Mo­ro si­na­li­za acei­tar ava­li­a­ção da PF so­bre bar­rar no­vas de­la­ções

Juiz da La­va Ja­to em Cu­ri­ti­ba dis­se que é pre­ci­so ‘cui­da­do’ com o ins­tru­men­to: “Não é úni­ca fon­te de in­for­ma­ção”

Metro Brazil (ABC) - - Front Page -

Du­ran­te um fó­rum em São Pau­lo on­tem, o juiz Sér­gio Mo­ro – res­pon­sá­vel pe­las in­ves­ti­ga­ções da La­va Ja­to em pri­mei­ra ins­tân­cia, na Jus­ti­ça Fe­de­ral do Pa­ra­ná – afir­mou que as de­la­ções pre­mi­a­das não são o úni­co mé­to­do de in­ves­ti­ga­ção da ope­ra­ção.

“[A de­la­ção pre­mi­a­da] tem que ser fei­ta com re­gras, cui­da­do, cau­te­la. Nun­ca con­fie num cri­mi­no­so”, dis­se. Mo­ro apon­tou tam­bém que nem sem­pre va­le a pe­na fir­mar um acor­do com um de­la­tor. “Tem um cus­to, já que o co­la­bo­ra­dor vai re­ce­ber san­ção cri­mi­nal pro­por­ci­o­nal”.

A fa­la de Mo­ro vai ao en­con­tro com um no­vo po­si­ci­o­na­men­to da PF (Po­lí­cia Fe­de­ral) que, se­gun­do o jor­nal “Fo­lha de S.Pau­lo”, pas­sou a de­fen­der nos bas­ti­do­res que não se fa­ça mais ne­nhum acor­do de de­la­ção pre­mi­a­da em in­ves­ti­ga­ções da La­va Ja­to.

A jus­ti­fi­ca­ti­va é que a ope­ra­ção já reu­niu in­for­ma­ções su­fi­ci­en­tes com os de­poi­men­tos de de­la­to­res ao lon­go de dois anos e se­te me­ses em cur­so, per­mi­tin­do apu­ra­ções sem a ne­ces­si­da­de de no­vos acor­dos.

Ou­tro pon­to ci­ta­do pe­lo jor­nal é que a PF te­me au­men­tar a sen­sa­ção de im­pu­ni­da­de da po­pu­la­ção ao ne­go­ci­ar pe­nas de en­vol­vi­dos em tro­ca de in­for­ma­ções.

Pro­cu­ra­da pe­lo Metro Jor­nal, a PF não res­pon­deu, até as 22h de on­tem, se de fa­to es­tá ava­li­an­do não acei­tar mais de­la­ções pre­mi­a­das.

Des­de o iní­cio da La­va Ja­to, fo­ram fir­ma­dos 66 acor­dos de de­la­ção pre­mi­a­da e qua­tro de le­ni­ên­cia. O nú­me­ro de de­la­to­res, po­rém, po­de pas­sar de cem, já que a em­prei­tei­ra Ode­bre­cht es­tá qua­se fir­man­do acor­do com pro­cu­ra­do­res da ope­ra­ção pa­ra de­poi­men­tos de mais de 50 fun­ci­o­ná­ri­os. Pri­são em 2ª ins­tân­cia No even­to, Sér­gio Mo­ro tam­bém de­fen­deu uma de­ci­são do STF (Su­pre­mo Tri­bu­nal Fe­de­ral), de fe­ve­rei­ro, que per­mi­te a pri­são de con­de­na­dos em se­gun­da ins­tân­cia. O ca­so vol­ta­rá a ser ana­li­sa­do ho­je na Su­pre­ma Cor­te, em du­as ações que de­fen­dem que o con­de­na­do pos­sa re­cor­rer em li­ber­da­de até os tri­bu­nais su­pe­ri­o­res.

“Aguar­dar o trân­si­to em jul­ga­do con­tri­bui pa­ra a im­pu­ni­da­de dos po­de­ro­sos”, dis­se Mo­ro, que apon­tou que con­de­na­dos em se­gun­da ins­tân­cia po­dem fa­zer um pe­di­do de ha­be­as cor­pus pa­ra sus­pen­der a exe­cu­ção da pe­na.

METRO

| ADRIANA SPACA/BRAZIL PHOTO PRESS/FOLHAPRESS

Mo­ro es­te­ve em fó­rum de juí­zes cri­mi­nais

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.