Acor­do é sus­pen­so e Jo­es­ley e Saud são pre­sos

Du­pla da JBS apre­sen­tou-se na se­de da PF em São Pau­lo on­tem à tar­de, por or­dem de Ed­son Fa­chin, do STF; na mes­ma de­ci­são, o mi­nis­tro sus­pen­deu os efei­tos do acor­do dos de­la­to­res com a PGR; ne­gou, po­rém, a pri­são do ex-pro­cu­ra­dor Mar­cel­lo Mil­ler

Metro Brazil (Belo Horizonte) - - Front Page - RAPHAEL VELEDA

Em um dos tre­chos da gra­va­ção re­gis­tra­da por en­ga­no que es­tá fa­zen­do des­mo­ro­nar o mais cha­ma­ti­vo acor­do de co­la­bo­ra­ção pre­mi­a­da na ope­ra­ção La­va Ja­to até aqui, o em­pre­sá­rio Jo­es­ley Ba­tis­ta co­me­mo­ra com o su­bor­di­na­do Ri­car­do Saud: “A re­a­li­da­de é: nós não vai ser pre­so. Va­mos fa­zer de tu­do, mas nós não vai ser pre­so” (sic). A fal­ta de ha­bi­li­da­de do pró­prio Jo­es­ley em ope­rar o gra­va­dor que ha­via com­pra­do pa­ra gra­var po­lí­ti­cos, po­rém, der­ru­bou es­sa cer­te­za.

Des­de on­tem Jo­es­ley e seu exe­cu­ti­vo es­tão pre­sos por or­dem do mi­nis­tro do STF (Su­pre­mo Tri­bu­nal Fe­de­ral) Ed­son Fa­chin. Eles se en­tre­ga­ram na se­de da Po­lí­cia Fe­de­ral em São Pau­lo no iní­cio da tar­de de on­tem e de­vem ser trans­fe­ri­dos pa­ra Brasília em avião da PF ho­je.

Jo­es­ley che­gou ao lo­cal acom­pa­nha­do do ad­vo­ga­do Pi­er­pa­o­lo Bot­ti­ni, que ha­via fa­la­do com o pro­cu­ra­dor-ge­ral da Re­pú­bli­ca Ro­dri­go Ja­not um dia an­tes, em Brasília, num en­con­tro su­pos­ta­men­te for­tui­to (leia mais abai­xo) e de um de­fen­sor re­cém-con­tra­ta­do e fa­mo­so: Antô­nio Car­los de Al­mei­da Cas­tro, o Ka­kay, um dos fa­vo­ri­tos dos po­lí­ti­cos en­ro­la­dos por ter, se­gun­do o fol­clo­re bra­si­li­en­se, bom trân­si­to nos tri­bu­nais su­pe­ri­o­res.

Se­gun­do re­la­to da jor­na­lis­ta An­dre­za Ma­tais no si­te do “Es­ta­dão”, aque­le que é um dos ho­mens mais ri­cos do Bra­sil cho­rou ao ser le­va­do pa­ra a ce­la.

Pri­são é tem­po­rá­ria

Fa­chin de­cre­tou a pri­são tem­po­rá­ria (por cin­co di­as, re­no­vá­veis) de Jo­es­ley e de Ri­car­do Saud a pe­di­do do pro­cu­ra­dor-ge­ral da Re­pú­bli­ca, Ro­dri­go Ja­not, que se sen­tiu traí­do pe­los de­la­to­res. Fa­chin con­cor­dou com Ja­not que há “in­dí­ci­os de má-fé por parte dos co­la­bo­ra­do­res ao dei­xa­rem de nar­rar que es­ta­vam sen­do ori­en­ta­dos por Mar­cel­lo Mil­ler [ex-pro­cu­ra­dor da Re­pú­bli­ca]”.

Ape­sar de a prin­ci­pal ra­zão pa­ra a pri­são e pa­ra a sus­pen­são par­ci­al dos efei­tos da de­la­ção ser a su­pos­ta atu­a­ção de Mil­ler co­mo agen­te du­plo, que te­ria le­va­do in­for­ma­ções e trei­na­do os de­la­to­res quan­do ain­da no pú­bli­co – de­pois, ele pe­diu de­mis­são e foi atu­ar co­mo ad­vo­ga­do num es­cri­tó­rio que pres­ta­va ser­vi­ços pa­ra os de­la­to­res –, o pe­di­do de pri­são de­le não foi acei­to.

Nos pró­xi­mos cin­co di­as, os pre­sos vão pres­tar de­poi­men­to e ten­tar con­ven­cer PGR e Su­pre­mo de que não des­cum­pri­ram os ter­mos da de­la­ção ou de que po­dem cor­ri­gir os er­ros e re­cu­pe­rar a va­li­da­de do acor­do. Ao fim des­se pe­río­do, Ja­not po­de pe­dir a re­no­va­ção da pri­são tem­po­rá­ria, sua trans­for­ma­ção em pre­ven­ti­va (sem pra­zo pa­ra li­be­ra­ção) ou a sol­tu­ra. Fa­chin de­ci­di­rá o des­ti­no de­les – ou po­de ain­da le­var a de­ci­são pa­ra o ple­ná­rio do Su­pre­mo.

| MATEUS BONOMI/AGIF/FOLHAPRESS

Jo­es­ley Ba­tis­ta em fo­to da úl­ti­ma quin­ta

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.