DESEMPREGADO NA CRI­SE? QUE TAL ATU­AR POR CON­TA?

Metro Brazil (ABC) - - Publimetro - MAR­COS SILVESTRE MAR­COS.SILVESTRE@ME­TRO­JOR­NAL.COM.BR

Ta­len­to. Vo­cê se con­si­de­ra um pro­fis­si­o­nal de ta­len­to? O di­ci­o­ná­rio apre­sen­ta ta­len­to co­mo sinô­ni­mo de gran­de ca­pa­ci­da­de. Mas ca­pa­ci­da­de pa­ra quê? Se tem ta­len­to, vo­cê tem ca­pa­ci­da­de pa­ra fa­zer coi­sas mui­to bo­as acon­te­ce­rem em sua vi­da pro­fis­si­o­nal, com a for­ma­ção e a ca­pa­ci­ta­ção que vo­cê pos­sui, com o car­go que ocu­pa, na em­pre­sa em que tra­ba­lha, com a uti­li­za­ção dos re­cur­sos que es­tão a sua dis­po­si­ção nes­sa em­pre­sa, pa­ra agre­gar va­lor po­si­ti­vo à vi­da de ou­tras pes­so­as atra­vés do seu tra­ba­lho, con­for­me vo­cê o de­sen­vol­ve nes­se con­tex­to cor­po­ra­ti­vo. Que bom, o mun­do pre­ci­sa de gen­te as­sim! Em­pre­go. Atra­vés de um bom em­pre­go, vo­cê es­pe­ra ob­ter um re­tor­no in­te­res­san­te, afi­nal, seu ta­len­to di­fe­ren­ci­a­do pro­duz bons fru­tos pa­ra a em­pre­sa na qual tra­ba­lha e a re­mu­ne­ra­ção ofe­re­ci­da em tro­ca des­ses fru­tos (que fi­cam sem­pre com seu em­pre­ga­dor!) é apre­sen­ta­da a vo­cê de du­as for­mas: seu sa­lá­rio, mais um pa­co­te de be­ne­fí­ci­os cor­po­ra­ti­vos. Quan­to mais des­sas re­com­pen­sas vo­cê re­ce­ber, mai­or se­rá sua per­cep­ção de su­ces­so no em­pre­go. A equa­ção do su­ces­so pro­fis­si­o­nal pa­ra o as­sa­la­ri­a­do de uma em­pre­sa qual­quer é ba­si­ca­men­te es­ta: em­pre­go + ta­len­to pro­fis­si­o­nal = sa­lá­rio + be­ne­fí­ci­os. É jus­to? Na­da con­tra es­se tra­di­ci­o­nal mo­de­lo de tro­ca de va­lo­res da eco­no­mia ca­pi­ta­lis­ta, mas... se­rá que os dois la­dos des­sa ba­lan­ça es­tão mes­mo bem equi­li­bra­dos? Seu ta­len­to vo­cê co­nhe­ce mui­to bem, sa­be o quan­to lhe cus­tou em ter­mos de tem­po de­di­ca­do, de es­tu­do es­for­ça­do e de ex­pe­ri­ên­ci­as de apren­di­za­do, às ve­zes du­ras e amar­gas, sa­be o quan­to va­le. En­tão... che­gou a ho­ra de lhe fa­zer uma per­gun­ta incô­mo­da: vo­cê es­tá se­gu­ro de que tem con­se­gui­do ob­ter, na atu­al con­di­ção de em­pre­ga­do, um re­tor­no ver­da­dei­ra­men­te equi­li­bra­do em tro­ca de seu ta­len­to pro­fis­si­o­nal? Sim, po­de até ser... Lu­cro. Em­pre­sas vi­sam lu­cro, e es­se ga­nho se­rá au­fe­ri­do – den­tre ou­tras fon­tes – so­bre seu tra­ba­lho. Seu la­bor aju­da di­re­ta­men­te a em­pre­sa que ho­je em­pre­ga vo­cê a ob­ter lu­cro, um di­nhei­ro que não vai pa­ra o seu bol­so, e que aju­da a en­ri­que­cer ape­nas os do­nos da em­pre­sa. A ver­da­de in­con­tes­tá­vel é que o seu tra­ba­lho en­ri­que­ce... os ou­tros! A me­nos que... vo­cê pas­se atu­ar por con­ta pró­pria! Quer dar uma gran­de vi­ra­da em sua vi­da pro­fis­si­o­nal e tro­car a ca­dei­ra de fun­ci­o­ná­rio pe­la pol­tro­na de do­no? Não per­ca, a ca­da quin­ze di­as, nos­sa co­lu­na es­pe­ci­al pa­ra qu­em quer ob­ter sua in­de­pen­dên­cia pro­fis­si­o­nal! Eco­no­mis­ta com MBA em Fi­nan­ças (USP), atua co­mo ori­en­ta­dor de famílias e edu­ca­dor em em­pre­sas (Me­to­do­lo­gia PROFE®). Co­men­ta­ris­ta econô­mi­co do Gru­po Ban­dei­ran­tes de Rá­dio e TV, é au­tor de “A Vi­ra­da na Car­rei­ra” e di­ri­ge o si­te www.edu­car­pa­ra­pros­pe­rar.com.br.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.