Após ve­tar ‘ro­le­zi­nho’, shop­ping do ABC faz tri­a­gem de jo­vens

Ado­les­cen­tes que en­tram sem com­pa­nhia de res­pon­sá­vel tem de fa­zer ca­das­tro com se­gu­ran­ças

Metro Brazil (ABC) - - Front Page - CADU PROIETI

O São Ber­nar­do Pla­za Shop­ping, lo­ca­li­za­do na ave­ni­da Ro­tary, 624, Fer­ra­zó­po­lis, em São Ber­nar­do, tem re­a­li­za­do con­tro­le da en­tra­da de jo­vens em gru­po e de­sa­com­pa­nha­dos dos pais ou res­pon­sá­veis em fi­nais de se­ma­na e fe­ri­a­dos. Des­ta for­ma al­guns ado­les­cen­tes são obri­ga­dos a fa­zer ca­das­tro com os se­gu­ran­ças do com­ple­xo as­sim que en­tram no es­pa­ço.

Se­gun­do a ad­mi­nis­tra­ção do cen­tro co­mer­ci­al, o objetivo da ação “é ga­ran­tir o bem-es­tar, o con­for­to e a se­gu­ran­ça de seus cli­en­tes” e a me­di­da co­me­çou a ser to­ma­da no pri­mei­ro se­mes­tre des­te ano. O shop­ping diz que a de­ci­são foi to­ma­da após “am­plo de­ba­te com os ór­gãos pú­bli­cos de São Ber­nar­do”.

A po­lê­mi­ca de en­tra­da de cri­an­ças e ado­les­cen­tes no shop­ping co­me­çou em 2015, quan­do o em­pre­en­di­men­to con­se­guiu bar­rar na Jus­ti­ça a en­tra­da de jo­vens no lo­cal aos fi­nais de se­ma­na. A ação foi to­ma­da e acei­ta pe­lo Ju­di­ciá­rio após a re­a­li­za­ção de “ro­le­zi­nhos”, que são en­con­tros de jo­vens mar­ca­dos pe­la in­ter­net e que che­ga­ram a reu­nir cen­te­nas de­les den­tro do shop­ping em al­gu­mas noi­tes de sá­ba­do. No en­tan­to, a de­ci­são li­mi­nar não du­rou uma se­ma­na e foi der­ru­ba­da após re­cur­so do Mi­nis­té­rio Pú­bli­co.

Ago­ra, nes­te ano, o cen­tro co­mer­ci­al es­tá fa­zen­do tri­a­gem dos que en­tram de­sa­com­pa­nha­dos dos pais. “Es­se pro­ces­so tem co­mo objetivo pro­ver mai­or se­gu­ran­ça aos jo­vens me­no­res que fre­quen­tam o shop­ping de­sa­com­pa­nha­dos de seus res­pon­sá­veis le­gais”, diz no­ta emi­ti­da pe­la di­re­ção do es­ta­be­le­ci­men­to.

O ad­vo­ga­do e vi­ce-pre­si­den­te da Co­mis­são Es­pe­ci­al da Cri­an­ça e do Ado­les­cen­te do Con­se­lho Fe­de­ral da OAB (Or­dem dos Ad­vo­ga­dos do Brasil), Ari­el de Cas­tro Al­ves, cri­ti­cou a ação. “Se eles es­tão iden­ti­fi­can­do na en­tra­da, is­so te­ria que va­ler a to­dos que en­tram no shop­ping. To­dos são iguais pe­ran­te a lei. En­tão, não po­dem ser só al­guns em ra­zão de ves­ti­men­tas, es­tar em gru­po ou so­zi­nhos. Ou va­le pa­ra to­dos ou não po­de apli­car a nin­guém. Se­não se tor­na uma dis­cri­mi­na­ção so­ci­al.”

A di­re­ção do shop­ping ale­ga que a ação foi to­ma­da com ba­se na Cons­ti­tui­ção Fe­de­ral. “Uma vez que a me­di­da ob­je­ti­va jus­ta­men­te ga­ran­tir di­rei­tos fun­da­men­tais dos con­su­mi­do­res do em­pre­en­di­men­to”, diz a no­ta do com­ple­xo co­mer­ci­al.

| ANDERSON GORES/ARQUIVO/ABCDIGIPRESS

Ado­les­cen­tes têm de fa­zer ca­das­tro na en­tra­da

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.