Se­na­do co­me­ça a jul­gar im­pe­a­ch­ment de Dil­ma

Con­du­zi­da pe­lo pre­si­den­te do Su­pre­mo Tri­bu­nal Fe­de­ral, Ri­car­do Lewan­dows­ki, ses­são de­ve se es­ten­der até a pró­xi­ma quar­ta; pa­ra afas­tar em de­fi­ni­ti­vo a pre­si­den­te, que de­ve fa­lar ao ple­ná­rio na se­gun­da, são ne­ces­sá­ri­os 54 vo­tos dos 81 se­na­do­res

Metro Brazil (ABC) - - Front Page - MAR­CE­LO FREI­TAS

A par­tir de ho­je, o Se­na­do es­ta­rá de­bru­ça­do pe­la se­gun­da vez em 14 anos no jul­ga­men­to fi­nal de um pro­ces­so de im­pe­a­ch­ment – em 1992, Fer­nan­do Col­lor foi cas­sa­do, acu­sa­do de cor­rup­ção.

A ses­são des­ti­na­da a ana­li­sar a des­ti­tui­ção da pre­si­den­te Dil­ma Rous­seff, afas­ta­da do car­go des­de 12 de maio, de­ve du­rar até uma se­ma­na e co­me­ça­rá com o de­poi­men­to das tes­te­mu­nhas.

As oi­to pes­so­as in­di­ca­das por acu­sa­ção e de­fe­sa fo­ram con­fi­na­das on­tem num ho­tel em Bra­sí­lia, e fi­ca­rão sem aces­so a TV, in­ter­net e te­le­fo­ne até se­rem ou­vi­das.

A pri­mei­ra eta­pa do jul­ga­men­to es­tá pre­vis­ta pa­ra ter­mi­nar até a ma­nhã de sá­ba­do.

A in­ten­ção dos go­ver­nis­tas é ace­le­rar os tra­ba­lhos pa­ra que a vo­ta­ção fi­nal ocor­ra ain­da na ter­ça-fei­ra, e Mi­chel Te­mer as­su­ma efe­ti­va­men­te a Pre­si­dên­cia na quar­ta-fei­ra, em ses­são so­le­ne no Con­gres­so e de­pois vi­a­je pa­ra a reu­nião do G-20, na Chi­na.

Pe­lo la­do do go­ver­no, ape­nas os lí­de­res par­ti­dá­ri­os e al­guns se­na­do­res de­ve­rão fa­zer per­gun­tas, que não ocu­pem to­do o tem­po dis­po­ní­vel. “Não te­mos co­mo am­pli­ar o de­ba­te, por­que to­das as tes­te­mu­nhas já fo­ram in­qui­ri­das e o as­sun­to es­tá mais do que re­pas­sa­do”, afir­mou o lí­der do DEM, Ro­nal­do Cai­a­do (GO).

“Nós não va­mos abrir mão dos nos­sos di­rei­tos. Va­mos uti­li­zar to­do o tem­po ne­ces­sá­rio pa­ra mos­trar a far­sa que é es­te pro­ces­so de im­pe­a­ch­ment”, re­a­giu o se­na­dor Lind­bergh Fa­ri­as (PT-RJ), lí­der da opo­si­ção.

Dil­ma fa­la­rá na se­gun­da-fei­ra. O dis­cur­so es­tá sen­do ela­bo­ra­do pes­so­al­men­te, com a aju­da do ex-mi­nis­tro e ad­vo­ga­do Jo­sé Edu­ar­do Car­do­zo. Ela tam­bém pas­sa por trei­na­men­to pa­ra res­pon­der às per­gun­tas dos se­na­do­res.

No do­min­go, par­la­men­ta­res pró-im­pe­a­ch­ment mar­ca­ram uma reu­nião pa­ra ela­bo­rar as ques­tões.

O pro­ces­so O pro­ces­so de im­pe­a­ch­ment foi aber­to em 2 de de­zem­bro. Dil­ma é acu­sa­da de pra­ti­car pe­da­la­das fis­cais, ao atra­sar re­pas­ses aos ban­cos pú­bli­cos pe­lo pa­ga­men­to de be­ne­fí­ci­os so­ci­ais, o que fe­ri­ria a Lei de Res­pon­sa­bi­li­da­de Fis­cal; e de as­si­nar de­cre­tos de su­ple­men­ta­ção or­ça­men­tá­ria sem au­to­ri­za­ção do Con­gres­so.

Si­tu­a­ção des­fa­vo­rá­vel Na vo­ta­ção da pro­nún­cia, em 10 de agos­to, o re­la­tó­rio do se­na­dor Antô­nio Anas­ta­sia (PSDB-MG) foi apro­va­do por 59 vo­tos a fa­vor e 21 con­trá­ri­os. Nas du­as úl­ti­mas se­ma­nas, tan­to os ali­a­dos do go­ver­no Mi­chel Te­mer quan­to a ba­se de Dil­ma tra­ba­lha­ram em bus­ca de vo­tos.

Pa­ra con­so­li­dar a des­ti­tui­ção da pre­si­den­te são ne­ces­sá­ri­os 54 vo­tos. Os se­na­do­res pró-im­pe­a­ch­ment ava­li­am que po­dem am­pli­ar a mar­gem de apoio pa­ra 62 se­na­do­res.

O ar­qui­va­men­to da de­nún­cia ocor­re­rá so­men­te se atin­gir 27 vo­tos.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.