‘É o fim do ca­so Cel­so Da­ni­el’

Mor­reu on­tem Sér­gio Go­mes da Sil­va, o Som­bra, acu­sa­do de ser o man­dan­te da mor­te do ex-pre­fei­to de San­to An­dré. Pa­ra pro­mo­tor, mor­te ca­la prin­ci­pal tes­te­mu­nha e en­ter­ra o pro­ces­so

Metro Brazil (ABC) - - Front Page - CADU PROIETI E VA­NES­SA SELICANI

Um dos prin­ci­pais per­so­na­gens do ca­so do as­sas­si­na­to do ex-pre­fei­to de San­to An­dré, Cel­so Da­ni­el, em 2002, mor­reu on­tem. O em­pre­sá­rio Sér­gio Go­mes da Sil­va, co­nhe­ci­do co­mo Som­bra, fa­le­ceu aos 59 anos no Hos­pi­tal Mon­te­mag­no, na ca­pi­tal, ví­ti­ma de fa­lên­cia he­pá­ti­ca cau­sa­da por um cân­cer. Dos se­te acu­sa­dos pe­la mor­te de Cel­so, ele era o úni­co que ain­da não ha­via si­do jul­ga­do. Com a mor­te de­le, o pro­ces­so so­bre o cri­me che­ga ao fim.

O ape­li­do Som­bra sur­giu por con­ta da pro­xi­mi­da­de com Cel­so. O em­pre­sá­rio era o “bra­ço di­rei­to” do pe­tis­ta na pre­fei­tu­ra e es­ta­va na com­pa­nhia do pre­fei­to quan­do o po­lí­ti­co foi se­ques­tra­do. Di­as de­pois, Cel­so foi en­con­tra­do mor­to com ti­ros e si­nais de tor­tu­ra (en­ten­da o ca­so na ar­te abai­xo).

Pa­ra a Po­lí­cia Ci­vil, um cri­me co­mum: o pre­fei­to foi se­ques­tra­do e as­sas­si­na­do pe­los ban­di­dos após sua iden­ti­da­de ser re­ve­la­da. Pa­ra o Mi­nis­té­rio Pú­bli­co, Cel­so foi ví­ti­ma de as­sas­si­na­to en­co­men­da­do por Som­bra.

O acu­sa­do não te­ve tem­po de ser jul­ga­do. O pro­ces­so so­bre sua par­ti­ci­pa­ção vol­tou ao pon­to ini­ci­al de oi­ti­vas em 2014, a pe­di­do da de­fe­sa. O no­vo de­poi­men­to do em­pre­sá­rio es­ta­va mar­ca­do pa­ra o dia 7 de no­vem­bro.

“É o fim do ca­so. Com a mor­te do Som­bra aca­ba o pro­ces­so”, afir­mou o pro­mo­tor Ro­ber­to Wi­der Fi­lho, res­pon­sá­vel pe­la acu­sa­ção ini­ci­al.

Pa­ra Wi­der, com a au­sên­cia do jul­ga­men­to de Som­bra a his­tó­ria ter­mi­na sem um pon­to fi­nal. “Exis­tem ou­tros man­dan­tes que a gen­te não con­se­guiu iden­ti­fi­car. Tí­nha­mos es­pe­ran­ça de ele co­la­bo­rar se fos­se jul­ga­do e con­de­na­do, mas, com a mor­te, ele le­va con­si­go o se­gre­do do ca­so”, dis­se. “A sol­tu­ra do Sér­gio, em 2004, de­pois a anu­la­ção do pro­ces­so, mi­lha­res de re­cur­sos que fo­ram in­ter­pos­tos (al­te­ra­dos) e a mo­ro­si­da­de da Jus­ti­ça ge­ra­ram a sen­sa­ção de im­pu­ni­da­de nes­te ca­so.”

O ad­vo­ga­do de Som­bra, Ro­ber­to Pod­val, con­tra­ria as afir­ma­ções do Mi­nis­té­rio Pú­bli­co. “Acu­sa­ram, pren­de­ram, tro­ca­ram seu no­me por al­cu­nha. O ado­e­ce­ram, ele fa­le­ceu. Foi em paz, des­can­sar. Foi ino­cen­te”, afir­mou on­tem o de­fen­sor.

SÉR­GIO LI­MA/FOLHAPRESS

Em­pre­sá­rio ti­nha 59 anos e foi ví­ti­ma de fa­lên­cia he­pá­ti­ca de­cor­ren­te de cân­cer

| DA­NI­EL GUI­MA­RÃES/FOLHAPRESS

Em­pre­sá­rio fi­cou co­nhe­ci­do co­mo Som­bra por ser um dos ho­mens de con­fi­an­ça do pe­tis­ta Cel­so Da­ni­el

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.