Rio Gran­de ga­nha re­for­ço do Rio Pe­que­no pa­ra abas­te­ci­men­to

Bra­ço da Bil­lings de on­de se re­ti­ra água pa­ra po­pu­la­ção po­de­rá re­ce­ber 4 mil li­tros por se­gun­do do rio Pe­que­no. Bom­be­a­men­to é par­te das me­di­das emer­gen­ci­ais

Metro Brazil (ABC) - - Foco - VA­NES­SA SELICANI

O go­ver­no do Es­ta­do inau­gu­rou on­tem, em São Ber­nar­do, mais uma eta­pa das obras pa­ra ge­ren­ci­ar a cri­se hí­dri­ca que te­ve iní­cio em 2014.

A no­va in­ter­ven­ção po­de­rá bom­be­ar 4 mil li­tros de água por se­gun­do do Rio Pe­que­no, um bra­ço da re­pre­sa, pa­ra o Rio Gran­de, ou­tra par­te de on­de é fei­ta a cap­ta­ção pa­ra con­su­mo hu­ma­no. Os dois ri­os fa­zem par­te da Bil­lings.

A obra se so­ma a trans­po­si­ção de 4 mil li­tros por se­gun­do de água do re­ser­va­tó­rio do ABC pa­ra o Sis­te­ma Al­to Tietê, inau­gu­ra­da em ou­tu­bro do ano pas­sa­do.

As trans­fe­rên­ci­as ga­ran­tem mais ca­pa­ci­da­de ao Al­to Tietê, que po­de aten­der re­giões de São Paulo an­tes de­pen­den­tes do Sis­te­ma Can­ta­rei­ra, re­ser­va­tó­rio mais atin­gi­do pe­la se­ca. As trans­fe­rên­ci­as não têm fun­ci­o­na­men­to per­ma­nen­te e po­de­rão ser aci­o­na­das nos pe­río­dos sem chu­va.

A ideia ini­ci­al do Es­ta­do era cap­tar água do corpo da Bil­lings, con­si­de­ra­do o la­do su­jo da re­pre­sa. A op­ção se mos­trou in­viá­vel por con­ta da com­ple­xi­da­de em se tra­tar a água po­luí­da. O Rio Pe­que­no sur­giu en­tão co­mo al­ter­na­ti­va mais “lim­pa”.

A Sa­besp (Com­pa­nhia de Sa­ne­a­men­to Bá­si­co de São Paulo) in­ves­tiu R$ 20 mi­lhões na obra con­cluí­da on­tem. Ela de­ve­ria es­tar pron­ta des­de o ano pas­sa­do pa­ra com­ple­men­tar a trans­po­si­ção pa­ra o Al­to Tietê. A trans­fe­rên­cia de água é fei­ta por meio de bom­bas e tu­bos que trans­põem des­ní­vel de 11 me­tros de al­tu­ra en­tre os ri­os.

Am­bi­en­ta­lis­tas cri­ti­cam a au­sên­cia de es­tu­do so­bre im­pac­to am­bi­en­tal da obra, que foi au­to­ri­za­da pe­la Ce­tesb (Com­pa­nhia Am­bi­en­tal Do Es­ta­do De São Paulo) por ser emer­gen­ci­al. “Acho que o im­pac­to no abas­te­ci­men­to não jus­ti­fi­ca in­ter­ven­ção co­mo es­sa, que agri­de o ecos­sis­te­ma”, dis­se a pro­fes­so­ra de en­ge­nha­ria am­bi­en­tal e sa­ni­tá­ria da Uni­ver­si­da­de Me­to­dis­ta, Vi­vi­a­ne Pe­rei­ra Al­ves.

Pa­ra o am­bi­en­ta­lis­ta Carlos Bo­cuhy, é pre­ci­so pen­sar na pre­ser­va­ção do Rio Pe­que­no. “A qua­li­da­de da água ali é mui­to boa, mas nos úl­ti­mos anos o en­tor­no tem so­fri­do com a ex­pan­são de chá­ca­ras que com­pro­me­tem a área de ma­nan­ci­al.”

Além da obra na Bil­lings, o go­ver­na­dor Ge­ral­do Alck­min inau­gu­rou on­tem em São Ber­nar­do um re­ser­va­tó­rio me­tá­li­co no bair­ro Al­va­ren­ga.

O equi­pa­men­to am­plia a ca­pa­ci­da­de de ar­ma­ze­na­men­to de água em 15 mi­lhões de li­tros e vai au­xi­li­ar na cons­tân­cia do abas­te­ci­men­to pa­ra a po­pu­la­ção. O in­ves­ti­men­to da Sa­besp foi de R$ 15 mi­lhões.

| DI­VUL­GA­ÇÃO/CIETE SILVÉRIO/GO­VER­NO DO ES­TA­DO

Bom­bas e tu­bos fa­zem a trans­fe­rên­cia

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.