Acor­do de paz com as Farc é re­jei­ta­do

Ple­bis­ci­to. Co­lom­bi­a­nos di­zem ‘Não’ a fim do con­fli­to ar­ma­do en­tre go­ver­no e guer­ri­lha

Metro Brazil (ABC) - - Mundo -

O ce­le­bra­do acor­do de paz as­si­na­do há uma se­ma­na en­tre o go­ver­no do pre­si­den­te da Colôm­bia, Ju­an Ma­nu­el San­tos, e as Farc (For­ças Ar­ma­das Re­vo­lu­ci­o­ná­ri­as da Colôm­bia) caiu por ter­ra on­tem após 50,24% dos 12,7 mi­lhões de co­lom­bi­a­nos que com­pa­re­ce­ram ao ple­bis­ci­to vo­ta­rem pe­lo “Não” ao do­cu­men­to.

O ple­bis­ci­to foi a úl­ti­ma eta­pa pa­ra a con­so­li­da­ção de­fi­ni­ti­va do acor­do que pôs fim a 52 anos de lu­ta ar­ma­da cu­jo sal­do é de 250 mil mor­tos. Se ven­ces­se o “Sim”.

A vi­tó­ria do “Não” re­pre­sen­ta a res­pos­ta de um gran­de se­tor da so­ci­e­da­de, li­de­ra­do so­bre­tu­do pe­lo ex-pre­si­den­te Ál­va­ro Uri­be, que re­jei­ta o pac­to por con­si­de­rar que os che­fes guer­ri­lhei­ros – en­tre eles Ro­dri­go Lon­doño, o “Ti­mo­chen­ko”, lí­der má­xi­mo das Farc e sig­na­tá­rio do do­cu­men­to – de­vem ser pre­sos pe­los cri­mes co­me­ti­dos, em vez de disputar car­gos ele­ti­vos pe­lo vo­to.

O acor­do, que che­gou a co­lo­car San­tos e Ti­mo­chen­ko co­mo can­di­da­tos ao Prê­mio No­bel da Paz, es­ta­be­le­cia que as Farc dei­xa­ri­am as ar­mas e su­as trin­chei­ras pa­ra ba­ta­lhar pe­los seus ide­ais por meio da lu­ta po­lí­ti­ca.

O pre­si­den­te con­vo­cou uma reu­nião de emer­gên­cia, e as Farc pos­ta­ram no Twit­ter: “Com nos­sas pa­la­vras e ações, se­re­mos ca­pa­zes de al­can­çar a paz”. METRO

| J. VIZCAINO/REUTERS

Elei­to­res do ‘Sim’ per­ple­xos di­an­te da der­ro­ta

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.