NÃO DEU NEM PRO CHEI­RO!

Após cam­pa­nha bri­lhan­te, sem dar chan­ce pa­ra os ad­ver­sá­ri­os, Pal­mei­ras aca­ba com je­jum de 22 anos e con­quis­ta o no­no cam­pe­o­na­to na­ci­o­nal ao ba­ter a Cha­pe­co­en­se por 1 a 0 no Al­li­anz Par­que

Metro Brazil (ABC) - - Front Page - WIL­SON DELL’ISO­LA

O pal­mei­ren­se acor­dou on­tem pre­pa­ra­do pa­ra gri­tar “é cam­peão”. Des­de as pri­mei­ras ho­ras do dia, a tor­ci­da já fa­zia ba­ru­lho, com bu­zi­nas e ro­jões, an­te­ci­pan­do as co­me­mo­ra­ções do no­no ca­ne­co bra­si­lei­ro, que só vi­ria no iní­cio da noi­te, após 1 a 0 con­tra a Cha­pe­co­en­se no Al­li­anz Par­que, di­an­te de 41 mil al­vi­ver­des, e que se es­ten­deu pa­ra a Pau­lis­ta de­pois do jo­go.

Um em­pa­te já ga­ran­ti­ria o triun­fo, já que o Ver­dão en­trou na 37ª ro­da­da com 6 pon­tos de van­ta­gem pa­ra o Santos, que en­ca­ra­va o Fla­men­go no mes­mo mo­men­to.

Des­de o api­to ini­ci­al, o es­tá­dio vi­bra­va com a “tor­ci­da que can­ta e vi­bra”, em­pur­ran­do a equi­pe pa­ra o tí­tu­lo do Bra­si­lei­rão, que não vi­nha há 22 anos, des­de o es­qua­drão de 1994, com Ed­mun­do, Ri­val­do, Evair e com­pa­nhia.

Só que o Pal­mei­ras de 2016 tem no­vos as­pi­ran­tes a ído­lo, co­mo Du­du, Moi­sés, Tchê Tchê, Vi­tor Hu­go, Zé Roberto, por exem­plo, além de Ga­bri­el Je­sus, que fez seu úl­ti­mo jo­go di­an­te da tor­ci­da – o úl­ti­mo du­e­lo do Ver­dão é fo­ra de ca­sa e ele es­tá ven­di­do ao Man­ches­ter City.

Além, cla­ro, do téc­ni­co Cu­ca – ova­ci­o­na­do pe­la tor­ci­da –, um dos res­pon­sá­veis por fa­zer o tor­ce­dor di­zer “se­gue o lí­der” des­de a 9ª ro­da­da, sain­do do pos­to em ape­nas du­as opor­tu­ni­da­des.

A Cha­pe, por sua vez, que­ria es­tra­gar a fes­ta al­vi­ver­de. Na fi­nal da Sul-Ame­ri­ca­na, o ti­me ca­ta­ri­nen­se de Caio Jú­ni­or veio com um ti­me com mui­tos re­ser­vas.

A con­fi­an­ça au­men­tou de vez com o Fla­men­go abrin­do o pla­car no Ma­ra­ca­nã – o que da­ria o tí­tu­lo ao Pal­mei­ras até mes­mo com der­ro­ta. Mas is­so já não im­por­ta­ria mais a par­tir do 25, de­pois de óti­ma jo­ga­da en­sai­a­da em co­bran­ça de fal­ta, Fa­bi­a­no man­dou de cobertura e fez a tor­ci­da ex­plo­dir de vez. O gol em­pol­gou ain­da mais o ti­me.

Na eta­pa fi­nal, o sen­ti­men­to e os can­tos de “tá che­gan­do a ho­ra” to­ma­ram con­ta do es­tá­dio, mas no gra­ma­do, Ver­dão mos­tra­va a mes­ma so­li­dez e ma­tu­ri­da­de que de­mons­trou du­ran­te to­do o cam­pe­o­na­to. Do­mi­na­va o jo­go. Cri­a­va chan­ces. E a tor­ci­da ia jun­to, emen­dan­do um can­to atrás da ou­tra. Do hi­no aos gri­tos de “é cam­peão”, des­de os 37 mi­nu­tos.

As lá­gri­mas de emo­ção que inun­da­va a tor­ci­da, pas­sou a con­ta­gi­ar os atle­tas. Pa­ra com­ple­tar a fes­ta, Cu­ca ain­da co­lo­cou Fernando Prass – que saiu do ti­me por le­são – no lu­gar de Jail­son. Um tí­tu­lo me­re­ci­do a uma de­fe­sa que nin­guém pas­sou, de ata­can­tes com mui­ta ra­ça. Um ti­me que, de fa­to, é cam­peão.

| RUBENS CAVALLARI/FOLHAPRESS

Du­du le­van­ta a ta­ça de cam­peão bra­si­lei­ro e Ga­bri­el Je­sus (à fren­te) ex­plo­de de ale­gria: ata­can­te ga­ran­tiu a con­quis­ta e ago­ra se apron­ta pa­ra dei­xar o clu­be ru­mo ao Man­ches­ter City

| LEVI BIANCO/BRAZIL PHOTO PRESS/FOLHAPRESS

Na com­pa­nhia do pre­si­den­te Pau­lo No­bre, ca­pi­tão Du­du le­van­ta a ta­ça pal­mei­ren­se

| MARCELLO ZAMBRANA/AGIF/FOLHAPRESS | KE­VIN DA­VID/A7 PRESS/FOLHAPRESS | MAR­COS BE­ZER­RA/FU­TU­RA PRESS

Fes­ta co­me­çou ce­do e in­va­diu a noi­te Jail­son foi um dos des­ta­ques do ti­me Prass car­re­gou Je­sus até a tor­ci­da

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.