De olho na re­du­ção de cri­mes

Se­gu­ran­ça. Plan­tões da PM e da GCM trou­xe­ram que­da na cri­mi­na­li­da­de, mas sis­te­ma de mo­ni­to­ra­men­to ain­da é de­sa­fio

Metro Brazil (ABC) - - Foco -

Os nú­me­ros de ocor­rên­ci­as cri­mi­nais co­mo rou­bos, fur­tos e ho­mi­cí­di­os têm di­mi­nuí­do em São Ca­e­ta­no nos úl­ti­mos anos, no en­tan­to a ci­da­de ain­da tem de­sa­fi­os pa­ra se­rem su­pe­ra­dos quan­do o as­sun­to é se­gu­ran­ça.

Atu­al­men­te, o mu­ni­cí­pio pos­sui a me­nor mé­dia de re­gis­tros po­li­ci­ais en­tre as ci­da­des do ABC. Se­gun­do da­dos da SSP (Se­cre­ta­ria de Se­gu­ran­ça Pú­bli­ca), se com­pa­rar­mos os da­dos de ja­nei­ro a agos­to de 2013 (pri­mei­ro ano da ges­tão do pre­fei­to Pau­lo Pinheiro) com o mes­mo pe­río­do de 2016 (úl­ti­mo ano do atu­al man­da­to), o ín­di­ce caiu dras­ti­ca­men­te (confira na ta­be­la abai­xo).

En­tre os fa­to­res que po­dem ex­pli­car a me­lho­ra na se­gu­ran­ça es­tão pro­je­tos co­mo o “Ci­da­de Se­gu­ra”, ado­ta­do em 2014. Ao to­do, o pro­gra­ma con­ta com 16 ações.

Du­as de­las trou­xe­ram mais po­li­ci­a­men­to pa­ra as ru­as: o pro­gra­ma “Ati­vi­da­de De­le­ga­da”, da Po­lí­cia Mi­li­tar, e a im­plan­ta­ção da “Ati­vi­da­de Di­fe­ren­ci­a­da”, da GCM (Gu­ar­da Ci­vil Mu­ni­ci­pal). Os dois pro­je­tos con­sis­tem em pa­gar os po­li­ci­ais pa­ra atu­a­rem em di­as de fol­ga. A ade­são é vo­lun­tá­ria.

Nos dois ca­sos, os agen­tes po­dem atu­ar no má­xi­mo em dez di­as que es­ti­ve­rem de fol­ga no pe­río­do de um mês. O sa­lá­rio do “plan­tão es­pe­ci­al” é de R$ 158 por oi­to ho­ras, ou se­ja.

En­tre as ações do “Ci­da­de Se­gu­ra” que ain­da não saí­ram do pa­pel es­tá uma im­por­tan­te fer­ra­men­ta pa­ra a se­gu­ran­ça: o vi­de­o­mo­ni­to­ra­men­to. Atu­al­men­te, cer­ca de 10 câ­me­ras de se­gu­ran­ça es­tão ins­ta­la­das na ci­da­de, nú­me­ro con­si­de­ra­do bai­xo pa­ra mo­ni­to­rar os 15 quilô­me­tros qua­dra­dos de área ter­ri­to­ri­al de São Ca­e­ta­no.

Ou­tro ponto a ser ob­ser­va­do es­tá a ave­ni­da Al­mi­ran­te De­la­ma­re, na di­vi­sa com São Pau­lo. Ape­sar de não per­ten­cer a São Ca­e­ta­no, o lo­cal é um dos pon­tos com mai­or in­ci­dên­cia de fur­tos e rou­bos, e su­as prin­ci­pais ví­ti­mas são mo­ra­do­res do ABC. Em ju­nho, uma ba­se da GCM foi inau­gu­ra­da pró­xi­ma a via, mas a De­la­ma­re con­ti­nua a ser um gran­de pro­ble­ma de se­gu­ran­ça a ser dis­cu­ti­do con­jun­ta­men­te en­tre as pre­fei­tu­ras da ca­pi­tal e São Ca­e­ta­no e o go­ver­no do Es­ta­do.

Atu­al­men­te, a GCM da ci­da­de tem 395 guar­das, com fro­ta de 34 car­ros, qua­tro vans, 10 mo­tos e 16 bi­ci­cle­tas.

DIVULGAÇÃO

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.