CO­NHE­CI­MEN­TO E CON­TRI­BUI­ÇÃO

Metro Brazil (ABC) - - Publimetro - JOÃO FA­RIA JOAOFARIA@AGENCIACIDADA.COM.BR

Adri­a­na Fá­va­ro, di­re­to­ra ge­ral de mí­dia da agên­cia LDC, é re­co­nhe­ci­da pe­la in­dús­tria da comunicação por seu co­nhe­ci­men­to na área de mí­dia e tam­bém pe­la im­por­tan­te con­tri­bui­ção nas prin­ci­pais en­ti­da­des do se­tor. Fá­va­ro, in­di­ca­da ao Prê­mio Ca­bo­ré 2016 na ca­te­go­ria pro­fis­si­o­nal de mí­dia, con­ver­sa com a co­lu­na.

Quais os de­sa­fi­os da mí­dia pa­ra en­ten­der o con­su­mi­dor?

En­ten­der o con­su­mi­dor é e sem­pre foi fun­da­men­tal pa­ra o su­ces­so de uma cam­pa­nha. O que mu­da é que o con­su­mi­dor de ho­je é mui­to mais di­nâ­mi­co e as pos­si­bi­li­da­des pa­ra atin­gi-lo são in­fi­ni­tas. Tor­na-se mui­to mais com­ple­xo en­con­trar a com­bi­na­ção cer­ta de pon­tos de con­ta­to pa­ra en­vol­ver os con­su­mi­do­res em su­as jornadas. O pro­ble­ma é que a mudança exi­ge gas­to de ener­gia, que­bra de pa­ra­dig­mas e atu­a­li­za­ção cons­tan­te das opor­tu­ni­da­des, e o pro­fis­si­o­nal de mí­dia ho­je tem que es­tar aber­to pa­ra es­se mo­vi­men­to, uma vez que o con­teú­do mi­diá­ti­co per­cor­re múl­ti­plas te­las em múl­ti­plos mo­men­tos. As pesquisas são fun­da­men­tais pa­ra acom­pa­nhar es­sas mu­dan­ças dos con­su­mi­do­res e, con­se­quen­te­men­te, o re­fle­xo de­las no con­su­mo dos mei­os de comunicação. Po­rém, é pre­ci­so ca­pa­ci­da­de e dis­cer­ni­men­to crí­ti­co pa­ra in­ter­pre­tar os nú­me­ros e da­dos exis­ten­tes e ser um ob­ser­va­dor so­ci­al aten­to, acom­pa­nhar os es­ti­los de vi­da dos con­su­mi­do­res e in­te­ra­gir com eles da me­lhor for­ma pos­sí­vel.

Co­mo de­ve ser a atu­a­ção dos pro­fis­si­o­nais que co­man­dam a área di­an­te des­se con­tex­to?

O mo­men­to atu­al es­tá sen­do o mais ins­pi­ra­dor e de­sa­fi­a­dor. A tec­no­lo­gia e a mí­dia mu­dan­do o con­su­mi­dor, pres­são dos cli­en­tes por ROI, ne­ces­si­da­de de es­tra­té­gi­as ino­va­do­ras, mo­men­to econô­mi­co con­tur­ba­do. Nes­se ce­ná­rio, exis­te a ne­ces­si­da­de de ca­pa­ci­tar e apoi­ar a equi­pe pa­ra li­dar com es­sa re­a­li­da­de. Re­ter os ta­len­tos atra­vés da va­lo­ri­za­ção e do equi­lí­brio en­tre a vi­da pes­so­al e a pro­fis­si­o­nal.

O que con­tri­buiu pa­ra sua in­di­ca­ção no Ca­bo­ré?

É um re­sul­ta­do de uma car­rei­ra in­tei­ra. Só ao pa­rar e pen­sar em to­dos es­tes anos, eu me dei con­ta do qu­an­to fui sor­tu­da em po­der co­la­bo­rar e dei­xar mi­nha mar­ca não ape­nas nas agên­ci­as on­de tra­ba­lhei e nas es­tra­té­gi­as ven­ce­do­ras que de­sen­vol­vi ao lon­go dos anos, mas tam­bém no mer­ca­do. O en­vol­vi­men­to jun­to às en­ti­da­des tem um lu­gar de des­ta­que na mi­nha vi­da pro­fis­si­o­nal. Tra­ba­lhar em prol do de­sen­vol­vi­men­to do mer­ca­do e ver o tra­ba­lho cri­ar cor­po e dar fru­tos sem­pre me mo­ti­vou. Es­se en­vol­vi­men­to, es­sa de­di­ca­ção, é o ti­po de coi­sa que as pes­so­as vão per­ce­ben­do aos pou­cos. Tal­vez mi­nha in­di­ca­ção se­ja um re­fle­xo dis­so. João Fa­ria é jor­na­lis­ta e só­cio-di­re­tor da Agên­cia Ci­da­dã

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.