SO­BRA ES­PA­ÇO

FAL­TA CAPRICHO

Metro Brazil (ABC) - - Motor -

SUV im­por­ta­do da Chi­na tem pre­ço com­pe­ti­ti­vo, mas qua­li­da­de do aca­ba­men­to e mo­tor pre­ci­sam me­lho­rar

Os car­ros chi­ne­ses não pre­o­cu­pa­vam as gran­des mar­cas pre­sen­tes no Bra­sil, mas já co­me­çam a in­co­mo­dar. É cla­ro que a es­tra­da pa­ra en­ten­der o gos­to e as exi­gên­ci­as dos con­su­mi­do­res bra­si­lei­ros ain­da é lon­ga, mas o SUV JAC T5 co­me­ça a tri­lhá­la. O con­for­to e a sus­pen­são são pon­tos po­si­ti­vos, mas, mo­tor, câm­bio e a qua­li­da­de do aca­ba­men­to pre­ci­sam me­lho­rar.

Os em­pla­ca­men­tos são bem mo­des­tos: ape­nas 631 uni­da­des no acu­mu­la­do do ano, ou se­ja, 0,26% do mer­ca­do dos SUVs.

Se fal­ta chi­nês nas ru­as, so­bra es­pa­ço in­ter­no no uti­li­tá­rio. O T5 ofe­re­ce mui­to con­for­to na di­an­tei­ra e mes­mo com o as­sen­to do mo­to­ris­ta ajus­ta­do pa­ra al­guém com pou­co mais de 1,80 m, ain­da ofe­re­ce es­pa­ço de so­bra pa­ra os jo­e­lhos de quem se­gue no ban­co tra­sei­ro.

Em­bo­ra o vi­su­al in­ter­no se­ja agra­dá­vel, os ma­te­ri­ais em­pre­ga­dos são dig­nos de dó. So­bra plás­ti­co du­ro pa­ra to­dos os la­dos e mui­tas re­bar­bas. O su­por­te do co­nec­tor USB no con­so­le cen­tral se sol­ta com fa­ci­li­da­de e mos­tra a fra­gi­li­da­de de cer­tos de­ta­lhes do aca­ba­men­to. A fal­ta de ilu­mi­na­ção pró­pria no bo­tão de ajus­te dos re­tro­vi­so­res ex­ter­nos (jus­ti­ça se­ja fei­ta, co­mo em al­guns veí­cu­los na­ci­o­nais) tor­na di­fí­cil re­a­li­zar es­se con­tro­le à noi­te.

O mo­tor é cor­re­to, com fun­ci­o­na­men­to su­a­ve e en­tre­ga de for­ça li­ne­ar. Co­mo o tor­que má­xi­mo acon­te­ce em ro­ta­ções ele­va­das - na ca­sa de 4.000 rpm - é pre­ci­so es­ti­car as mar­chas pa­ra um de­sem­pe­nho mais vi­go­ro­so. O acer­to da in­je­ção do mo­tor não com­pen­sa bem a tem­pe­ra­tu­ra. O de­sem­pe­nho en­quan­to frio é mui­to in­fe­ri­or ao que se tem quen­te. Nas ma­nhãs ge­la­das o T5 che­ga a apre­sen­tar di­fi­cul­da­de em su­bi­das ín­gre­mes.

A trans­mis­são ma­nu­al de seis ve­lo­ci­da­des se mos­tra ro­bus­ta, mas os en­ga­tes são li­gei­ra­men­te pe­sa­dos lem­bran­do os pre­sen­tes nas ca­mi­nho­ne­tes mé­di­as. O ruí­do do con­jun­to é ele­va­do, prin­ci­pal­men­te nas mar­chas mais for­tes. Da mes­ma for­ma que o mo­tor, es­te sis­te­ma tam­bém é sen­sí­vel à tem­pe­ra­tu­ra. Com o veí­cu­lo frio os en­ga­tes são mais di­fí­ceis e a se­gun­da mar­cha che­ga a ar­ra­nhar com frequên­cia.

A sus­pen­são é ma­cia e con­for­tá­vel. Pa­re­ce que os chi­ne­ses en­ten­dem me­lhor o nos­so pi­so que a es­co­la eu­ro­peia que, acos­tu­ma­da com pa­vi­men­ta­ção de me­lhor qua­li­da­de, aca­ba por pro­du­zir veí­cu­los mui­to du­ros pa­ra a nos­sa re­a­li­da­de. Em fun­ção des­sa ma­ci­ez, nas cur­vas ele in­cli­na um pou­co mais, po­rém na­da que re­pre­sen­te ris­co no uso fa­mi­li­ar.

A ver­são tes­ta­da (Pack 3, a mais com­ple­ta) tem bom con­teú­do: ar-con­di­ci­o­na­do di­gi­tal, ajus­te de al­tu­ra pa­ra o as­sen­to do mo­to­ris­ta e vo­lan­te, com­pu­ta­dor de bor­do, con­tro­le de tra­ção e de es­ta­bi­li­da­de, as­sen­tos em cou­ro, câ­me­ra de ré, sis­te­ma mul­ti­mí­dia com te­la de 8”, en­tra­da HDMI e es­pe­lha­men­to pa­ra cer­tos mo­de­los de ce­lu­la­res, as­sis­ten­te de par­ti­da, luz diur­na, vi­dros, es­pe­lhos e tra­vas elé­tri­cos. A trans­mis­são au­to­má­ti­ca de­ve es­tar dis­po­ní­vel em bre­ve. Há tam­bém a pro­mes­sa do fa­bri­can­te de que o mo­de­lo pas­se a ser pro­du­zi­do no Bra­sil a par­tir do ano que vem.

Veí­cu­lo tem mo­tor flex 1.5 de 16V com 127 cv de for­ça

Aca­ba­men­to com pe­ças em plás­ti­co pre­ci­sa me­lho­rar É pre­ci­so es­ti­car as mar­chas pa­ra um de­sem­pe­nho vi­go­ro­so

FO­TOS: DI­VUL­GA­ÇÃO

Mo­de­lo po­de ser pro­du­zi­do no Bra­sil em 2017

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.