SALGADINHOS

Metro Brazil (ABC) - - Publimetro - JOÃO FARIA JOAOFARIA@AGENCIACIDADA.COM.BR João Faria é jor­na­lis­ta e só­cio-di­re­tor da Agên­cia Ci­da­dã

Os snacks ain­da são pou­co con­su­mi­dos no Bra­sil quan­do com­pa­ra­do com ou­tros paí­ses. En­tre­tan­to, en­tre uma re­fei­ção e ou­tra ou du­ran­te o mo­men­to de la­zer, o bra­si­lei­ro en­tra no mun­do dos va­ri­a­dos sabores de salgadinhos ofe­re­ci­dos nos pon­tos de ven­da. As em­ba­la­gens tam­bém são con­si­de­ra­das fun­da­men­tais pa­ra a co­mu­ni­ca­ção com o con­su­mi­dor fi­nal. Pa­ra Mar­ce­la Ma­ri­a­no, di­re­to­ra de tra­de da Pep­siCo Bra­sil, “os snacks tam­bém são ver­sá­teis, pois po­dem ser con­su­mi­dos tan­to por uma úni­ca pes­soa quan­to com­par­ti­lha­do en­tre os ami­gos em mo­men­tos de des­con­tra­ção”. Acom­pa­nhe a entrevista com a exe­cu­ti­va.

Co­mo vo­cê ava­lia o mer­ca­do bra­si­lei­ro de salgadinhos?

Um mer­ca­do em for­te ex­pan­são, mas ain­da com mui­ta opor­tu­ni­da­de de cres­ci­men­to, vis­to que o Bra­sil tem um con­su­mo per capta con­si­de­ra­do bai­xo. Paí­ses co­mo EUA, por exem­plo, con­so­mem até se­te ve­zes mais salgadinhos do que o do Bra­sil. Quan­do con­si­de­ra­mos a Amé­ri­ca La­ti­na, te­mos tam­bém paí­ses co­mo Colôm­bia, em que o con­su­mo de snacks é du­as ve­zes mai­or do que aqui.

Qual a im­por­tân­cia da em­ba­la­gem pa­ra ca­te­go­ria?

Ex­tre­ma­men­te re­le­van­te, pri­mei­ro por­que con­ve­ni­ên­cia é uma das gran­des fun­ções do sal­ga­di­nho – es­tá pron­to pa­ra co­mer e le­var pa­ra qual­quer lu­gar. De­pois, por­que gran­de par­te do con­su­mo de sal­ga­di­nho é por im­pul­so, ou se­ja, uma em­ba­la­gem con­vi­da­ti­va e com boa co­mu­ni­ca­ção atrai o con­su­mi­dor pa­ra a ca­te­go­ria.

Quais são as prin­ci­pais oca­siões de con­su­mo?

Salgadinhos são os gran­des ali­a­dos em mo­men­tos de pau­sa en­tre as prin­ci­pais re­fei­ções e as oca­siões de con­su­mo ge­ral­men­te acon­te­cem na ho­ra da fo­me, a qual­quer ins­tan­te do dia. Es­ses snacks tam­bém são ver­sá­teis, pois po­dem ser con­su­mi­dos tan­to por uma úni­ca pes­soa quan­to com­par­ti­lha­do en­tre os ami­gos, em mo­men­tos de des­con­tra­ção.

Que es­tra­té­gia de mar­ke­ting a em­pre­sa ado­ta no Bra­sil pa­ra as su­as mar­cas?

Nos­sas mar­cas fa­lam com di­fe­ren­tes per­fis de con­su­mi­do­res em di­ver­sos ti­pos de oca­siões. Ca­da uma de nos­sas mar­cas tem seu tar­get es­pe­cí­fi­co. Nos­so ob­je­ti­vo co­mo em­pre­sa lí­der nes­se seg­men­to é ofe­re­cer às pes­so­as uma pra­ze­ro­sa ex­pe­ri­ên­cia de con­su­mo, tra­zen­do sem­pre ações en­ga­ja­do­ras e ino­va­ções, se­ja por meio do pa­tro­cí­nio a um show, no pon­to de ven­da, ou mes­mo atra­vés de uma pro­mo­ção.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.