Demô­nio de ‘O Exor­cis­ta’ as­som­bra ago­ra na TV

Clás­si­co do cinema de ter­ror di­ri­gi­do por Wil­li­am Fri­ed­kin ga­nha ver­são se­ri­a­da es­tre­la­da por Ge­e­na Da­vis

Metro Brazil (ABC) - - Cultura - DA­VID LEPE SOSA

Di­ri­gi­do por Wil­li­am Fri­ed­kin com ba­se no ro­tei­ro de Wil­li­am Pe­ter Blatty, “O Exor­cis­ta” (1973) re­vo­lu­ci­o­nou o gê­ne­ro do ter­ror ao con­tar a his­tó­ria de uma me­ni­na pos­suí­da por um demô­nio.

Ago­ra, o clás­si­co do cinema in­di­ca­do a dez Os­cars ga­nha uma sé­rie de TV que es­treia de ho­je pa­ra ama­nhã, à 0h, no ca­nal pa­go FX.

Quem es­tre­la a adap­ta­ção mo­der­na des­se th­ril­ler psi­co­ló­gi­co é a atriz ame­ri­ca­na Ge­e­na Da­vis, de “Thel­ma & Loui­se” (1991), e o me­xi­ca­no Alfonso Her­re­ra, que já es­te­ve na no­ve­la ado­les­cen­te “Re­bel­de” e atu­al­men­te par­ti­ci­pa da sé­rie “Sen­se8”. O elen­co tam­bém con­ta com Ben Da­ni­els, Han­nah Ka­sul­ka, Bri­an­ne Howey e Kurt Egyi­awan.

Na his­tó­ria, Her­re­ra vi­ve o pa­dre To­mas Or­te­ga que, jun­to ao co­le­ga Marcus Lang (Da­ni­els), pre­ci­sa li­dar com o ca­so de uma pos­ses­são de­mo­nía­ca ter­rí­vel que os co­lo­ca

“Pa­ra con­tar uma his­tó­ria des­sas em au­di­o­vi­su­al, é pre­ci­so dar tri­di­men­si­o­na­li­da­de às per­so­na­gens pa­ra que o pú­bli­co re­a­ja de forma in­ten­sa.” ALFONSO HER­RE­RA, ATOR

em con­fron­to di­re­to com o ver­da­dei­ro mal, en­quan­to a atriz Ge­e­na Da­vis in­ter­pre­ta An­ge­la Ran­ce, mãe de­di­ca­da que pre­ci­sa lu­tar con­tra as for­ças obs­cu­ras que do­mi­nam sua fi­lha ado­les­cen­te.

“‘O Exor­cis­ta’ é um fil­me his­tó­ri­co, en­tão é uma gran­de res­pon­sa­bi­li­da­de e uma gran­de opor­tu­ni­da­de par­ti­ci­par des­sa sé­rie. A sé­rie es­tá bem fun­da­men­ta­da na tra­ma ori­gi­nal e tam­bém quan­do mos­tra pa­ra on­de vão os per­so­na­gens”, ex­pli­ca o ator.

Vi­ven­do nos su­búr­bi­os de Chi­ca­go, o per­so­na­gem de­le tem uma vi­da tran­qui­la até que co­me­ça a ter so­nhos re­cor­ren­tes. “Eles es­tão li­ga­dos a even­tos so­bre­na­tu­rais e is­so o ti­ra de sua zo­na de con­for­to. É um cha­ma­do, um pe­di­do de aju­da. A sé­rie, co­mo o fil­me, é uma re­pre­sen­ta­ção da lu­ta en­tre o bem e o mal”, diz.

| DIVULGAÇÃO

Ato­res vi­vem per­so­na­gens de Max von Sy­dow e El­len Burstyn na te­lo­na

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.