Mai­o­ria dos bra­si­lei­ros re­ce­be spam por SMS to­da a se­ma­na

Men­sa­gens in­de­se­ja­das in­co­mo­dam ain­da 66% dos con­su­mi­do­res pe­lo me­nos uma vez por se­ma­na, se­gun­do pes­qui­sa. Me­ta­de ape­nas apa­ga tor­pe­dos sem re­cla­mar

Metro Brazil (ABC) - - Economia -

Uma pes­qui­sa do MEF (Mobile Ecosys­tem Fo­rum) mos­tra que 66% dos bra­si­lei­ros ain­da re­ce­bem spam por SMS pe­lo me­nos uma vez por se­ma­na. Do to­tal, 34% são in­co­mo­da­dos com men­sa­gens in­de­se­ja­das diariamente.

O ín­di­ce do Bra­sil es­tá aci­ma da mé­dia dos no­ve paí­ses ana­li­sa­dos no le­van­ta­men­to, que ou­viu 6 mil pes­so­as. Na mé­dia glo­bal, 58% dis­se­ram que re­ce­bem spam por SMS pe­lo me­nos uma vez por se­ma­na. O ran­king é li­de­ra­do pe­la Ni­gé­ria (76%).

A re­a­ção da mai­o­ria dos bra­si­lei­ros (55%) é apa­gar o spam. Ou­tros 26% re­cla­mam com a ope­ra­do­ra, a em­pre­sa que en­vi­ou ou ou­tras en­ti­da­des, en­quan­to 11% não fa­zem na­da e 8% res­pon­dem para o re­me­ten­te pe­din­do para não re­ce­be­rem mais men­sa­gens.

“Uma re­so­lu­ção da Ana­tel de 2014 dá di­rei­to ao usuá­rio de não re­ce­ber men­sa­gem de cu­nho pu­bli­ci­tá­rio. As ope­ra­do­ras po­dem ser pu­ni­das”, diz Ra­fa­el Za­nat­ta, pes­qui­sa­dor em te­le­co­mu­ni­ca­ções do Idec (Ins­ti­tu­to Bra­si­lei­ro de De­fe­sa do Con­su­mi­dor).

Para dei­xar de re­ce­ber pu­bli­ci­da­de da ope­ra­do­ra, o cli­en­te de­ve en­vi­ar um SMS com “SAIR” para um nú­me­ro es­pe­cí­fi­co que mu­da con­for­me a pres­ta­do­ra: Cla­ro (888), Oi (55555), TIM (4112) e Vivo (457). No ca­so do cha­ma­do “SMS pi­ra­ta”, en­vi­a­do por em­pre­sas não ho­mo­lo­ga­das pe­las ope­ra­do­ras, as men­sa­gens po­dem ser en­ca­mi­nha­das para o nú­me­ro 7726 para que re­me­ten­te se­ja blo­que­a­do.

Mas Za­nat­ta res­sal­ta que é im­por­tan­te que o con­su­mi­dor de­nun­cie a prá­ti­ca, re­gis­tran­do uma re­cla­ma­ção no si­te da Ana­tel (www. ana­tel.gov.br) ou pro­cu­ran­do o Pro­con. “O con­su­mi­dor pen­sa que é só mais uma men­sa­gem. É a fal­ta de ação das pes­so­as que per­mi­te o avan­ço do mer­ca­do ile­gal”, afir­ma.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.