Ul­tras­so­no­gra­fia é ide­al pa­ra mu­lhe­res mais jo­vens e com ma­mas mais den­sas

Metro Brazil (ABC) - - Outubro Rosa -

Atu­al­men­te, os úni­cos mé­to­dos com­pro­va­dos pa­ra o ras­tre­a­men­to do cân­cer de ma­ma são a ma­mo­gra­fia (pa­ra a po­pu­la­ção ge­ral) e a res­so­nân­cia mag­né­ti­ca as­so­ci­a­da à ma­mo­gra­fia (pa­ra pa­ci­en­tes de al­to ris­co). En­tre­tan­to, pa­ra mu­lhe­res com ma­mas den­sas (cons­ti­tuí­das por mui­tas glân­du­las ma­má­ri­as), a ma­mo­gra­fia po­de ter a sua efi­cá­cia com­pro­me­ti­da por não con­se­guir di­fe­ren­ci­ar cla­ra­men­te um cân­cer nos sei­os. A in­for­ma­ção é do mé­di­co Edu­ar­do Fleury, da San­ta Ca­sa de Mi­se­ri­cór­dia de São Pau­lo.

Se­gun­do ele, pa­ra es­sas pa­ci­en­tes, a exi­gên­cia de um exa­me de ul­tras­som as­so­ci­a­do po­de tra­zer be­ne­fí­ci­os. “Es­tu­dos so­bre o pa­pel do ul­tras­som no ras­tre­a­men­to da do­en­ça aju­da­ram no di­ag­nós­ti­co adi­ci­o­nal de cer­ca de qua­tro cân­ce­res pa­ra ca­da mil mu­lhe­res.”

Além de des­co­brir mais va­ri­a­ções da do­en­ça, Fleury afir­ma que o ul­tras­som tam­bém é im­por­tan­te pa­ra di­ag­nos­ti­car ou­tras le­sões que não cos­tu­mam ser cap­ta­das na ma­mo­gra­fia. Nos Es­ta­dos Uni­dos, al­guns es­ta­dos ado­ta­ram uma lei com­pul­só­ria on­de os ser­vi­ços de ras­tre­a­men­to de­vem in­for­mar às pa­ci­en­tes que as ma­mas são den­sas. “Es­sas pa­ci­en­tes te­rão a op­ção de re­a­li­zar um es­tu­do com­ple­men­tar por ul­tras­som, sa­ben­do das con­sequên­ci­as po­si­ti­vas e ne­ga­ti­vas des­te mé­to­do.”

Uma van­ta­gem do ul­tras­som apon­ta­da pe­lo mé­di­co es­tá no fa­to do exa­me ser mais aces­sí­vel, de bai­xo cus­to e inó­cuo pa­ra a pa­ci­en­te.

Pa­ra jo­vens

A ul­tras­so­no­gra­fia ma­má­ria não faz par­te de ne­nhum pro­gra­ma de ras­tre­a­men­to da do­en­ça, mas po­de ser útil pa­ra mu­lhe­res mais no­vas, diz Fleury. “Qu­an­to mais jo­vem, mai­or a den­si­da­de da ma­ma. Is­so po­de aca­bar ca­mu­flan­do nó­du­los e cis­tos, dan­do fal­so ne­ga­ti­vo.”

Pa­ra Fleury, pa­ci­en­tes me­no­res de 25 anos não de­vem ser sub­me­ti­das à ma­mo­gra­fia pe­lo seu cus­to-be­ne­fí­cio. Nes­te ca­so, a ul­tras­so­no­gra­fia po­de e de­ve ser usa­da co­mo a pri­mei­ra op­ção di­ag­nós­ti­ca.

| LU­CI­A­NO CLAUDINO /FO­LHA­PRESS

Ações pe­lo país aler­tam so­bre a prevenção

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.