Te­mer: governo não é ‘idi­o­ta’ de cor­tar di­rei­tos tra­ba­lhis­tas

Pre­si­den­te re­ba­te crí­ti­cas a su­as pro­pos­tas e afir­ma que vai com­ba­ter ‘ver­sões’. Em ví­deo na in­ter­net, Te­mer ga­ran­te que não vai aca­bar com sa­que do FGTS por de­mis­são

Metro Brazil (ABC) - - Economia -

O pre­si­den­te Mi­chel Te­mer re­ba­teu on­tem acu­sa­ções de que o governo pre­ten­de re­du­zir in­ves­ti­men­tos em saú­de e edu­ca­ção com a pro­pos­ta para li­mi­tar os gas­tos pú­bli­cos e ga­ran­tiu que nin­guém per­de­rá di­rei­tos. Em um du­ro dis­cur­so, Te­mer afir­mou que irá des­men­tir ver­sões “que cor­rem pe­las ru­as”.

“É mui­to de­sa­gra­dá­vel ima­gi­nar que um governo se­ja tão, se me per­mi­tem a ex­pres­são um pou­co mais for­te, es­tu­pi­di­fi­ca­do, tão idi­o­ta, que che­ga ao po­der para res­trin­gir di­rei­tos dos tra­ba­lha­do­res, para aca­bar com a saú­de, para aca­bar com edu­ca­ção”, dis­se Te­mer, em even­to para o lan­ça­men­to de ações de me­lho­ria de ges­tão de saú­de no Pa­lá­cio do Pla­nal­to.

Te­mer ci­tou a po­lê­mi­ca cau­sa­da com a de­cla­ra­ção do mi­nis­tro do Tra­ba­lho, Ro­nal­do No­guei­ra, no úl­ti­mo dia 8, de que a re­for­ma po­de­ria for­ma­li­zar a jor­na­da diá­ria de até 12 ho­ras. No dia se­guin­te, a pas­ta di­vul­gou uma no­ta afir­man­do que não ha­ve­rá au­men­to da jor­na­da diá­ria e que as ho­ras tra­ba­lha­das por se­ma­na (44 no to­tal) não se­rão al­te­ra­das.

“Bom­bou na re­de so­ci­al que o Te­mer es­tá exi­gin­do 12 ho­ras de tra­ba­lho por dia. Is­so tu­do re­sul­tou de um en­con­tro do mi­nis­tro do Tra­ba­lho com al­guns sin­di­ca­tos que lá le­van­ta­ram uma ques­tão, a par­tir da par­ti­ci­pa­ção de tra­ba­lha­do­res da en­fer­ma­gem, que tra­ba­lham 12 por 36 ho­ras”, dis­se o pre­si­den­te.

Se­gun­do Te­mer, a pro­pos­ta do Or­ça­men­to en­vi­a­da pe­lo governo ao Con­gres­so para 2017, que já le­va em con­ta a PEC do te­to de gas­tos, não re­duz os va­lo­res de saú­de e edu­ca­ção, e, ao con­trá­rio, au­men­ta es­ses va­lo­res. O pre­si­den­te pe­diu a de­pu­ta­dos e se­na­do­res da ba­se go­ver­nis­ta que usem as tri­bu­nas do Con­gres­so e con­tes­tem qu­em di­ga que o governo es­tá re­du­zin­do os in­ves­ti­men­tos nes­sas áre­as.

“Es­ta­mos falando da to­ta­li­da­de dos gas­tos, não es­ta­mos falando te­to de gas­tos para saú­de nem te­to de gas­tos para edu­ca­ção. É pre­ci­so que nós te­nha­mos cons­ci­ên­cia dis­so”, afir­mou. Sa­ques do FGTS An­tes do even­to no Pla­nal­to, em bre­ve ví­deo pu­bli­ca­do na in­ter­net por oca­sião dos 50 anos do FGTS, Te­mer ne­gou que o governo aca­ba­rá com o di­rei­to ao sa­que do fun­do por tra­ba­lha­do­res de­mi­ti­dos sem jus­ta cau­sa. “O fun­do de ga­ran­tia con­ti­nu­a­rá a exer­cer o seu pa­pel que vem exer­cen­do ao lon­go do tem­po”, dis­se.

O pre­si­den­te tam­bém afir­mou que os re­cur­sos do FGTS con­ti­nu­a­rão a ser uti­li­za­dos para in­ves­ti­men­tos em mo­ra­dia e sa­ne­a­men­to, além de ou­tras ati­vi­da­des do se­tor pú­bli­co. ME­TRO

| AN­TO­NIO CRUZ/AGÊN­CIA BRA­SIL

Te­mer so­be tom con­tra crí­ti­cas em dis­cur­so no Pla­nal­to

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.