Edu­ca­ção do ABC é bem ava­li­a­da

En­si­no fun­da­men­tal de São Ca­e­ta­no e São Ber­nar­do re­ce­bem bo­as no­tas

Metro Brazil (ABC) - - Front Page -

O Mi­nis­té­rio da Edu­ca­ção di­vul­gou on­tem da­dos do Ideb (Ín­di­ce de De­sen­vol­vi­men­to da Edu­ca­ção Bá­si­ca) que tra­çam bom di­ag­nós­ti­co pa­ra os pri­mei­ros anos de en­si­no fun­da­men­tal e uma pi­o­ra pre­o­cu­pan­te na eta­pa fi­nal e no en­si­no mé­dio em to­da a re­de pú­bli­ca do país.

No ABC, du­as ci­da­des ti­ve­ram gran­de avan­ço em re­la­ção ao pri­mei­ro ci­clo do fun­da­men­tal. São Ber­nar­do e São Ca­e­ta­no não só con­se­gui­ram ba­ter as me­tas es­ti­pu­la­das pe­lo go­ver­no fe­de­ral pa­ra 2015 co­mo já al­can­ça­ram os ín­di­ces pre­vis­tos pa­ra 2021. São Ca­e­ta­no apre­sen­tou a mai­or no­ta da re­gião: 7,2.

As três ci­da­des fi­ca­ram aci­ma da no­ta na­ci­o­nal de 5,3 nos pri­mei­ros anos. (Ve­ja ta­be­la com­ple­ta ao la­do)

Mas qu­an­do a ava­li­a­ção é so­bre os úl­ti­mos anos do en­si­no fun­da­men­tal e o en­si­no mé­dio, ne­nhum mu­ni­cí­pio da re­gião con­se­gue al­can­çar a me­ta. A me­lhor no­ta con­ti­nua a ser da re­de mu­ni­ci­pal de São Ca­e­ta­no no fun­da­men­tal, com ín­di­ce 6, mas mes­mo as­sim a ci­da­de não al­can­ça o va­lor es­ti­pu­la­do de 6,4.

O en­si­no mé­dio, que é de res­pon­sa­bi­li­da­de do go­ver­no do Es­ta­do na re­gião, te­ve no­ta de ape­nas 3,9, qu­an­do a me­ta era de 4,2.

Pa­ra o ge­ren­te de con­teú­do do mo­vi­men­to “To­dos Pe­la Edu­ca­ção” Ri­car­do Fal­zet­ta, os avan­ços no en­si­no pú­bli­co do país es­tão es­tag­na­dos. “Se a gen­te olhar da pers­pec­ti­va das úl­ti­mas di­vul­ga­ções, não há no­vi­da­des: os nú­me­ros são bons na eta­pa ini­ci­al e pi­o­ram nas fi­nais. Is­so é pre­o­cu­pan­te. Es­pe­ra­mos a vi­ra­da nas fa­ses fi­nais, mas is­so não acontece.”

Ele afir­ma que o en­si­no mé­dio é o mai­or gar­ga­lo. “Se não temos es­co­la mo­der­na nes­ta fa­se, o alu­no co­me­ça a ter des­con­ten­ta­men­to. Ele não en­xer­ga sen­ti­do em es­tu­dar”, dis­se Fal­zet­ta.

A mu­dan­ça pa­ra re­ver­ter o re­sul­ta­do, na vi­são do es­pe­ci­a­lis­ta, de­ve co­me­çar pe­la va­lo­ri­za­ção dos pro­fes­so­res. “Uma ques­tão fun­da­men­tal é a for­ma­ção dos do­cen­tes, tan­to a ini­ci­al co­mo a con­ti­nui­da­de. É pre­ci- so exis­tir o tri­pé: go­ver­no, uni­ver­si­da­des e es­co­las. O pro­fes­sor pre­ci­sa ter tam­bém me­lho­res sa­lá­ri­os.”

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.