Quem se­rá o pa­pai?

Sol­tei­ro­na bri­tâ­ni­ca se vê grá­vi­da e di­vi­di­da en­tre dois amo­res na sequên­cia ‘O Be­bê de Bridget Jo­nes’

Metro Brazil (ABC) - - Cultura - GABRIELA ACOSTA SIL­VA

Em “O Be­bê de Bridget Jo­nes”, que es­treia ho­je, Bridget (Re­née Zellwe­ger) se di­vi­de mais uma vez en­tre dois pre­ten­den­tes – o mi­li­o­ná­rio ame­ri­ca­no Jack (Pa­trick Demp­sey) e seu an­ti­go amor, Mark Darcy (Co­lin Firth).

Após um bre­ve en­vol­vi­men­to com am­bos, a pro­du­to­ra bri­tâ­ni­ca fi­ca grá­vi­da, mas sem sa­ber quem é o pai da cri­an­ça – o que le­va a uma dis­pu­ta en­tre os dois mar­man­jos, dis­pos­tos a tudo pa­ra con­quis­tar o co­ra­ção de­la e a pa­ter­ni­da­de do be­bê.

Firth não cos­tu­ma as­sis­tir a seu pró­prio de­sem­pe­nho no ci­ne­ma, mas, pa­ra es­ta sequên­cia, ele re­viu os dois pri­mei­ros fil­mes da fran­quia, de 2001 e 2004. “Is­so me aju­dou a en­con­trar es­se no­vo Mark, que, ape­sar de seu es­toi­cis­mo, é ain­da um ho­mem pas­si­o­nal. Ele sem­pre foi um per­so­na­gem meio sem emo­ções, que não diz o que pen­sa pa­ra não se ma­chu­car. Ele é in­te­res­san­te por­que li­da com a du­a­li­da­de en­tre o dra­ma e a co­mé­dia”, afir­ma o ator.

Es­se as­pec­to, aliás, é o que mais atrai Firth ao di­re­ci­o­na­men­to da­do pe­la di­re­to­ra Sha­ron Ma­gui­re às três his­tó­ri­as ins­pi­ra­das nos li­vros de He­len Fi­el­ding. “O que gos­to des­ses fil­mes é que eles não são sim­ples co­mé­di­as ro­mân­ti­cas. Sha­ron se im­por­ta mui­to em con­fe­rir o tom cer­to nos mo­men­tos dra­má­ti­cos e nos mo­men­tos en­gra­ça­dos.”

A con­fir­ma­ção de Ma­gui­re na equi­pe, aliás, foi o que fez Firth to­par re­pe­tir a do­se 11 anos de­pois do úl­ti­mo fil­me. “Sem­pre há ris­cos ao se fa­zer uma his­tó­ria no­va de uma per­so­na­gem que­ri­da co­mo Bridget Jo­nes, que se tor­nou cult pa­ra vá­ri­as ge­ra­ções. Nun­ca qui­se­mos que es­sa fos­se uma ho­me­na­gem, mas uma con­ti­nu­a­ção. Sha­ron é li­te­ral­men­te co­mo a Bridget dos fil­mes. O sim­ples fa­to de co­nhe­cer os per­so­na­gens de um jei­to mui­to pes­so­al aju­dou na nar­ra­ti­va”, diz.

Ele tam­bém diz não se im­por­tar em fa­zer re­ma­kes – o pró­xi­mo se­rá uma con­ti­nu­a­ção de “Kings­man”, que ele es­tá ro­dan­do no mo­men­to. “Se for bem es­cri­to, não é tão di­fí­cil re­to­mar a his­tó­ria. Gos­to de con­ver­sar bas­tan­te com os ro­tei­ris­tas e o di­re­tor, por­que sem­pre acre­di­tei que a se­gun­da ou ter­cei­ra par­te de uma fran­quia de­vem sem­pre ser me­lho­res que a ori­gi­nal”, con­clui Firth.

| DIVULGAÇÃO

Re­née Zellwe­ger, Pa­trick Demp­sey e Co­lin Firth se reú­nem no lon­ga ins­pi­ra­do pe­los li­vros de He­len Fi­el­ding

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.