In­fla­ção ofi­ci­al ace­le­ra pa­ra 0,52% em ju­lho

Fei­jão e lei­te pu­xam al­ta do IPCA no mês. Pre­ços dos ali­men­tos têm o mai­or au­men­to pa­ra o pe­río­do em 16 anos. No acu­mu­la­do de 12 me­ses, ín­di­ce avan­ça 8,74%

Metro Brazil (ABC) - - Economia -

A in­fla­ção ofi­ci­al ace­le­rou em ju­lho, pu­xa­da pe­lo for­te au­men­to nos pre­ços dos ali­men­tos. O IPCA su­biu 0,52% em ju­lho, de­pois de ter avan­ça­do 0,35% no mês an­te­ri­or, in­for­mou on­tem o IBGE (Ins­ti­tu­to Bra­si­lei­ro de Ge­o­gra­fia e Es­ta­tís­ti­ca).

Em 12 me­ses, a al­ta acu­mu­la­da foi de 8,74%, abai­xo dos 8,84% no pe­río­do até ju­nho. O re­sul­ta­do fi­cou aci­ma das ex­pec­ta­ti­vas de ana­lis­tas con­sul­ta­dos pe­la Reu­ters, que pre­vi­am al­ta men­sal de 0,45% e de 8,66% em 12 me­ses.

Ain­da re­fle­tin­do au­men­tos nos pre­ços do lei­te e do fei­jão, o gru­po Ali­men­ta­ção e Be­bi­das su­biu 1,32% no mês pas­sa­do, a mais ele­va­da va­ri­a­ção pa­ra ju­lho des­de 2000 (1,78%), após ter su­bi­do 0,71% em ju­nho.

Com is­so, o gru­po foi res­pon­sá­vel so­zi­nho por 0,34 pon­to per­cen­tu­al pa­ra do IPCA to­do em ju­lho. Os pre­ços do lei­te su­bi­ram 17,58%. Já o fei­jão-ca­ri­o­ca fi­cou 32,42% mais ca­ro no pe­río­do.

Ou­tros três gru­pos mos­tra­ram ace­le­ra­ção da in­fla­ção: Des­pe­sas Pes­so­ais (de 0,35% pa­ra 0,70%), Ar­ti­gos de Re­si­dên­cia (de 0,26% pa­ra 0,53%) e Trans­por­tes (de -0,53% pa­ra 0,40%). Nos Trans­por­tes (0,40%), gru­po de mai­or pe­so no or­ça­men­to das fa­mí­li­as de­pois dos ali­men­tos, as pres­sões fo­ram exer­ci­das por pas­sa­gem aé­rea (9,22%) e ôni­bus in­te­res­ta­du­al (8,21%).

“Ape­sar de a in­fla­ção acu­mu­la­da dos úl­ti­mos 12 me­ses con­ti­nu­ar em pa­ta­ma­res ele­va­dos, o ce­ná­rio fu­tu­ro é de que­da, co­mo re­fle­xo da po­lí­ti­ca mo­ne­tá­ria e da re­ces­são na eco­no­mia bra­si­lei­ra que ini­be re­a­jus­tes de pre­ços”, afir­ma o pro­fes­sor do Cen­tro Mac­ken­zie de Li­ber­da­de Econô­mi­ca, Pe­dro Raffy Var­ta­ni­an.

O Ban­co Cen­tral vem re­for­çan­do seu com­pro­mis­so em le­var a in­fla­ção ao cen­tro da me­ta em 2017 (4,5%) e, con­se­quen­te­men­te, afir­man­do que não há es­pa­ço pa­ra cor­te da Se­lic, que es­tá em 14,25% há mais de um ano, no cur­to pra­zo.

As pro­je­ções do mer­ca­do pa­ra a al­ta do IPCA no pró­xi­mo ano vêm re­cu­an­do e es­tão ago­ra em 5,14%, se­gun­do a mais re­cen­te pes­qui­sa Fo­cus do BC, que ou­ve se­ma­nal­men­te uma cen­te­na de eco­no­mis­tas. Pa­ra 2016, a pro­je­ção pa­ra in­fla­ção é de 7,20%.

FON­TE: IBGE

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.