Bri­lho no olho e con­fi­an­ça são mar­cas des­ses co­lé­gi­os

Metro Brazil (ABC) - - Educação -

Não há so­lu­ções mi­la­gro­sas, nem fá­ceis, pa­ra a edu­ca­ção pú­bli­ca no Bra­sil. Mas é pos­sí­vel en­con­trar tra­ços em co­mum nas ex­pe­ri­ên­ci­as que apre­sen­ta­ram bons re­sul­ta­dos. A equi­pe do do­cu­men­tá­rio “Edu­ca­ção.Doc” afir­ma que, do Co­cal dos Al­ves, no Pi­auí, a Foz do Igua­çu, no Pa­ra­ná, cha­ma­ram a aten­ção o “bri­lho nos olhos e a con­fi­an­ça das fa­mí­li­as no tra­ba­lho da es­co­la”. Es­sa teia de vín­cu­los com a co­mu­ni­da­de e os alu­nos é uma mar­ca dos pro­je­tos edu­ca­ci­o­nais que de­ram cer­to.

Foi por meio da ade­são das pes­so­as em seu en­tor­no que uma es­co­la em He­lió­po­lis, zo­na sul de São Pau­lo, mu­dou a re­a­li­da­de de uma das re­giões mais vi­o­len­tas da ca­pi­tal, do­mi­na­da pe­los che­fões do trá­fi­co de dro­gas. O en­tão di­re­tor, Braz Nogueira, conta que ao as­su­mir a di­re­ção da Emef (Es­co­la Mu­ni­ci­pal de En­si­no Fun­da­men­tal) Cam­pos Salles, se de­pa­rou com uma si­tu­a­ção ater­ra­do­ra. Di­an­te de mui­tos re­la­tos de bri­gas, to­que de re­co­lher e até cha­ci­nas na co­mu­ni­da­de in­ter­fe­rin­do nas au­las, fez a si mes­mo uma in­da­ga­ção de­sa­len­ta­do­ra: “O que eu fiz da mi­nha vi­da?”

Fu­ri­o­so após o rou­bo de 21 com­pu­ta­do­res, ele conta que saiu pe­la co­mu­ni­da­de aos ber­ros. “Não foi a pre­fei­tu­ra que per­deu, fo­ram os seus fi­lhos”. Lo­go de­pois, se­gun­do Braz, uma pes­soa o pro­cu­rou pe­din­do pa­ra de­vol­ver os equi­pa­men­tos, mas na co­mu­ni­da­de, com re­ceio da po­lí­cia. Foi en­tão que ele per­ce­beu que os mu­ros não ti­nham ne­nhu­ma re­la­ção com se­gu­ran­ça. E con­vo­cou alu­nos e pais pa­ra der­ru­bá-los e, as­sim, in­te­grar - li­te­ral­men­te - o co­lé­gio à co­mu­ni­da­de. “Mos­tra­mos a es­co­la com sua be­le­za e feiu­ra, de­fen­den­do a ideia de que mu­dar era res­pon­sa­bi­li­da­de de to­dos”, re­lem­bra o di­re­tor.

O com­pro­me­ti­men­to da co­mu­ni­da­de tam­bém foi fun­da­men­tal pa­ra ga­ran­tir a pre­sen­ça dos alu­nos na sa­la de au­la em So­bral, no Ce­a­rá. Na re­gião co­nhe­ci­da pe­la al­ta eva­são es­co­lar, “ca­bu­lar” é coi­sa do pas­sa­do. “Se fal­tou du­as ve­zes na se­ma­na, vou ver o que hou­ve”, diz Edu­ar­do Ro­dri­gues, es­tu­dan­te uni­ver­si­tá­rio que pres­ta todo ti­po de au­xí­lio ao Caic (Cen­tro de Aten­ção In­te­gral à Cri­an­ça) Rai­mun­do Pi­men­tel Gomes. “An­tes re­cla­ma­vam. Hoje, os pais já até me es­pe­ram.” ME­TRO

|CAR­LOS BALIÚ /DIVULGAÇÃO/BURITI FIL­MES

Em So­bral (CE), fal­ta é coi­sa do pas­sa­do

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.