E PA­RA VER OU PA­RA CO­MER?

INSÓLITO, FES­TA DA SAL­SI­CHA REUNESETH ROGEN, JA­MES FRAN­CO E JONAH HILL

Metro Brazil (ABC) - - Front Page - AB­BEY BENDER

Seth Rogen dá uma rou­pa­gem di­fe­ren­te aos de­se­nhos ani­ma­dos em “Fes­ta da Sal­si­cha”, que es­treia ho­je. A ideia do fil­me sur­giu dez anos atrás. A von­ta­de era fa­zer um fil­me de ani­ma­ção tra­di­ci­o­nal, mas re­che­a­do de hu­mor des­bo­ca­do. O re­sul­ta­do é uma pro­du­ção com clas­si­fi­ca­ção in­di­ca­ti­va de 16 anos na qual o as­tro e ro­tei­ris­ta du­bla um ca­chor­ro qu­en­te fa­lan­te que mo­ra em um su­per­mer­ca­do. Rogen e seus co­le­gas – in­cluin­do seu in­te­res­se amo­ro­so, um pão du­bla­do por Kris­ten Wi­ig, e du­as lin­gui­ças com vo­zes de Jonah Hill e Mi­cha­el Ce­ra – des­co­brem a du­ra ver­da­de so­bre o que acon­te­ce quan­do eles dei­xam o mer­ca­do – tu­do com di­rei­to a vá­ri­as pi­a­das de du­plo sen­ti­do re­la­ci­o­na­das a co­mi­da. Quais fo­ram su­as in­fluên­ci­as? Vo­cê ti­nha al­gum fil­me de ani­ma­ção na ca­be­ça? Bem, sou um enor­me fã de “South Park”, que foi uma gran­de in­fluên­cia. Tam­bém so­mos fãs dos fil­mes da Pi­xar. “Toy Story”, “Vi­da de In­se­to”, “Pro­cu­ran­do Ne­mo” – to­dos eles. Es­ses fo­ram dois dos nos­sos mai­o­res pon­tos de par­ti­da em re­la­ção à ani­ma­ção, e eles não têm na­da a ver um com o ou­tro. Mas acho que es­se foi o ca­mi­nho que ten­ta­mos tri­lhar. Uma com­bi­na­ção en­tre ino­cên­cia e sub­ver­são? Co­mo não tem ha­vi­do mui­tos fil­mes de ani­ma­ção pa­ra adul­tos, pen­sa­mos que o que po­de­ria tor­ná-lo mais pa­la­tá­vel – sem ne­nhu­ma pi­a­da de du­plo sen­ti­do aqui! – era apre­sen­tá-lo co­mo es­ta­mos acos­tu­ma­dos a ver um fil­me de ani­ma­ção, com tex­tu­ra e ca­ra de fil­me da Pi­xar. Co­me­ça­mos as­sim e de­pois apli­ca­mos ca­ma­das de es­tra­nhe­za que le­vam o es­pec­ta­dor ao bu­ra­co do co­e­lho. Há mui­tas pi­a­das rá­pi­das nos de­se­nhos da ani­ma­ção… Há vá­ri­as. Vi o fil­me umas 75 ve­zes e cada vez eu per­ce­bo coi­sas no­vas dos ani­ma­do­res. Eles fi­ze­ram nos­so ro­tei­ro fi­car mil ve­zes mais en­gra­ça­do. Seu per­so­na­gem, Frank, pa­re­ce até ter um pou­co de su­as pró­pri­as ex­pres­sões. Sim, os ani­ma­do­res fil­ma­ram cada ator du­ran­te a du­bla­gem e ten­ta­ram re­al­men­te ani­mar es­sas ex­pres­sões en­quan­to eles es­ta­vam em ação. O ca­chor­ro qu­en­te que in­ter­pre­to vi­rou um ator me­lhor que eu na vi­da re­al! E co­mo foi vol­tar a du­blar? Foi mui­to di­ver­ti­do, pois tu­do de­pen­de de vo­cê. É ape­nas uma pes­soa e um mi­cro­fo­ne. Is­so te li­ber­ta das mer­das que ocor­rem quan­do vo­cê atua.

| DI­VUL­GA­ÇÃO

Lon­ga tem vo­zes de Kris­ten Wi­ig, Jonah Hill e Mi­cha­el Ce­ra

GETTY IAMGES

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.