Cân­cer de ma­ma

No Bra­sil em 2016 a do­en­ça de­ve atin­gir mais de 57 mil, ações em to­do o país aler­tam so­bre a im­por­tân­cia da de­tec­ção pre­co­ce

Metro Brazil (ABC) - - Outubro Rosa - CAR­LOS MINUANO

Os nú­me­ros do cân­cer de ma­ma no Bra­sil são alar­man­tes. A pre­vi­são é de qua­se 58 mil no­vos ca­sos em 2016, se­gun­do o In­ca (Ins­ti­tu­to Na­ci­o­nal de Cân­cer). Mas, fe­liz­men­te, não é só a do­en­ça que avan­ça. A cam­pa­nha Ou­tu­bro Ro­sa, que to­dos os anos aler­ta so­bre a im­por­tân­cia da pre­ven­ção e da de­tec­ção pre­co­ce, es­tá cada vez mais for­te no país. “Quan­do des­co­ber­to no iní­cio, a chan­ce de cu­ra é de até 90%”, diz Sér­gio Men­des, mas­to­lo­gis­ta do Hos­pi­tal São Jo­sé, da Be­ne­fi­cên­cia Por­tu­gue­sa de São Pau­lo.

“A cam­pa­nha é mui­to im­por­tan­te por­que dei­xa as mu­lhe­res mais aten­tas e in­for­ma­das so­bre pre­ven­ção, di­ag­nós­ti­co e tra­ta­men­to”.

Ape­sar de ser con­si­de­ra­do o se­gun­do de mai­or in­ci­dên­cia no mun­do e o pri­mei­ro no se­xo fe­mi­ni­no, o cân­cer de ma­ma tem cu­ra, res­sal­ta Si­mo­ne Eli­as, co­or­de­na­do­ra do am­bu­la­tó­rio de Mas­to­lo­gia da Uni­fesp (Uni­ver­si­da­de Fe­de­ral de São Pau­lo). “É im­por­tan­te en­fa­ti­zar que exis­te vi­da após a do­en­ça, cada vez te­mos mais so­bre­vi­ven­tes”.

Se­gun­do a mé­di­ca, uma equa­ção de vá­ri­os fa­to­res ex­pli­ca o cres­ci­men­to dos nú­me­ro de ca­sos no país, mas ela res­sal­ta o en­ve­lhe­ci­men­to da po­pu­la­ção co­mo uma das prin­ci­pais cau­sas. Por ou­tro la­do, ela des­ta­ca tam­bém que tra­ta­men­tos es­tão me­lho­ran­do, e com is­so um nú­me­ro mai­or de pa­ci­en­tes es­tão sen­do cu­ra­dos.

Em ge­ral, mé­di­cos re­co­men­dam que mu­lhe­res não dei­xem de fa­zer ma­mo­gra­fia anu­al­men­te, a par­tir dos 40 anos, mes­mo as que fa­zem o au­to­e­xa­me to­dos os me­ses, após a mens­tru­a­ção. “Di­ag­nós­ti­co pre­co­ce e au­to­e­xa­me são as gran­des ar­mas pa­ra com­ba­ter o cân­cer de ma­ma”, re­for­ça Vi­vi­an Mi­la­ni, do se­tor de ma­mo­gra­fia da Fi­di (Fun­da­ção Ins­ti­tu­to de Pes­qui­sa e Es­tu­do de Di­ag­nós­ti­co por Ima­gem), de São Pau­lo.

Além dos exa­mes de ima­gens e do au­to­e­xa­me, que de­ve ser fei­to no ba­nho, com sa­bão, pa­ra aju­dar na per­cep­ção de ir­re­gu­la­ri­da­des, a mé­di­ca ori­en­ta tam­bém sem­pre ob­ser­var se exis­te al­gum ti­po de se­cre­ção sain­do dos ma­mi­los.

No ca­so do Mi­nis­té­rio da Saú­de, a ori­en­ta­ção é se­me­lhan­te a da OMS (Or­ga­ni­za­ção Mun­di­al de Saú­de), de uma ma­mo­gra­fia de ras­tre­a­men­to a cada dois anos pa­ra mu­lhe­res de 50 a 69 anos. Mas o exa­me po­de ser fei­to gra­tui­ta­men­te no SUS (Sis­te­ma Úni­co de Saú­de), in­de­pen­den­te da fai­xa etá­ria.

|DI­VUL­GA­ÇÃO

Ação da cam­pa­nha Ou­tu­bro Ro­sa no Com­ple­xo Hos­pi­ta­lar Be­ne­fi­cên­cia Por­tu­gue­sa, em São Pau­lo

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.