Abor­to até 3º mês de ges­ta­ção não é cri­me, de­ci­de tur­ma do STF

De­ci­são foi to­ma­da em ca­so es­pe­cí­fi­co de ha­be­as cor­pus a mé­di­cos e fun­ci­o­ná­ri­os de clí­ni­ca, mas po­de ser­vir de ba­se para ou­tras ações e ma­gis­tra­dos do país

Metro Brazil (ABC) - - Foco -

A mai­o­ria da pri­mei­ra tur­ma do STF (Supremo Tri­bu­nal Fe­de­ral) de­ci­diu on­tem que fa­zer um abor­to até o ter­cei­ro mês de ges­ta­ção, in­de­pen­den­te­men­te do mo­ti­vo, não é cri­me.

Três dos cin­co in­te­gran­tes da tur­ma, os mi­nis­tros Luiz Ro­ber­to Bar­ro­so, Ro­sa We­ber, Ed­son Fa­chin, vo­ta­ram des­sa for­ma. Fa­chin e Ro­sa se­gui­ram o vo­to de Bar­ro­so e en­ten­de­ram que são in­cons­ti­tu­ci­o­nais os ar­ti­gos do Có­di­go Pe­nal que cri­mi­na­li­zam o abor­to.

O en­ten­di­men­to, no en­tan­to, va­le ape­nas para um ca­so es­pe­cí­fi­co jul­ga­do pe­lo gru­po, mas po­de em­ba­sar de­ci­sões fu­tu­ras de ou­tros ma­gis­tra­dos, in­clu­si­ve de ou­tras ins­tân­ci­as, so­bre o as­sun­to.

Em seu vo­to, Bar­ro­so dis­se que a cri­mi­na­li­za­ção do abor­to nos três pri­mei­ros me­ses da ges­ta­ção vi­o­la os di­rei­tos se­xu­ais e re­pro­du­ti­vos da mu­lher, o di­rei­to à au­to­no­mia de fa­zer su­as es­co­lhas e o di­rei­to à in­te­gri­da­de fí­si­ca e psí­qui­ca.

“Cri­mi­na­li­zar a mu­lher que de­se­ja abor­tar ge­ra cus­tos so­ci­ais e para o sis­te­ma de saú­de, que de­cor­rem da ne­ces­si­da­de de a mu­lher se sub­me­ter a pro­ce­di­men­tos in­se­gu­ros, com au­men­to da mor­bi­da­de e da le­ta­li­da­de”, de­ci­diu o mi­nis­tro.

O ca­so jul­ga­do pe­lo co­le­gi­a­do tra­ta­va do ha­be­as cor­pus de cin­co pes­so­as de­ti­das em uma ope­ra­ção da po­lí­cia do Rio de Ja­nei­ro em uma clí­ni­ca clan­des­ti­na em Du­que de Ca­xi­as, na Bai­xa­da Flu­mi­nen­se, en­tre elas mé­di­cos e ou­tros fun­ci­o­ná­ri­os. Ne­nhu­ma mu­lher que pra­ti­cou abor­to no lo­cal foi de­nun­ci­a­da na ação.

Os cin­co mi­nis­tros da Pri­mei­ra Tur­ma vo­ta­ram pe­la ma­nu­ten­ção da li­ber­da­de dos en­vol­vi­dos. Ro­sa We­ber, Ed­son Fa­chin acom­pa­nha­ram o vo­to de Bar­ro­so. Mar­co Au­ré­lio e Luiz Fux não vo­ta­ram so­bre a ques­tão do abor­to e de­li­be­ra­ram ape­nas so­bre a le­ga­li­da­de da pri­são.

Bar­ro­so dis­se que o abor­to “não é bom: e deve ser evi­ta­do com edu­ca­ção se­xu­al. Mas, ape­sar de ad­mi­tir que a prá­ti­ca não se­ja con­si­de­ra­da cri­me no pri­mei­ro tri­mes­tre de ges­ta­ção, Bar­ro­so en­ten­deu que nos me­ses se­guin­tes ela deve ser cri­mi­na­li­za­da. ME­TRO

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.