Mo­ro ve­ta per­gun­tas de Cu­nha a Te­mer

Pa­ra o juiz, além de ina­pro­pri­a­das, par­te das ques­tões su­ge­ri­das não po­de ser jul­ga­da por ele

Metro Brazil (ABC) - - Front Page - BRUNNO BRUGNOLO

O juiz fe­de­ral Sér­gio Mo­ro in­de­fe­riu 21 das 41 per­gun­tas ela­bo­ra­das pe­lo ex-de­pu­ta­do Edu­ar­do Cu­nha ao pre­si­den­te Mi­chel Te­mer (PMDB), ar­ro­la­do co­mo tes­te­mu­nha de de­fe­sa no pro­ces­so con­tra o ex-pre­si­den­te da Câ­ma­ra na Ope­ra­ção La­va Ja­to.

Se­gun­do Mo­ro, 13 per­gun­tas eram ina­pro­pri­a­das por que o juí­zo “não tem com­pe­tên­cia pa­ra re­a­li­zar, di­re­ta ou in­di­re­ta­men­te, in­ves­ti­ga­ções so­bre o pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca” (res­pon­sa­bi­li­da­de do Su­pre­mo Tri­bu­nal Fe­de­ral). Oi­to fo­ram ve­ta­das por não se­rem ob­je­to da ação pe­nal (ve­ja lis­ta com­ple­ta ao la­do).

No des­pa­cho de on­tem, o juiz fez a res­sal­va de que “não há qual­quer no­tí­cia do en­vol­vi­men­to de Te­mer nos cri­mes in­ves­ti­ga­dos no pro­ces­so”.

En­tre as per­gun­tas bar­ra­das es­tão, por exem­plo: “Vos­sa Ex­ce­lên­cia foi co­mu­ni­ca­do pe­lo sr. Nes­tor Cer­ve­ró so­bre uma su­pos­ta pro­pos­ta fi­nan­cei­ra fei­ta a ele pa­ra sua ma­nu­ten­ção no car­go?”; “Ca­so te­nha si­do co­mu­ni­ca­do pe­lo sr. Nes­tor Cer­ve­ró, quem te­ria fei­to a pro­pos­ta e qual foi a vos­sa re­a­ção? Por que não de­nun­ci­ou?”.

Mo­ro fa­lou so­bre a men­ção do no­me do pre­si­den­te em de­poi­men­to do ex-di­re­tor da Pe­tro­bras Nes­tor Cer­ve­ró na se­ma­na pas­sa­da. “Ape­sar de sua afir­ma­ção de que te­ria pro­cu­ra­do o en­tão de­pu­ta­do fe­de­ral Mi­chel Te­mer pa­ra lo­grar apoio po­lí­ti­co pa­ra per­ma­ne­cer no car­go de di­re­tor da Pe­tro­bras, não há qual­quer re­fe­rên­cia de que a bus­ca por tal apoio en­vol­veu al­go de ilí­ci­to ou mes­mo que a con­ver­sa en­tão ha­vi­da te­nha ti­do con­teú­do ilí­ci­to”, es­cre­veu.

A per­gun­ta “Vos­sa Ex­ce­lên­cia re­ce­beu o sr. Nes­tor Cer­ve­ró pa­ra dis­cu­tir a per­ma­nên­cia de­le na Di­re­to­ria In­ter­na­ci­o­nal da Pe­tro­bras?” foi per­mi­ti­da.

Tam­bém fo­ram ve­ta­das qua­tro per­gun­tas en­vol­ven­do ou­tro ex-di­re­tor da Área In­ter­na­ci­o­nal da Pe­tro­bras, Jor­ge Ze­la­da. Tan­to Cer­ve­ró quan­to Ze­la­da já fo­ram con­de­na­dos em pro­ces­sos da La­va Ja­to. O úl­ti­mo de­les é réu em pro­ces­so pa­ra­le­lo na Jus­ti­ça Fe­de­ral do Pa­ra­ná jun­to com Cláu­dia Cruz, mu­lher de Cu­nha.

Ques­ti­o­na­men­tos so­bre pos­sí­veis con­tri­bui­ções de cam­pa­nha que te­nham vin­do de al­gum for­ne­ce­dor da área in­ter­na­ci­o­nal da Pe­tro­bras tam­bém fo­ram in­de­fe­ri­dos.

No Con­gres­so, as per­gun­tas fo­ram en­ten­di­das por mui­tos – tan­to do go­ver­no quan­to da opo­si­ção – co­mo re­ca­dos de que, se qui­ser, o ex-de­pu­ta­do po­de cri­ar sé­ri­os em­ba­ra­ços ao pre­si­den­te. As acei­tas En­tre as 20 per­gun­tas per­mi­ti­das – a se­rem res­pon­di­das por es­cri­to por Te­mer –, uma de­las men­ci­o­na o ex-pre­si­den­te Luiz Iná­cio Lu­la da Sil­va. “Vos­sa Ex­ce­lên­cia tem co­nhe­ci­men­to se a in­ter­lo­cu­ção com o go­ver­no era fei­ta com o ex-pre­si­den­te, Sr. Luiz Iná­cio Lu­la da Sil­va?”, so­bre a ne­go­ci­a­ção com de­pu­ta­dos do PMDB pa­ra a no­me­a­ção do di­re­tor in­ter­na­ci­o­nal da Pe­tro­bras. O ex-pre­si­den­te vai de­por a Mo­ro por vi­de­o­con­fe­rên­cia ama­nhã, co­mo tes­te­mu­nha de de­fe­sa na mes­ma ação. De­nún­cia Edu­ar­do Cu­nha é acu­sa­do de re­ce­ber US$ 1,5 mi­lhão em pro­pi­na de um con­tra­to da Pe­tro­bras por ex­plo­ra­ção de pe­tró­leo no Be­nin, na Áfri­ca, além de la­var o di­nhei­ro na Suí­ça. Ele es­tá pre­so em ca­rá­ter pre­ven­ti­vo des­de 19 de ou­tu­bro na car­ce­ra­gem da Su­pe­rin­ten­dên­cia da Po­lí­cia Fe­de­ral em Cu­ri­ti­ba. A de­fe­sa ne­ga os cri­mes e diz que o Mi­nis­té­rio Pú­bli­co Fe­de­ral não ex­pli­cou a par­ti­ci­pa­ção do ex-de­pu­ta­do no es­que­ma.

| RE­NA­TO COS­TA/FO­LHA­PRESS

Te­mer é tes­te­mu­nha de de­fe­sa no pro­ces­so con­tra Cu­nha

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.