VOANDO LONGE

Ri­car­do Cos­ta de Oli­vei­ra con­quis­ta a 1ª me­da­lha de ouro do Bra­sil nos Jo­gos no sal­to em dis­tân­cia na ca­te­go­ria T11 (ce­go to­tal)

Metro Brazil (ABC) - - Front Page - RENATA MACHADO METRO RIO

No pri­mei­ro dia da Pa­ra­lim­pía­da, o Bra­sil já mos­trou su­as cre­den­ci­ais de po­tên­cia mun­di­al. Quem foi ao En­ge­nhão on­tem de ma­nhã pre­sen­ci­ou o país con­quis­tar no atle­tis­mo su­as du­as pri­mei­ras me­da­lhas, in­clu­si­ve uma de ouro, que veio com Ri­car­do Cos­ta no sal­to em dis­tân­cia na ca­te­go­ria T11 (ce­go to­tal). A ou­tra foi pra­ta, com Odair San­tos na cor­ri­da nos 5.000m da ca­te­go­ria T11 (ce­go to­tal).

O sul-ma­to-gros­sen­se do ouro es­ta­va em pri­mei­ro até a quin­ta ten­ta­ti­va do nor­te-ame­ri­ca­no Lex Gil­let­te, que o ul­tra­pas­sou ao mar­car 6,44m. Com gri­tos de “eu acre­di­to!” vin­dos da ar­qui­ban­ca­da, o bra­si­lei­ro am­pli­ou a dis­tân­cia, mas fi­cou a um cen­tí­me­tro do ri­val.

A chan­ce de su­bir no lu­gar mais al­to do pó­dio fi­cou pa­ra o úl­ti­mo sal­to. En­quan­to o ame­ri­ca­no não me­lho­rou a dis­tân­cia, Ri­car­do vo­ou pa­ra cair na areia com a mar­ca de 6,52m, a me­lhor de sua car­rei­ra.

“Eu sen­ti o ouro qu­an­do fi­na­li­zei o sal­to. Ge­ral­men­te eu con­to um e fe­cho a fa­se de voo, mas, nes­se úl­ti­mo sal­to, deu tem­po de con­tar um e meio até ater­ris­sar”, vi­brou Ri­car­do, con­tan­do que pre­fe­re não ser in­for­ma­do so­bre as mar­cas e po­si­ções dos ad­ver­sá­ri­os pa­ra se man­ter con­cen­tra­do. “Es­tou mui­to emo­ci­o­na­do. É um mo­men­to que vou le­var pa­ra o res­to da mi­nha vida.”

Re­cor­dis­ta mun­di­al, Gil­let­te te­ve de se con­ten­tar com a pra­ta. O bron­ze fi­cou com o ucra­ni­a­no Rus­lan Katyshev.

Ri­car­do co­me­çou a per­der a vi­são aos 2 anos, mas só fi­cou com­ple­ta­men­te ce­go aos 14, de­vi­do à Do­en­ça de Star­gardt, de­ge­ne­ra­ti­va, mes­mo mal que le­vou sua ir­mã Sil­vâ­nia Cos­ta, cam­peã “Eu fiz da mi­nha de­fi­ci­ên­cia o meu me­lhor ini­mi­go, que vai me acom­pa­nhar por tem­po in­de­ter­mi­na­do. Não pus uma di­fi­cul­da­de na mi­nha vi­são. Eu acei­tei e, a par­tir des­se mo­men­to, as coi­sas vi­e­ram a meu fa­vor.” RI­CAR­DO COS­TA, OURO NO SAL­TO EM DIS­TÂN­CIA, QUE FI­COU CE­GO AOS 14 ANOS mun­di­al da mes­ma pro­va, a fi­car ce­ga. “An­tes de co­nhe­cer o es­por­te eu vi­via mui­to iso­la­do, não saía de ca­sa. O es­por­te mu­dou a mi­nha vida”, dis­se o cam­peão, que ho­je com­pe­te nos 100m.

Ri­car­do San­tos con­quis­tou ouro na sua úl­ti­ma ten­ta­ti­va ao sal­tar 6,52m

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.