USCS te­rá no­vo pré­dio e mais cur­sos

Uni­ver­si­da­de de São Ca­e­ta­no tem pla­no de ex­pan­são que pre­vê a cons­tru­ção de mais um edi­fí­cio na ave­ni­da Goiás. Ideia é pas­sar dos atu­ais 8 mil alu­nos pa­ra 14 mil e ofe­re­cer cur­sos de ar­qui­te­tu­ra e en­ge­nha­ri­as ci­vil e elé­tri­ca.

Metro Brazil (ABC) - - Front Page - VA­NES­SA SELICANI

A USCS (Uni­ver­si­da­de Mu­ni­ci­pal de São Ca­e­ta­no) dá iní­cio nes­te mês a um au­da­ci­o­so pla­no de ex­pan­são que de­ve ele­var o nú­me­ro de es­tu­dan­tes aten­di­dos em 75%.

O pro­je­to se­rá apre­sen­ta­do ho­je pe­la pri­mei­ra vez a co­mu­ni­da­de aca­dê­mi­ca em au­di­ên­cia pú­bli­ca. A uni­ver­si­da­de pla­ne­ja a cons­tru­ção de um no­vo pré­dio no cam­pus Bar­ce­lo­na, na ave­ni­da Goiás, or­ça­do em cer­ca de R$ 40 mi­lhões.

O es­pa­ço vai per­mi­tir a aber­tu­ra de no­vos cur­sos li­ga­dos a en­ge­nha­ria e ar­qui­te­tu­ra. Atu­al­men­te, é ofer­ta­do en­ge­nha­ria de pro­du­ção, mas o ob­je­ti­vo é tra­zer tam­bém as mo­da­li­da­des de elé­tri­ca e ci­vil.

O rei­tor da ins­ti­tui­ção, Mar­cos Bas­si, es­ti­ma que a ex­pan­são pos­sa ele­var a dis­po­ni­bi­li­da­de de va­gas pa­ra até 14 mil es­tu­dan­tes. Atu­al­men­te, a USCS pos­sui cer­ca de 8 mil. “Acho que es­se se­ria um li­mi­te ide­al. Não qu­e­re­mos tam­bém que cres­ça de­mais. Uma uni­ver­si­da­de gran­de nem sem­pre é uma gran­de uni­ver­si­da­de. Fi­ca di­fí­cil ge­ren­ci­ar, de ter con­ta­to pró­xi­mo ao es­tu­dan­te”, dis­se.

Pa­ra que o no­vo pré­dio se tor­ne re­a­li­da­de, a USCS quer re­a­li­zar uma PPP (Par­ce­ria Pú­bli­co-Pri­va­da). Ape­sar de co­brar men­sa­li­da­des e não ter au­xí­lio do po­der pú­bli­co, a uni­ver­si­da­de é con­si­de­ra­da, por lei, de di­rei­to pú­bli­co. Por con­ta da na­tu­re­za, é pre- ci­so um pro­ces­so de li­ci­ta­ção e par­ce­ria via PPP. A no­va em­pre­sa se­rá res­pon­sá­vel pe­la cons­tru­ção do pré­dio, or­ça­do em cer­ca de R$ 40 mi­lhões. Ele se­rá ins­ta­la­do em es­pa­ço no pró­prio cam­pus Bar­ce­lo­na. A par­ce­ria tam­bém pas­sa­rá a ge­ren­ci­ar os tra­ba­lhos de manutenção des­te e do res­tan­te dos edi­fí­ci­os.

“Va­lo­res gas­tos com lim­pe­za, se­gu­ran­ça, tec­no­lo­gia, por exem­plo, se­rão re­pas­sa­dos pa­ra a em­pre­sa. Nós fo­ca­ría­mos ape­nas nas ati­vi­da­des li­ga­das à edu­ca­ção”, ex­pli­ca o rei­tor.

Os ser­vi­ços cus­tam atu­al­men­te R$ 8 mi­lhões por ano e a ex­pec­ta­ti­va é que o va­lor caia com a PPP. Os R$ 40 mi­lhões pa­ra er­guer o no­vo edi­fí­cio se­rão pa­gos pe­la USCS em 20 anos no con­tra­to.

Ho­je, às 9h, se­rá re­a­li­za­da au­di­ên­cia pú­bli­ca no cam­pus Bar­ce­lo­na. É a pri­mei­ra eta­pa da fa­se de con­sul­ta po­pu­lar pe­los pró­xi­mos 30 di­as. A ex­pec­ta­ti­va de Bas­si é que o edi­tal pa­ra a PPP se­ja lan­ça­do até o iní­cio de de­zem­bro e que o con­tra­to se­ja as­si­na­do em mar­ço pa­ra iní­cio das obras. Que cri­se? A USCS é uma das úni­cas ins­ti­tui­ções de en­si­no par­ti­cu­lar da re­gião a in­ves­tir em ex­pan­são nos úl­ti­mos anos. O cur­so de me­di­ci­na tem sua pri­mei­ra tur­ma atu­al­men­te no ter­cei­ro ano. A es­pe­ci­a­li­da­de é ofer­ta­da tam­bém em pré­dio na ca­pi­tal, em par­ce­ria com o Hos­pi­tal Sí­rio-Li­ba­nês.

O rei­tor afir­ma que a me­di­ci­na aju­dou a con­so­li­dar a mar­ca da USCS, mes­mo em ano de cri­se econô­mi­ca. Pa­ra Bas­si, o ce­ná­rio ruim pa­ra ou­tras ins­ti­tui­ções da re­gião tam­bém trou­xe mais es­tu­dan­tes. “Sa­be­mos que, in­fe­liz­men­te, a Fun­da­ção San­to An­dré pas­sa por pro­ble­mas fi­nan­cei­ros. Ab­sor­ve­mos es­tu­dan­tes tam­bém da Fe­fi­sa, que fe­chou no ano pas­sa­do. Cer­ca de 300 alu­nos de­les vi­e­ram pa­ra cá”, dis­se.

| DI­VUL­GA­ÇÃO

Cam­pus Bar­ce­lo­na, na ave­ni­da Goiás, abri­ga­rá o no­vo pré­dio

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.