CONFIRA AS PRIN­CI­PAIS PRO­POS­TAS DOS CAN­DI­DA­TOS PA­RA A SE­GU­RAN­ÇA EM SCS

Metro Brazil (ABC) - - Foco -

PAU­LO PINHEIRO (PMDB)

Va­mos me­lho­rar ain­da mais a se­gu­ran­ça, por­que já fiz bas­tan­te. É me­lho­rar os ín­di­ces de cri­mi­na­li­da­de. Já fo­mos con­si­de­ra­dos a ci­da­de mais se­gu­ra. Va­mos am­pli­ar mais um pou­co o nos­so con­tin­gen­te de guar­das mu­ni­ci­pais e Po­lí­cia Mi­li­tar pa­ra me­lho­rar mais ain­da a se­gu­ran­ça. Qu­e­re­mos tam­bém co­lo­car mo­ni­to­ra­men­to em to­da ci­da­de, cer­car a ci­da­de com 400 câ­me­ras. Não vai fa­ci­li­tar só a se­gu­ran­ça, mas tam­bém a saú­de e ou­tros itens. Ca­so ocor­ra um aci­den­te na rua, a câ­me­ra vê e já man­da pa­ra um se­tor de emer­gên­cia que es­ta­rá pron­to pa­ra pe­gar es­se pa­ci­en­te e man­dar pa­ra o so­cor­ro. Não pre­ci­sa nin­guém li­gar, por­que já vão es­tar ven­do. En­tão is­so vai fa­ci­li­tar bas­tan­te pa­ra o mo­ra­dor da ci­da­de e pa­ra a pres­te­za do aten­di­men­to. No ca­so de inun­da­ção e en­chen­tes, tam­bém es­ta­rá lá o mo­ni­to­ra­men­to 24 ho­ras por dia. Is­so tu­do é pe­la se­gu­ran­ça em ge­ral, não só cri­mi­nal, mas tam­bém pa­ra as ou­tras áre­as, de saú­de, de ala­ga­men­tos e en­chen­tes e ou­tras coi­sas que as câ­me­ras po­dem ver e man­dar pa­ra o cen­tro de mo­ni­to­ra­men­to.

JO­SÉ AU­RIC­CHIO (PSDB)

Nós va­mos bus­car mo­de­los exi­to­sos de vi­de­o­mo­ni­to­ra­men­to, co­mo Jun­di­aí, In­dai­a­tu­ba e So­ro­ca­ba. Que­ria dei­xar re­gis­tra­do que dei­xa­mos 72 câ­me­ras fun­ci­o­nan­do e ho­je se tem qua­tro em fun­ci­o­na­men­to é mui­to. Não dá pa­ra vi­de­o­mo­ni­to­rar na­da com qua­tro câ­me­ras em uma ci­da­de com 15 quilô­me­tros qua­dra­dos. Nós te­mos que re­to­mar o vi­de­o­mo­ni­to­ra­men­to téc­ni­co, efe­ti­vo, de al­ta qua­li­da­de, jun­to com o res­ga­te do sis­te­ma “199 SOS Ci­da­dão”. Va­mos man­ter a mes­ma ba­se, que es­tá na ave­ni­da Goiás, por­que o Cen­tro de Con­tro­le Ope­ra­ci­o­nais vai fi­car lá. Nes­se es­pa­ço fa­re­mos uma am­pla re­for­ma on­de va­mos aca­bar com aque­las pa­re­des pa­ra a rua e va­mos fa­zer tu­do en­vi­dra­ça­do, blin­da­do, pa­ra que o usuá­rio pas­se e ve­ja tu­do em fun­ci­o­na­men­to a ser­vi­ço de­le. É o sen­ti­men­to de se­gu­ran­ça que va­mos res­ga­tar. Não te­mos sen­sa­ção de se­gu­ran­ça ne­nhu­ma, ape­sar de ter­mos uma Gu­ar­da Ci­vil Mu­ni­ci­pal al­ta­men­te co­la­bo­ra­do­ra, va­lo­ro­sa e de um con­tin­gen­te ex­ce­len­te.

GIL­BER­TO COS­TA (PEN)

Nós va­mos tra­zer de vol­ta a es­co­la de sol­da­do, que o ex­pre­fei­to Jo­sé Au­ric­chio Jr. dei­xou ir em­bo­ra. Va­mos tra­zer pa­ra que eles se for­mem e tra­ba­lhem den­tro da ci­da­de, de mo­do com que se te­nha mais se­gu­ran­ça pa­ra nos­so po­vo. Is­so é bom por­que, quan­do se for­mam, 10% do con­tin­gen­te fi­ca den­tro do mu­ni­cí­pio. Va­mos tam­bém co­lo­car a “Mu­ra­lha Di­gi­tal”, on­de te­rá uma ba­se da Gu­ar­da Mu­ni­ci­pal por bair­ro, to­das com mo­ni­to­ra­men­to, 20 bi­ci­cle­tas, cin­co vi­a­tu­ras da GCM e du­as da PM. Ma­lan­dro aqui não vai fa­zer bes­tei­ra por­que vai es­tar sem­pre vi­gi­a­do. São Ca­e­ta­no não vai ter mo­le­za, vão ter mui­to pro­ble­ma. Qu­e­re­mos tam­bém fa­zer a im­plan­ta­ção da De­le­ga­cia da Mu­lher em São Ca­e­ta­no, com aten­di­men­to ti­pi­fi­ca­do co­mo le­sões cor­po­rais, ame­a­ças, ofen­sas mo­rais em ge­ral, cri­mes con­tra os cos­tu­mes e aten­ta­do vi­o­len­to ao pudor, ofe­re­cen­do não só um es­pa­ço fí­si­co ade­qua­do, mas tam­bém a so­li­da­ri­e­da­de, a com­pre­en­são e a cer­te­za de que seu di­rei­to à in­te­gri­da­de fí­si­ca e mo­ral te­rá am­pa­ro pe­lo po­der pú­bli­co.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.