Char­li­ze The­ron bri­lha em ‘Atômica’

Metro Brazil (Belo Horizonte) - - Cultura -

Chad Stahels­ki e Da­vid Leit­ch ga­nha­ram pro­je­ção com a boa re­cep­ção do vi­o­len­to “John Wick” (2014), mas a par­ce­ria por trás das câ­me­ras não foi lon­ge. Stahels­ki lan­çou nes­te ano uma sequên­cia do lon­ga es­tre­la­do por Ke­a­nu Re­e­ves, en­quan­to Leit­ch re­sol­veu ex­pe­ri­men­tar um novo th­ril­ler de ação com uma pro­ta­go­nis­ta fe­mi­ni­na.

O re­sul­ta­do é “Atômica”, que es­treia ho­je com Char­li­ze The­ron no pa­pel de Lor­rai­ne Brough­ton, uma agen­te do MI6 bri­tâ­ni­co. A per­so­na­gem é uma cri­a­ção re­ve­la­da pe­los qua­dri­nis­tas Anthony Johns­ton e Sam Hart na HQ “A Ci­da­de mais Fria”, que se­rá lan­ça­da no Bra­sil, na se­ma­na que vem, pe­la edi­to­ra Dark­si­de.

Ela re­ce­be a mis­são de se in­fil­trar na máfia rus­sa que atua em Ber­lim pou­co an­tes da que­da do Mu­ro que se­pa­ra­va a URSS do mun­do oci­den­tal, em 1989. Sua mis­são é res­ga­tar uma lis­ta secreta de es­piões in­gle­ses cha­ma­da MacGuf­fin, im­pe­din­do que ela caia em mãos er­ra­das.

O cli­ma oi­ten­tis­ta im­pe­ra do lon­ga, em­ba­la­do por mú­si­cas de New Or­der, De­pe­che Mo­de e Da­vid Bowie e pe­lo re­tra­to de uma Ber­lim re­ple­ta de ne­on e pré­di­os de­cré­pi­tos da Ale­ma­nha Ori­en­tal.

Lor­rai­ne faz o gê­ne­ro de agen­te im­pla­cá­vel. Ela usa cor­da, sal­to al­to, prato quen­te e até sa­ca-ro­lhas pa­ra neu­tra­li­zar ame­a­ças. Su­as prin­ci- pais ar­mas, no en­tan­to, são su­as ha­bi­li­da­des de bri­ga, que ren­de­ram uma ex­ten­sa re­cei­ta mé­di­ca a Char­li­ze The­ron.

Du­ran­te as gra­va­ções, a atriz ven­ce­do­ra do Os­car por “Mons­ter – De­se­jo As­sas­si­no” ma­chu­cou as cos­te­las, tor­ceu o jo­e­lho e que­brou dois den­tes. Ima­gi­ne o que te­ria acon­te­ci­do se ela não ti­ves­se se pre­pa­ra­do com oi­to (sim, oi­to!) per­so­nal trai­ners – tu­do em prol da di­nâ­mi­ca exi­gi­da por Leit­ch, cu­ja car­rei­ra flo­res­ceu co­mo di­re­tor de du­blês.

O re­sul­ta­do é um fil­me de ação à mo­da an­ti­ga, em que as ce­nas de bri­ga im­por­tam mais do que a qua­li­da­de nar­ra­ti­va da his­tó­ria em si.

| DIVULGAÇÃO

Ven­ce­do­ra do Os­car se pre­pa­rou com oi­to per­so­nal trai­ners

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.