Ta­xa de­ve es­tar em­bu­ti­da no va­lor de ta­be­la, não so­ma­da

Metro Brazil (ABC) - - Economia -

Mui­to im­por­tan­te: as ta­xas de cor­re­ta­gem têm de ser des­con­ta­das do pre­ço to­tal de ta­be­la. Elas não po­dem ser so­ma­das àque­le va­lor que es­tá lá co­mo va­lor de ven­da da uni­da­de. O que is­so sig­ni­fi­ca? Se al­guém for com­prar um imó­vel no­vo anun­ci­a­do por R$ 1 mi­lhão pe­la cons­tru­to­ra, den­tro des­se va­lor já de­ve­rá es­tar in­cluí­da a ta­xa.

Ou se­ja, o com­pra­dor não te­rá de pa­gar, além de R$ 1 mi­lhão, ou­tros R$ 50 mil (5%) de ta­xa de cor­re­ta­gem. Ele pa­ga­rá ape­nas R$ 1 mi­lhão, e a cons­tru­to­ra vai re­ce­ber R$ 950 mil e en­tre­gar R$ 50 mil pa­ra o cor­re­tor.

Por is­so, o com­pra­dor de­ve fi­car aten­to no mo­men­to da com­pra, pe­dir pa­ra o va­lor ser dis­cri­mi­na­do, is­to é, de­ta­lha­do. O ven­de­dor – se­ja a cons­tru­to­ra, se­ja o cor­re­tor – de­ve mos­trar to­das as ta­xas que fa­zem par­te da­que­le va­lor to­tal. A de cor­re­ta­gem é uma das que de­vem obri­ga­to­ri­a­men­te es­tar ne­le.

Fi­car aten­to a is­so po­de fa­zer to­da a di­fe­ren­ça. A cor­re­ta­gem de 5% de um imó­vel de R$ 500 mil, por exem­plo, é R$ 25 mil. Dá pa­ra mo­bi­li­ar o “apê” no­vo.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.