Pre­pa­re-se: va­lor das mul­tas so­be ama­nhã

Re­a­jus­te che­ga a 66%, com in­fra­ções le­ves pas­san­do a R$ 88,38 e, as gra­vís­si­mas, a R$ 293,47

Metro Brazil (ABC) - - Front Page -

As mul­tas de trân­si­to fi­ca­rão mais ca­ras a par­tir de ama­nhã em to­do o país. De­pen­den­do da gra­vi­da­de da in­fra­ção, o au­men­to se­rá en­tre 53% e 66%. Es­sa é a pri­mei­ra mu­dan­ça nos va­lo­res de mul­tas no CTB (Có­di­go de Trân­si­to Bra­si­lei­ro) des­de 2002.

Com o re­a­jus­te, a mul­ta le­ve pas­sa de R$ 53,20 a R$ 88,38, a mé­dia vai de R$ 85,13 pa­ra R$ 130,16, a gra­ve so­be de R$ 127,65 pa­ra R$ 195,23 e a gra­vís­si­ma sal­ta de R$ 191,54 pa­ra R$ 293,47.

Os pre­ços po­de­rão ser cor­ri­gi­dos anu­al­men­te, com re­a­jus­te má­xi­mo da­do pe­la in­fla­ção do ano an­te­ri­or.

Pa­ra o es­pe­ci­a­lis­ta em trans­por­tes e pro­fes­sor da FEI Cre­so Pei­xo­to, as mu­dan­ças po­dem ter um efei­to po­si­ti­vo ini­ci­al, mas não aju­dam a edu­car os mo­to­ris­tas. “A mul­ta faz do­er no bol­so, ten­de a cri­ar uma res­tri­ção do de­se­jo e pre­dis­po­ni­bi­li­da­de de se re­a­li­zar al­gu­ma in­fra­ção”, dis­se. “Po­rém, sem pro­gra­mas efe­ti­vos de edu­ca­ção no trân­si­to e mai­or fis­ca­li­za­ção, o in­fra­tor vai sem­pre en­con­trar ma­nei­ra de bur­lar a lei.”

Além dos va­lo­res mais al­tos, fo­ram cri­a­das no­vas in­fra­ções, co­mo a de di­ri­gir com uma só mão en­quan­to ma­ne­ja o te­le­fo­ne ce­lu­lar com a ou­tra. A mul­ta se­rá gra­vís­si­ma, com 7 pon­tos. Já fa­lar no te­le­fo­ne ce­lu­lar no ou­vi­do ao vo­lan­te con­ti­nua sen­do in­fra­ção mé­dia, uma vez que o olhar po­de ser di­re­ci­o­na­do pa­ra o ar­re­dor do veí­cu­lo.

“A ten­dên­cia é de que as pes­so­as ten­tem es­con­der ca­da vez mais o ce­lu­lar, con­cen­tran­do a vi­são pa­ra fo­ra do pa­ra­bri­sa e cau­san­do mai­or ris­co de aci­den­tes”, diz Cre­so.

Ou­tra no­va in­fra­ção é a de in­ter­rom­per, res­trin­gir ou per­tur­bar a cir­cu­la­ção da via sem au­to­ri­za­ção. Gra­vís­si­ma com mul­ti­pli­ca­dor 20, se­rá a mul­ta mais ca­ra: R$ 5.869,40.

Hou­ve tam­bém re­clas­si­fi­ca­ções. O con­du­tor que es­ta­ci­o­na em va­gas re­ser­va­das a ido­sos ou pes­so­as com de­fi­ci­ên­cia sem cre­den­ci­al, por exem­plo, irá le­var uma mul­ta gra­vís­si­ma – nes­te ano, ela já ha­via se tor­na­do gra­ve. Sus­pen­são Os mo­to­ris­tas que ul­tra­pas­sa­rem 20 pon­tos na car­tei­ra em um ano, pas­sam a ter o di­rei­to de di­ri­gir sus­pen­so en­tre seis me­ses e um ano – an­tes, o mí­ni­mo era de um mês de sus­pen­são. Em ca­so de rein­ci­dên­cia, a sus­pen­são po­de ser de seis me­ses a dois anos. Já o con­du­tor que co­me­te in­fra­ção que le­va a sus­pen­são di­re­ta, po­de­rá fi­car sem di­ri­gir en­tre dois e oi­to me­ses. Em ca­so de rein­ci­dên­cia, a proi­bi­ção é de oi­to a 18 me­ses. ME­TRO

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.