Ar­re­ca­da­ção fe­de­ral so­ma R$ 105,6 bi­lhões e tem me­lhor se­tem­bro des­de 2015

Metro Brazil (Belo Horizonte) - - Economia -

Im­pul­si­o­na­da pe­la re­ne­go­ci­a­ção de dí­vi­das com a União e os au­men­tos de tri­bu­tos so­bre os com­bus­tí­veis, a ar­re­ca­da­ção fe­de­ral su­biu em se­tem­bro. Se­gun­do nú­me­ros di­vul­ga­dos on­tem pe­la Re­cei­ta Fe­de­ral, a União ar­re­ca­dou R$ 105,595 bi­lhões, alta de 8,66% em re­la­ção ao mes­mo mês do ano pas­sa­do, des­con­ta­da a in­fla­ção ofi­ci­al pe­lo IPCA (Ín­di­ce Na­ci­o­nal de Pre­ços ao Con­su­mi­dor Am­plo).

O prin­ci­pal fa­tor que ele­vou a ar­re­ca­da­ção fe­de­ral em se­tem­bro foi o Pert (Pro­gra­ma Es­pe­ci­al de Re­gu­la­ri­za­ção Tri­bu­tá­ria), que re­ne­go­ci­ou dí­vi­das de con­tri­buin­tes com a União.

Ape­nas em se­tem­bro, o Pert ar­re­ca­dou R$ 3,401 bi­lhões. No acu­mu­la­do do ano, o par­ce­la­men­to ren­deu R$ 10,957 bi­lhões ao governo. Pre­vis­to pa­ra aca­bar no fim de se­tem­bro, o pra­zo de ade­são ao pro­gra­ma, tam­bém cha­ma­do de No­vo Re­fis, foi pror­ro­ga­do até o pró­xi­mo dia 31 de ou­tu­bro.

Além do no­vo Re­fis, a ele­va­ção das alí­quo­tas do PIS (Pro­gra­ma de In­te­gra­ção So­ci­al) e da Co­fins (Con­tri­bui­ção pa­ra o Fi­nan­ci­a­men­to da Se­gu­ri­da­de So­ci­al) so­bre os com­bus­tí­veis con­tri­buiu pa­ra re­for­çar os co­fres fe­de­rais em se­tem­bro. No mês pas­sa­do, a ar­re­ca­da­ção dos dois tri­bu­tos su­biu 10,54% aci­ma da in­fla­ção em re­la­ção ao mes­mo mês do ano pas­sa­do.

Es­se é o me­lhor re­sul­ta­do pa­ra o mês des­de 2015 em valores cor­ri­gi­dos pe­lo ín­di­ce. Nos no­ve pri­mei­ros me­ses do ano, a ar­re­ca­da­ção fe­de­ral to­ta­li­zou R$ 968,334 bi­lhões, alta de 2,44% na com­pa­ra­ção com o mes­mo pe­río­do de 2016. O mon­tan­te tam­bém é o mai­or des­de 2015 em valores cor­ri­gi­dos pe­la in­fla­ção ofi­ci­al.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.