Tem­po em­ba­la A Ban­da mais Bo­ni­ta da Ci­da­de

Metro Brazil (Belo Horizonte) - - Cultura -

O pas­sa­gem do tem­po ser­ve de ins­pi­ra­ção pa­ra ‘De Ci­ma do Mun­do eu Vi o Tem­po’, ter­cei­ro dis­co de es­tú­dio da ban­da cu­ri­ti­ba­na A Ban­da Mais Bo­ni­ta da Ci­da­de – um dos gru­pos mais ce­le­bra­dos da ce­na bra­si­lei­ra con­tem­po­râ­nea.

For­ma­da em 2009, a ban­da re­ve­za su­as mú­si­cas pe­los es­ti­los de in­die rock e MPB e tem os Mu­tan­tes e Pink Floyd co­mo gran­des ins­pi­ra­ções pa­ra o seu tra­ba­lho.

Pa­ra a pro­du­ção do no­vo dis­co, o gru­po se iso­lou em uma fa­zen­da no nor­te do Pa­ra­ná por 15 di­as pa­ra ex­plo­rar sua ca­pa­ci­da­de de diá­lo­go ar­tís­ti­co e cri­a­ti­vi­da­de.

Se­gun­do a vo­ca­lis­ta Uya­ra Tor­ren­te, o ál­bum é es­pe­ci­al. “Con­se­gui­mos nos or­ga­ni­zar e pas­sar du­as se­ma­nas nes­sa fa­zen­da. Fi­ca­mos com­ple­ta­men­te iso­la- dos e de­sa­ce­le­ra­dos, e es­sa vi­vên­cia es­tá mui­to pre­sen­te no dis­co, não só mu­si­cal­men­te, mas na at­mos­fe­ra de­le. É um dis­co que fala so­bre o tem­po em pers­pec­ti­vas ge­rais. Pen­sa­mos o tem­po tan­to na vi­são ci­en­tí­fi­ca, a par­tir de te­o­ri­as so­bre o tem­po e o es­pa­ço, as­sim co­mo o o tem­po co­mo cli­ma e, es­pe­ci­al­men­te, o tem­po cro­no­ló­gi­co. O ál­bum fala um pou­co so­bre co­mo es­ta­mos apro­vei­tan­do a nos­sa pas­sa­gem nes­te mun­do”, diz ela.

| FERNANDA POMPERMAYER/DIVULGAÇÃO

No­vo ál­bum reú­ne com­po­si­ções pró­pri­as e re­lei­tu­ras

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.