RA­FA­EL DA­NI­EL, PMDB

So­bri­nho de Cel­so Da­ni­el pro­me­te in­ves­tir na saú­de e trans­for­mar guar­da em po­lí­cia

Metro Brazil (ABC) - - Foco -

Fun­ci­o­ná­rio pú­bli­co, Ra­fa­el Da­ni­el tem 39 anos e é for­ma­do em ad­mi­nis­tra­ção e ges­tão pú­bli­ca. Foi can­di­da­to a vi­ce-pre­fei­to na cha­pa de Nil­son Bo­no­me, em 2012. Qual se­rá sua ban­dei­ra de go­ver­no? Que­ro dar con­ti­nui­da­de a to­da his­tó­ria da fa­mí­lia Da­ni­el. Fiz ques­tão de fe­char co­li­ga­ção sem ter ra­bo pre­so, pa­ra que pos­sa­mos che­gar na pre­fei­tu­ra e tra­ba­lhar de for­ma sé­ria e res­pon­sá­vel, de acor­do com a ad­mi­nis­tra­ção que con­vi­vi e apren­di com o Cel­so. O se­gun­do fo­co é a se­gu­ran­ça. Meu vi­ce pre­fei­to é um po­li­ci­al fe­de­ral, tem ex­pe­ri­ên­cia de 15 anos na po­lí­cia de San­to An­dré, fez cur­sos no ex­te­ri­or e vai ser nos­so fu­tu­ro se­cre­tá­rio de se­gu­ran­ça pú­bli­ca. É um di­fe­ren­ci­al no nos­so pla­no de go­ver­no. Por que se con­si­de­ra mais ca­pa­ci­ta­do que os ou­tros? O nos­so pro­gra­ma de go­ver­no é, in­dis­cu­ti­vel­men­te, o mais pre­pa­ra­do. Há dois anos te­mos gru­pos de es­tu­do da área da saú­de, cul­tu­ra, es­por­te e se­gu­ran­ça tra­ba­lhan­do nes­ses te­mas. Es­ta­mos to­tal­men­te pre­pa­ra­dos tec­ni­ca­men­te e ad­mi­nis­tra­ti­va­men­te pa­ra go­ver­nar San­to An­dré. Acha que ter Mi­chel Te­mer co­mo lí­der do seu par­ti­do po­de ter im­pac­to ruim? Não te­nho sen­ti­do is­so nas ru­as. Não ima­gi­ná­va­mos há qu­a­tro anos que ele se tor­na­ria pre­si­den­te. Te­mer é ex­tre­ma­men­te ca­pa­ci­ta­do e to­mou ati­tu­des que tam­bém va­mos to­mar aqui, co­mo di­mi­nuir as pas­tas e en­xu­gar os gas­tos pú­bli­cos. Quais são su­as prin­ci­pais pro­pos­tas? Va­mos ter que equa­ci­o­nar as con­tas da pre­fei­tu­ra. É a pri­mei­ra ação que te­mos de fa­zer. En­tão, va­mos en­xu­gar a má­qui­na e efe­ti­var um com­ba­te cla­ro à cor­rup­ção. Na saú­de, vou des­cen­tra­li­zar o aten­di­men­to emer­gen­ci­al na ci­da­de. En­tão, é um com­pro­mis­so cons­truir no­vas UPAs (Uni­da­des de Pron­to Aten­di­men­to). Com seis me­ses de go­ver­no va­mos co­me­çar a fa­zer mu­ti­rões de aten­di­men­tos es­pe­ci­a­li­za­dos. Em se­gu­ran­ça, ire­mos re­a­ti­var to­das as ba­ses que tí­nha­mos nas 17 di­vi­sas. Te­mos que pri­o­ri­zar a se­gu­ran­ça lo­cal, e va­mos trans­for­mar nos­sa guar­da em po­lí­cia mu­ni­ci­pal. Va­mos fa­zer um cen­tro de mo­ni­to­ra­men­to in­te­gra­do. No trân­si­to, a me­ta é cons­truir um anel viá­rio na re­gião da ave­ni­da dos Es­ta­dos com a Pres­tes Maia.

DI­VUL­GA­ÇÃO

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.