Fil­mes es­tran­gei­ros com DNA bra­si­lei­ro têm des­ta­que na Mos­tra

Metro Brazil (ABC) - - Cultura -

“En­tra um pou­co da gin­ga bra­si­lei­ra pa­ra fa­zer as pes­so­as per­ce­be­rem que têm a ga­nhar ao apos­tar em um pro­je­to au­da­ci­o­so.” EMÍLIA FER­REI­RA, DI­RE­TO­RA

“No Bra­sil exis­te apoio pa­ra fil­mar, mas lá fo­ra vo­cê pre­ci­sa ter um no­me for­te pa­ra fa­zer um pro­je­to in­de­pen­den­te.” GABE KLINGER, DI­RE­TOR

Os jo­vens di­re­to­res Emília Fer­rei­ra e Gabe Klinger nas­ce­ram no Bra­sil, mas seus fil­mes não fi­gu­ram en­tre as pro­du­ções na­ci­o­nais par­ti­ci­pan­tes da 40ª Mos­tra In­ter­na­ci­o­nal de Ci­ne­ma em São Pau­lo, que se­gue até o dia 2.

Há anos mo­ran­do fo­ra do país, am­bos apre­sen­tam na com­pe­ti­ção do even­to o re­sul­ta­do de su­as pri­mei­ras in­ves­ti­das em lon­gas de fic­ção, que ti­ve­ram sua pro­du­ção e exe­cu­ção in­tei­ra­men­te re­a­li­za­das no ex­te­ri­or, sem apoio de leis de in­cen­ti­vo na­ci­o­nais.

Ra­di­ca­da nos EUA, a mi­nei­ra Emília Fer­rei­ra, de 30 anos, es­co­lheu o ca­mi­nho me­nos fá­cil pa­ra sua es­treia na di­re­ção ao fa­zer um dra­ma psi­co­ló­gi­co. “En­tre­li­nhas” nar­ra a re­la­ção en­tre a au­to­ra de uma pe­ça e o di­re­tor de­la, que per­ce­be ter si­do ma­ni­pu­la­do pe­la es­cri­to­ra. “A gen­te usa o pro­ces­so cri­a­ti­vo de uma mu­lher pa­ra fa­lar da com­ple­xi­da­de da vi­da, que, na ver­da­de, é sim­ples”, afir­ma Emília.

Pa­re­ce uma op­ção ar­ris­ca­da pa­ra uma es­treia, mas, se­gun­do ela, foi is­so que atraiu os par­cei­ros ne­ces­sá­ri­os pa­ra le­van­tar o fil­me ape­sar de su­as res­tri­ções or­ça­men­tá­ri­as.

“En­tra aí um pou­co da nos­sa gin­ga bra­si­lei­ra de fa­zer es­sas pes­so­as per­ce­be­rem que têm ou­tras coi­sas a ga­nhar ao apos­tar em um pro­je­to au­da­ci­o­so”, afir­ma ela, que con­se­guiu Li­sa Rinz­ler (“Pol­lock”) pa­ra as­si­nar sua di­re­ção de fo­to­gra­fia, além de Ke­vin Kil­ner e Iri­na Björ­klund no elen­co.

“Foi im­por­tan­te tra­zer pes­so­as mais ex­pe­ri­en­tes, por­que no­mes for­tes aju­dam a dar cre­di­bi­li­da­de”, diz Emília, cu­jo fil­me foi in­tei­ra­men­te fi­nan­ci­a­do por ami­gos e fa­mi­li­a­res. “Nos EUA vo­cê até con­se­gue bol­sas pa­ra fa­zer do­cu­men­tá­ri­os, mas não pa­ra fic­ção”, com­ple­ta a pro­du­to­ra Suzy Franc­zak Da­vis.

Es­sa foi a mes­ma ló­gi­ca se­gui­da pe­lo pau­lis­ta Gabe Klinger, de 32 anos, pa­ra cri­ar seu “Por­to”, que te­ve o ci­ne­as­ta ame­ri­ca­no Jim Jar­mus­ch co­mo pro­du­tor. “No Bra­sil exis­te apoio, mas lá fo­ra vo­cê pre­ci­sa ter um no­me co­mo o de­le pa­ra de­sen­vol­ver um pro­je­to in­de­pen­den­te”, diz.

O lon­ga nar­ra um en­con­tro amo­ro­so en­tre es­tran­gei­ros na ci­da­de por­tu­gue­sa do Por­to. “Pa­ra mim, to­das as gran­des his­tó­ri­as de amor do ci­ne­ma se pas­sam no ve­lho mun­do. Por­to me pa­re­ce uma ci­da­de pa­ra­da no tem­po, e es­sa his­tó­ria é so­bre dois per­so­na­gens pa­ra­dos no tem­po.”

O fil­me foi o úl­ti­mo do ator An­ton Yel­chin (“Star Trek), mor­to em ju­nho pas­sa­do, aos 27 anos, após ser atro­pe­la­do pe­lo pró­prio car­ro.

“Ele não foi só um ator e che­gou a ver vá­ri­os cor­tes. Ele sen­tia mui­to res­pei­to pe­lo fil­me. ‘Por­to’ per­ten­ce a ele”, de­di­ca Klinger.

FOTOS: DI­VUL­GA­ÇÃO

‘En­tre­li­nhas’ se­rá exi­bi­do ho­je, às 16h50, na Sa­la Pau­lo Emí­lio (CCSP), e dia 2, às 17h40, no Frei Ca­ne­ca A úl­ti­ma ses­são de ‘Por­to’ acon­te­ce do­min­go, às 20h, no Es­pa­ço Itaú Au­gus­ta

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.