Só 2 em ca­da 10 es­tu­pros no ABC são es­cla­re­ci­dos

Le­van­ta­men­to mos­tra que dos 383 ca­sos re­gis­tra­dos de es­tu­pro nas se­te ci­da­des em 2015 so­men­te 105 ti­ve­ram inqué­ri­to fi­na­li­za­do pe­la po­lí­cia. Se­cre­ta­ria de Se­gu­ran­ça Pú­bli­ca ale­ga que de­mo­ra no re­gis­tro da ocor­rên­cia di­fi­cul­ta in­ves­ti­ga­ção

Metro Brazil (ABC) - - Front Page - CADU PROIETI

So­men­te 27,4% dos ca­sos de es­tu­pros re­gis­tra­dos nas se­te ci­da­des do ABC no ano pas­sa­do fo­ram es­cla­re­ci­dos pe­la Po­lí­cia Ci­vil. Do to­tal de 383 ca­sos do ti­po em 2015 na re­gião, a po­lí­cia con­se­guiu fi­na­li­zar o inqué­ri­to e pren­der o acu­sa­do em so­men­te 105 opor­tu­ni­da­des.

O le­van­ta­men­to foi fei­to pe­lo Me­tro Jor­nal com ba­se em da­dos da Po­lí­cia Ci­vil, ob­ti­dos por meio da Lei de Aces­so à In­for­ma­ção.

As pi­o­res si­tu­a­ções es­tão em San­to An­dré, on­de a po­lí­cia es­cla­re­ce so­men­te 16,8% dos ca­sos, e em Ri­bei­rão Pi­res, on­de só uma ocor­rên­cia foi es­cla­re­ci­da das 17 re­gis­tra­das na ci­da­de no ano pas­sa­do - ín­di­ce de re­so­lu­ção de ca­sos na ci­da­de é de só 5,8%.

Pa­ra o ex-se­cre­tá­rio na­ci­o­nal de se­gu­ran­ça pú­bli­ca Jo­sé Vi­cen­te da Sil­va Fi­lho, o nú­me­ro de inqué­ri­tos so­lu­ci­o­na­dos é “mui­to bai­xo” e ain­da mais sur­pre­en­den­te quan­do se fo­rem con­si­de­ra­dos dois as­pec­tos: a mai­o­ria dos ca­sos de es­tu­pro não é de­nun­ci­a­da e a vi­o­lên­cia cos­tu­ma ser co­me­ti­da por pes­soa pró­xi­ma. “A ví­ti­ma se sen­te in­ti­mi­da­da, cons­tran­gi­da de de­nun­ci­ar, e a po­lí­cia não sa­be co­mo re­ce­bê-la. Mais do que de­le­ga­ci­as da mu­lher, é pre­ci­so cri­ar um con­jun­to de nor­mas pa­ra es­ses ca­sos, o que in­cen­ti­va­ria de­nún­ci­as e aju­da­ria na in­ves­ti­ga­ção.”

Em no­ta, a SSP (Se­cre­ta­ria Es­ta­du­al de Se­gu­ran­ça Pú­bli­ca) ale­ga que as pri­sões por es­tu­pros não de­cor­rem da ação úni­ca das po­lí­ci­as, mas sim de to­do um sis­te­ma ju­rí­di­co. Se­gun­do a pas­ta, pa­ra que es­ses re­gis­tros se con­ver­tam em pri­sões, além da op­ção pe­la re­pre­sen­ta­ção cri­mi­nal, é pre­ci­so a com­pro­va­ção do cri­me. “Daí, a im­por­tân­cia de que o cri­me se­ja ime­di­a­ta­men­te co­mu­ni­ca­do pa­ra a re­a­li­za­ção de exa­me se­xo­ló­gi­co e ou­tras pro­vi­dên­ci­as le­gais”, diz a no­ta da SSP.

De acor­do com a se­cre­ta­ria, um es­tu­do ela­bo­ra­do pe­la CAP (Co­or­de­na­do­ria de Aná­li­se e Pla­ne­ja­men­to), da SSP, in­di­cou que, ape­nas no mês de ju­nho, 15% dos es­tu­pros re­gis­tra­dos ocor­re­ram em me­ses an­te­ri­o­res e 7,5% ocor­re­ram mais de um ano an­tes do re­gis­tro do fa­to. “Com es­se da­do, é pos­sí­vel en­ten­der a quan­ti­da­de de pri­sões por es­se in­di­ca­dor cri­mi­nal, pois as po­lí­ci­as só pren­dem por fla­gran­te ou man­da­do ju­di­ci­al.”

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.