40 ANOS ES­TA NOI­TE

MOS­TRA DE CI­NE­MA DE SÃO PAULO ABRE HO­JE COM 322 FIL­MES DE 50 PAÍ­SES

Metro Brazil (ABC) - - Front Page -

Os úl­ti­mos me­ses não têm si­do fá­ceis pa­ra o país, mas, ain­da as­sim, a Mos­tra In­ter­na­ci­o­nal de Ci­ne­ma de São Paulo con­se­guiu mon­tar uma pro­gra­ma­ção for­te pa­ra mar­car sua 40ª edi­ção.

“Es­se foi um ano tur­bu­len­to pa­ra to­dos, jus­ta­men­te um ano es­pe­ci­al pa­ra nós, mas es­tou mui­to fe­liz, por­que mon­ta­mos uma mos­tra à al­tu­ra da da­ta”, afir­ma a di­re­to­ra do even­to, Re­na­ta de Al­mei­da.

Is­so se tra­duz no alto qui­la­te das pro­du­ções es­ca­la­das pa­ra a pro­gra­ma­ção, que abre ho­je pa­ra con­vi­da­dos e se­gue pú­bli­ca até 2 de no­vem­bro em 42 sa­las da ca­pi­tal.

En­tre os 322 tí­tu­los vindos de 50 paí­ses, es­tão fil­mes re­cen­tes de di­re­to­res co­mo o fi­li­pi­no Bril­lan­te Men­do­za, os bel­gas Dar­den­ne, o ho­lan­dês Paul Verho­e­ven e os ame­ri­ca­nos Jim Jar­mus­ch e Tom Ford, que traz seu “Ani­mais No­tur­nos”, com Amy Adams, pre­mi­a­do em Ve­ne­za.

Pa­ra Re­na­ta, a se­le­ção su­ge­re uma re­fle­xão em sin­to­nia com o atu­al mo­men­to po­lí­ti­co e so­ci­al e tam­bém com as qua­tro dé­ca­das do even­to cri­a­do por Le­on Ca­koff.

“Vi­ve­mos na era da in­for­ma­ção frag­men­ta­da, on­de to­do mun­do sa­be um pou­co de tu­do. Às ve­zes acho que a gen­te es­tá de­sa­pren­den­do um pou­co o tempo da re­fle­xão po­lí­ti­ca. Tem o tempo de gri­tar e de fa­lar, mas tam­bém tem o tempo de pa­rar e pen­sar. Re­fle­tir so­bre sua pró­pria ex­pe­ri­ên­cia é es­sen­ci­al, e o ci­ne­ma faz is­so. Eu fa­lo mui­to, mas gos­to do ci­ne­ma por­que ele me faz ca­lar por du­as ho­ras e pen­sar de­pois”, diz ela.

A po­li­ti­za­ção, que a di­re­to­ra res­sal­ta não ser par­ti­da­ri­za­da, es­tá tan­to na es­té­ti­ca co­mo nos te­mas dos fil­mes, mas com a pre­o­cu­pa­ção de não en­cai­xá-los em ró­tu­los.

“A Mos­tra não tem pre­ten­são de dar li­ção, mas de apon­tar dis­cus­sões. Ela sem­pre te­ve es­sa ten­dên­cia de a pes­soa não sa­ber mui­to bem o que vai ver, e que­ro mais que um ho­mo­fó­bi­co vá ver um fil­me com te­má­ti­ca gay e saia da­li com ou­tra vi­são. Te­mo que seg­men­tar de­mais pos­sa per­der um pou­co es­sa aventura de vo­cê ver uma opi­nião di­fe­ren­te da sua. É uma ques­tão de de­fen­der a re­fle­xão e o diá­lo­go”, afir­ma Re­na­ta. ME­TRO

Amy Adams es­tá no pre­mi­a­do ‘Ani­mais No­tur­nos’, de Tom Ford

| AGÊN­CIA FO­TO/DIVULGAÇÃO

Di­re­to­ra Re­na­ta de Al­mei­da de­fen­de po­li­ti­za­ção do even­to

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.