das no mer­ca­do.

O di­re­tor ad­mi­nis­tra­ti­vo da ABPF, Car­los Al­ber­to Rollo, con­fir­mou pro­ble­mas na má­qui­na da Vi­la, mas dis­se que a lo­co­mo­ti­va da Mo­o­ce pas­sou ape­nas por ma­nu­ten­ção pre­ven­ti­va. De acor­do com ele, a Ma­ria Fu­ma­ça de Pa­ra­na­pi­a­ca­ba é mais an­ti­ga e por is­so de­man­da­rá mais cus­tos. “Não há pre­vi­são pa­ra ser res­tau­ra­da”, con­cluiu Rollo. Pas­seio Quem vi­si­ta a Vi­la ain­da tem a op­ção de fa­zer o pas­seio pe­lo Mu­seu Fer­ro­viá­rio man­ti­do pe­la ABPF, mas é avi­sa­do na por­ta­ria so­bre a ma­nu­ten­ção na Ma­ria Fu­ma­ça. “Es­tá há um ano pa­ra­da e não tem pre­vi­são de re­tor­no”, afir­mou uma mu­lher na bi­lhe­te­ria no sá­ba­do, pe­núl­ti­mo dia do Fes­ti­val de In­ver­no de Pa­ra­na­pi­a­ca­ba.

O pas­seio du­ra­va 20 mi­nu­tos e cus­ta­va R$ 10 por pes­soa. O trem per­cor­ria um tre­cho da li­nha ori­gi­nal, no Pá­tio de Ma­no­bras, den­tro do pró­prio Mu­seu Fer­ro­viá­rio. Sua ca­pa­ci­da­de é pa­ra até 60 pes­so­as.

Ma­ria Inês foi res­tau­ra­da em 2006 gra­ças a par­ce­ria da as­so­ci­a­ção com um dos só­ci­os fun­da­do­res da en­ti­da­de, Lin­coln Pa­laia, e a CPTM (Com­pa­nhia Pau­lis­ta de Trens Me­tro­po­li­ta­nos).

| VANESSA SELICANI/ME­TRO ABC

Lo­co­mo­ti­va es­ta­ci­o­na­da no sá­ba­do, pe­núl­ti­mo dia do Fes­ti­val de In­ver­no de Pa­ra­na­pi­a­ca­ba

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.