AILTON LI­MA, SD

Can­di­da­to apos­ta em ex­pe­ri­ên­cia co­mo em­pre­sá­rio pa­ra go­ver­nar a ci­da­de

Metro Brazil (ABC) - - Foco -

Com 51 anos, Ailton Li­ma é do­no de uma grá­fi­ca na ci­da­de e es­tá no se­gun­do man­da­to se­gui­do co­mo ve­re­a­dor. Foi elei­to pe­la pri­mei­ra vez em 2004. Por que se sen­te mais ca­pa­ci­ta­do que os ou­tros can­di­da­tos pa­ra ser pre­fei­to de San­to An­dré? Além dos meus dois man­da­tos co­mo ve­re­a­dor, que per­mi­ti­ram co­nhe­cer de per­to o dra­ma de uma ci­da­de que­bra­da por fal­ta de pla­ne­ja­men­to e má ad­mi­nis­tra­ção, tam­bém en­fren­to a si­tu­a­ção de em­pre­sá­rio que lu­ta pa­ra pa­gar im­pos­tos e não vê re­tor­no so­ci­al pa­ra a ci­da­de on­de es­tá in­se­ri­do. Atuo no ra­mo grá­fi­co há mais de 30 anos co­mo ges­tor e em­pre­en­de­dor. Me sin­to pre­pa­ra­do e ca­pa­ci­ta­do pa­ra ge­rir o nos­so mu­ni­cí­pio, com equi­pe com­pe­ten­te e pro­je­tos com­pro­me­ti­dos com o cres­ci­men­to e de­sen­vol­vi­men­to da ci­da­de. O se­nhor é do par­ti­do do Pau­li­nho da For­ça, que vo­tou con­tra a cas­sa­ção do Edu­ar­do Cu­nha. Acre­di­ta que is­so pos­sa ter pe­so ne­ga­ti­vo na elei­ção? Obri­ga­do pe­la per­gun­ta. Ela me per­mi­te co­lo­car a ques­tão no de­vi­do ei­xo. Meu no­me é Ailton Li­ma e vo­cê po­de ir no Go­o­gle pro­cu­rar se te­nho al­go pen­den­te que pos­sa de­sa­bo­nar mi­nha tra­je­tó­ria. Não vai en­con­trar na­da. Já par­ti­ci­pei de ou­tro par­ti­do e con­ti­nuo com o meu no­me lim­po e a ficha lim­pa de­pois de dois man­da­tos. As op­ções in­di­vi­du­ais de ca­da po­lí­ti­co fi­cam no ní­vel de cons­ci­ên­cia de ca­da um. En­trei no So­li­da­ri­e­da­de por­que en­con­trei es­pa­ço pa­ra re­a­li­zar um gran­de pro­je­to em nos­so mu­ni­cí­pio, coi­sa que eu não con­se­gui­ria no par­ti­do an­te­ri­or. Quais são su­as prin­ci­pais pro­pos­tas? Na saú­de, va­mos am­pli­ar de 50 pa­ra 100 equi­pes o pro­gra­ma da “Saú­de da Fa­mí­lia”, me­lho­ran­do a qua­li­da­de do ser­vi­ço ofe­re­ci­do e pas­san­do a aten­der as pes­so­as nos seus do­mi­cí­li­os. Em edu­ca­ção, va­mos ofe­re­cer es­co­la in­te­gral em pe­lo me­nos 50% das uni­da­des pú­bli­cas e va­lo­ri­zar os pro­fes­so­res. Na mo­bi­li­da­de ur­ba­na, qua­se to­das as ações de­pen­dem da re­la­ção com ou­tros mu­ni­cí­pi­os e ou­tras ins­tân­ci­as de po­der. É o ca­so da li­nha 18 – Bron­ze do me­trô. Que­re­mos de­sen­vol­ver o pro­je­to “Pla­ne­ja­men­to de uma No­va Cen­tra­li­da­de”, em par­ce­ria com o go­ver­no do Es­ta­do, que po­de­rá oti­mi­zar o cor­re­dor Gu­a­ra­rá e di­mi­nuir o flu­xo de veí­cu­los con­cen­tra­dos na re­gião cen­tral.

AN­DRÉ AMERICO/AR­QUI­VO ME­TRO

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.